home  
 
home
adicionar ao favoritos
indique esta página
english version soon
Ginásticas
História
Acrobática
Aeróbica
Artística
Geral
Rítmica
Trampolim
Conteúdo
Artigos
Biblioteca
Entidades
Hot Links
Notícias
Onde Praticar
Resultados
Especiais
Ginásios
Ginasloucos
Obstinação
Personalidade
Supereventos
Interação
Chat
Downloads
Fórum
Guestbook
Newsletter
Opinião
Institucional
Anuncie
Contato
O Site
Quem Sou
Serviços

Consultar arquivos

criação e
manutenção
d_e_n_i_x®
     
 
Artigos
 
 
 
 

Artigo 08 - Série Flexibilidade - A Importância do Aquecimento

Por Denis Ribeiro Patrocinio - Ginásticas.com - Pós-graduado em Fisiologia do Exercício - UNIFESP; Licenciado em Educação Física - FIG.

Neste primeiro artigo da 'Série Flexibilidade', o tema abordado será o 'Aquecimento'. Não são poucas as pessoas que ignoram ou executam de maneira incorreta esta importante fase do treinamento. Visando minimizar/elucidar dúvidas e mitos acerca do Aquecimento, segue abaixo algumas orientações sobre o que é, para que serve e como realizá-lo corretamente.

O aquecimento é a primeira parte de um treino e tem como objetivo preparar o atleta tanto fisiologicamente como psicologicamente para a atividade física. O aquecimento visa criar alterações importantes no organismo para que este suporte um treinamento/competição. Ele age principalmente sobre o sistema cardiorespiratório, produzindo um aumento da temperatura corporal. O aumento de temperatura corporal resulta nos seguintes benefícios (Weineck,1999):

 -  aumento da taxa metabólica;

  aumento de fluxo sanguíneo local;

 - melhoria da difusão do oxigênio disponível nos músculos;

 - aumento da quantidade de oxigênio disponível nos músculos;

 - aumento da velocidade de transmissão do impulso nervoso;

 - diminuição do tempo de relaxamento muscular após contração;

 - aumento da velocidade e da força da contração muscular;

 - melhoria na coordenação;

 - aumento da capacidade das articulações à suportar carga.

Apesar de todos estes benefícios, é comum confundir o aquecimento com a melhora da condição física; quando na verdade são duas coisas bem diferentes. O resultado dessa fusão enganosa, é um aquecimento excessivo e prejudicial, além de uma preparação insuficiente.

 

Como fora dito, o aquecimento pretende 'pôr em marcha' o pleno rendimento do organismo, abrangendo tanto a área física, como a emotiva (interesse, motivação) e a intelectual (concentração).

 

Os benefícios do aquecimento, em sua maioria, fazem reduzir o potencial de lesões, já que possuem a capacidade de aumentar a coordenação neuromuscular, retardar a fadiga e tornar os tecidos menos suscetíveis a danos. Além disso, a concentração psíquica provocada pelo aquecimento, leva à anulação de qualquer pensamento prejudicial.

 

Tecnicamente, o aquecimento pode ser dividido em duas partes de acordo com a especificidade da modalidade: geral e especifico. No aquecimento geral, recomenda-se utilizar exercícios envolvendo os grandes grupamentos musculares, aumentando a temperatura corporal. Já no aquecimento específico, enfatiza-se os exercícios para as articulações e grupamentos musculares solicitados na parte principal da sessão de treino.

 

Alguns efeitos do aquecimento podem ser influenciados por alguns aspectos que podemos dividir em:

- Externos: Tipo de prova a enfrentar: refere-se  às diferenças entre um treinamento e uma competição;

- Temperatura ambiente: no inverno, o aquecimento deverá ser mais amplo, e no verão deve-se evitar a sudorese excessiva, já que a perda de sais minerais pode provocar lesões (cãibras). Para temperaturas ambientes acima de 15oC, utiliza-se aproximadamente entre 5 a 10 minutos de aquecimento, podendo ser ultrapassado caso a mesma encontrar-se muito baixa;

- Hora do dia: pelo amanhecer, os músculos têm a sua elasticidade e tonicidade muscular reduzidas, chegando à sua normalidade por volta do meio-dia, para depois começar a decrescer novamente;

- Internos: Nível de experiência. Para os principiantes, o aquecimento será dirigido pelo professor, embora este deva evitar a rotina, pois provocaria a indiferença e monotonia. Quanto maior a experiência ou nível técnico, este será mais livre ou individualizado;

- Idade: Tanto as crianças como os adolescentes possuem uma maior adaptação muscular ao esforço e não estão tão expostos aos estiramentos ou distensões musculares, sendo portanto o aquecimento mais breve que em pessoas adultas, embora a capacidade de aprendizagem possa diminuir notavelmente se não se realiza um aquecimento motivador para as crianças;

- A personalidade, estado emotivo e caráter: são aspectos a ter em conta na hora de individualizar o aquecimento. 

Portanto, não é estranho observar a variação dos métodos de aquecimento, duração e intensidade em função das características anteriormente apontadas.

Devemos conhecer as características básicas do aquecimento como prevenção de lesões musculares, tendinosas e ligamentares, ao mesmo tempo que favorecemos a prática de nossa atividade. E estas características são:

-O número de exercícios a serem realizados será amplo e variado. Passando dos fáceis aos de média dificuldade de forma progressiva;

- As repetições serão pouco numerosas, oscilando dentro de uma dezena como máximo;

- O ritmo cardíaco não deverá exceder 120 batimentos por minuto;

- O início deve ser com exercícios que favoreçam um rápido aumento da temperatura corporal (trote, corrida, deslocamentos...) e depois continuará com os exercícios específicos da modalidade;

- Existe um período de soltura ou descanso ativo, entre o aquecimento e o treinamento, esta fase deve ser privilegiada em fase de competição;

- E atualmente, permite-se grande uso de exercícios de alongamento dentro do aquecimento.

Os exercícios de alongamento são utilizados durante o aquecimento como forma de otimização do sistema neuromuscular, porém estes são menos eficientes para produzir calor, ou seja, aumentar a temperatura corporal. Recomenda-se então sua realização após a fase geral do aquecimento, pois a temperatura muscular aumentada melhora a extensibilidade e a deformação dos componentes plásticos, diminuindo o risco de lesões. Na opção de sua realização durante a fase inicial do aquecimento, o alongamento deveria então ser mais cauteloso, estático e com reduzida tensão muscular. A utilização destes exercícios com grandes amplitudes chamado também de flexibilidade, pode prejudicar o rendimento na fase principal da sessão ou na competição devido a uma fadiga ou excitação excessiva do fuso muscular (proprioceptor que detecta o grau de estiramento no músculo). 

 

Mas isso já é assunto para um outro artigo.... :)

 
 
     
 

História Acrobática Aeróbica Artística Geral Rítmica Trampolim Artigos Biblioteca Entidades Hot Links Notícias Onde Praticar Resultados Ginásios Ginasloucos Obstinação Personalidade Supereventos Chat Downloads Fórum Guestbook Newsletter Opinião Anuncie Contato O Site Quem Sou Serviços

 
 
 
 
Resolução mínima de 800x600 IE 5.0
© Copyright Ginásticas.com 2000-2003,
Denis R. Patrocinio