home  
 
home
adicionar ao favoritos
indique esta página
english version soon
Ginásticas
História
Acrobática
Aeróbica
Artística
Geral
Rítmica
Trampolim
Conteúdo
Artigos
Biblioteca
Entidades
Hot Links
Notícias
Onde Praticar
Resultados
Especiais
Ginásios
Ginasloucos
Obstinação
Personalidade
Supereventos
Interação
Chat
Downloads
Fórum
Guestbook
Newsletter
Opinião
Institucional
Anuncie
Contato
O Site
Quem Sou
Serviços

Consultar arquivos

criação e
manutenção
d_e_n_i_x®
     
 
Artigos
 
 
 
 

Artigo 03 - Como superar o medo de executar movimentos difíceis

" Ser perseverante é o segredo para alcançar o seu objetivo "

A Ginástica Olímpica de Competição pode ser extremamente exigente mentalmente e fisicamente ao atleta. A dificuldade dos movimentos que são executados e a alta intensidade dos treinamentos de um atleta de alto nível indicam o aumento de machucados no esporte. Essa percepção de risco e incidência de fraturas compreensíveis podem causar ao ginasta o medo de se machucar enquanto ele está competindo e/ou aprendendo um novo movimento. Esse medo pode causar influências prejudiciais à performance do ginasta e confiança nele mesmo. A Fundação Americana de Psicologia Esportiva também percebeu que este medo de fraturas e machucados é uma razão comum para que ginastas abandonem as competições ou até mesmo o esporte.

O medo de se machucar existe quando um ginasta perde a confiança em sua habilidade de realizar com sucesso seus exercícios. Para realizá-los em altos níveis de competição, o ginasta precisa aprender a controlar seus sentimentos. Ele precisa ser mais otimista que pessimista. Esse processo para controlar os medos pode ser feito usando estratégias psicológicas como imaginação, relaxamento e uma "conversa" positiva com si mesmo. Quando está usando esses métodos, o atleta aprende à se concentrar nas coisas mais relevantes, tais como sentir-se relaxado e dar o seu melhor, ao invés de se preocupar com a possibilidade de se machucar. Apenas usar essas estratégias não garante que o atleta vá se concentrar, mas elas podem permitir ao atleta aprender a controlar seus sentimentos e recuperar sua confiança ao tentar difíceis movimentos. Essas estratégias vêm mostrando efeitos positivos nas performances dos atletas e podem ser aplicadas à crianças e adolescentes. A proposta deste texto é apresentar vários tipos de estratégias psicológicas usadas por ginastas americanos para superar seus medos.

Método

Foram entrevistadas onze ginastas que participam de competições, entre 8 e 17 anos (média de 12 anos) de um clube de treinamento de Ginástica Olímpica nos Estados Unidos. Esse grupo treina de 4 a 6 dias por semana e participam de competições promovidas pela Federação de Ginástica dos E.U.A. dos níveis 5 ao 10. Todas as ginastas participaram de um programa educacional que incluía o aprendizado desses métodos psicológicos durante um à quatro anos.

Cada ginasta foi entrevistada em particular por um dos autores desse programa. A entrevista consistiu em perguntas designadas à descobrir as estratégias usadas por essas garotas para superar o medo de se machucar. As respostas foram organizadas em categorias para determinar as estratégias mais usadas.

Resultados

Os resultados revelaram que as ginastas usam uma variedade de estratégias psicológicas para superar os medos. Todas as garotas disseram que se sentem confiantes usando alguma forma de estratégia mental para ganhar controle sobre seus sentimentos. As duas estratégias populares mais usadas foram "Just Go for It" e "Superstitions" (ambas títulos de livros americanos para superar esse medo). A estratégia "Just Go For It" é uma técnica para os ginastas evitarem ser pessimistas quanto ao medo de se machucar. "Thought-Stopping", a técnica usada pelo livro, é quando o atleta faz um esforço mental para afastar pensamentos negativos tais como "Eu estou com medo" ou "Eu não consigo". Quando a atleta aprende a afastar esses pensamentos, ela pode substituí-los por pensamentos como "Eu posso fazer isso" e comandar seu corpo para fazer o movimento.

Contrastando com a estratégia mental de "thought-stopping", "Superstitions" é baseado mais no conceito de sorte. Quando uma ginasta é supersticiosa, ela pode ter certos objetos como um "colant" ou um prendedor de cabelo para dar à ela resultados positivos. Superstição não é realmente uma estratégia, pois a atleta não possui controle sobre ela mesma, mesmo que ela esteja com um pensamento positivo. Superstições, quando são usadas não só nas competições, por exemplo, comer panquecas todas as manhãs, podem ajudar a atleta a se manter concentrada e relaxada. Mas o risco de usá-las é que, se por um acaso a atleta esquece seu "objeto de sorte", ela pode perder a confiança em si mesma, não tendo como remediar.

O terceiro método mais popular de estratégia usado por estas ginastas revela a importância do técnico ajudar a ginasta a superar o medo. As atletas olham para seus técnicos e confiam quando eles dizem que elas são capazes de executar determinado movimento. Sem apoio, a ginasta pode começar a perguntar a si mesma se ela realmente tem capacidade de executar os movimentos e continuam a temê-los.

A quarta estratégia são técnicas próprias que as ginastas usam com fundamentos regulares. "Imagery" deixa a ginasta visualizar passadas e/ou futuras experiências em sua mente para preparar-se para contornar situações em que ela sinta medo. Essa estratégia ajuda à atleta a confiar mais nela mesma e se familiarizar com o movimento.

"Positive self-talk" é uma estratégia usada pelas garotas para substituir pensamentos negativos com positivos. Mais que apenas bloquear seus pensamentos negativos, a ginasta pode se prevenir usando constantemente pensamentos positivos que ela acha que podem a ajudar pessoalmente (exemplo: "Eu consigo fazer isso").

"Selective focus and illusion" é uma técnica que as ginasta usam para convencer elas mesmas que outras pessoas (ou até ela mesma) já executaram aquele movimento com sucesso. Usando essa forma de ilusão, a a ginasta está criando um favorável modo de conseguir sucesso.

Finalmente, "Progressive muscle relaxation" é uma estratégia de efeito que ensina a atleta a controlar seu físico durante situações de medo. Estar relaxada dá mais efeito quando se usa técnicas de respiração, o que ajuda a relaxar a tensão corporal. A atleta usa o relaxamento para controlar as respostas físicas em situações de medo e ganha auto-confiança. 

Conclusão

Concluindo, se o ginasta quer superar o medo de se machucar, seria bom que ele aprendesse técnicas psicológicas.

Essa pesquisa também revelou que os técnicos tem um papel fundamental em ajudar os ginastas a superar seus medos. As ginastas entrevistadas confiam em seus técnicos. O apoio deles faz com que elas melhorem física e mentalmente, além de derrubar as barreiras do medo de se machucar.

(Créditos: Eugênia del Vigna)

 
 
 
     
 

História Acrobática Aeróbica Artística Geral Rítmica Trampolim Artigos Biblioteca Entidades Hot Links Notícias Onde Praticar Resultados Ginásios Ginasloucos Obstinação Personalidade Supereventos Chat Downloads Fórum Guestbook Newsletter Opinião Anuncie Contato O Site Quem Sou Serviços

 
 
 
 
Resolução mínima de 800x600 IE 5.0
© Copyright Ginásticas.com 2000-2003,
Denis R. Patrocinio