home  
 
home
adicionar ao favoritos
indique esta página
english version soon
Ginásticas
História
Acrobática
Aeróbica
Artística
Geral
Rítmica
Trampolim
Conteúdo
Artigos
Biblioteca
Entidades
Hot Links
Notícias
Onde Praticar
Resultados
Especiais
Ginásios
Ginasloucos
Obstinação
Personalidade
Supereventos
Interação
Chat
Downloads
Fórum
Guestbook
Newsletter
Opinião
Institucional
Anuncie
Contato
O Site
Quem Sou
Serviços

Consultar arquivos

criação e
manutenção
d_e_n_i_x®
     
 
Jogos Olímpicos Atenas 2004
 
 
 
 

Jogos Olímpicos de Atenas 2004 - Atenas/Grécia

Confira aqui as notícias das competições de Ginástica Artística e Ginástica Rítmica em Atenas/Grécia. Os Jogos Olímpicos iniciam em 13 de agosto e vão até o dia 28 de agosto de 2004. Vamos torcer pelos atletas brasileiros!

29/08/2004

Russa conquista o ouro individual na GRD

Fonte: UOL

Enfim a russa Alina Kabaeva conquistou a medalha de ouro olímpica. Neste domingo, a atleta tricampeã mundial de ginástica rítmica e bronze em Sydney-2000, confirmou o titulo em Atenas.

Nas finais, no Galatsi Olympic Hall, ela obteve a pontuação de 108,400, superando a compatriota Irina Tchachina (107,325) e a ucraniana Anna Bessonova (106,7).

"Eu tenho que agradecer todos os que me prepararam para estas Olimpíadas -minha técnica, minhas professoras de balé e minha massagista", afirmou Kabaeva. "Sem essas pessoas eu não estaria pronta para os Jogos, e desta vez eu estava", completou.

A verdadeira briga pelo ouro foi entre as duas russas. Kabaeva liderou as duas classificatórias, mas foi seguida de perto por Tchachina.

Na decisão, Tchachina passou à liderança após se apresentar nos dois primeiros aparelhos, arco e bola. Na rotina com maças, Kabaeva compensou os pontos perdidos nas exibições anteriores e voltou a ser a primeira colocada. No último aparelho, fita, ela resistiu a pressão e fez uma apresentação impecável. Enquanto Tchachina acabou cometendo uma falha que lhe custou o ouro.

A veterana Almudena Cid, da Espanha, terminou na oitava colocação, seu melhor resultado nas três Olimpíadas em que participou.

 

28/08/2004

Resultado final por equipes de Ginástica Rítmica

Fonte: Athens 2004 OnLine

Rank NOC
5 Ribbons
3 Hoops + 2 Balls
Total
1  RUS - Russia TV
AV
EX
8.100  25.300  (1)
9.200
8.000
8.200  25.800  (1)
9.300
8.300
51.100
2  ITA - Italy TV
AV
EX
7.600  24.150  (2)
8.650
7.900
7.700  25.300  (2)
9.300
8.300
49.450
3  BUL - Bulgaria TV
AV
EX
7.600  23.400  (4)
8.700
7.100
7.700  25.200  (3)
9.300
8.200
48.600
4  BLR - Belarus TV
AV
EX
7.400  23.500  (3)
8.900
7.300
7.700  24.500  (4)
8.800
8.000
48.000
5  GRE - Greece TV
AV
EX
7.600  22.600  (6)
8.400
6.600
7.700  23.925  (5)
8.400
7.825
46.525
6  CHN - China TV
AV
EX
7.400  23.100  (5)
8.400
7.500
7.200  23.400  (6)
8.400
7.800
46.500
7  ESP - Spain TV
AV
EX
7.000  22.400  (7)
8.400
7.000
6.800  22.950  (7)
8.500
7.700
45.350
8  BRA - Brazil TV
AV
EX
7.200  21.900  (8)
8.400
6.400
7.000  22.500  (8)
8.700
7.000
44.400

Legend
5 Ribbons
 -  5 Ribbons
DNS  -  Did not start
DNF  -  Did not finish
DSQ  -  Disqualified
WD  -  Withdrawn
R  -  Reserve
3 Hoops + 2 Balls
 -  3 Hoops + 2 Balls
NOC  -  NOC
TV  -  Technical Value
AV  -  Artistic Value
EX  -  Execution
Q  -  Qualified for Final

 

28/08/2004

Brasileiras erram e repetem o oitavo lugar de Sydney

Fonte: UOL

A equipe brasileira de ginástica rítmica repetiu em Atenas a colocação de Sydney-2000: o oitavo lugar. Com falha nas duas coreografias apresentadas, o time que foi ouro no Pan de Santo Domingo-2003 ficou em último entre os que foram à disputa de medalha neste sábado.

Na primeira apresentação da final, com fitas, o quinteto brasileiro empolgou o público usando músicas como "Aquarela do Brasil". Mas a veterana Dayane Camillo deixou a fita cair, repetindo o erro cometido no mesmo ponto da coreografia durante as classificatórias. O Brasil recebeu a nota 21,9.

Na coreografia seguinte, o arco escapou das mãos de uma das ginastas, falha que impediu a equipe de repetir a apresentação impecável de arco/bola da primeira fase, que havia colocado o Brasil na decisão. A nota foi 22,5 e a seleção somou 44,4 pontos.

O ouro foi para a favorita Rússia, que conquistou o bi olímpico com 51,1 pontos. As italianas ficaram com a prata (49,450) e a Bulgária, com o bronze (48,6).

 
27/08/2004

Federação de ginástica pede que Hamm devolva o ouro

Fonte: UOL

A Federação Internacional de Ginástica (FIG) tomou uma decisão inusitada na tentativa de resolver a polêmica da final olímpica individual geral causada por erro dos juízes. Pediu nesta sexta-feira, em uma carta, que o norte-americano Paul Hamm devolva a medalha de ouro.

Hamm foi declarado campeão no último dia 18 por ter obtido a melhor nota entre os finalistas. Mas, após protesto da Coréia do Sul, a FIG reconheceu que houve erro na nota dada a Yang Tae-young, que acabou ficando com o bronze.

Em princípio, a FIG suspendeu três jurados, mas se recusou a alterar o resultado, alegando que isso era contra o regulamento. A Coréia do Sul sugeriu que o Comitê Olímpico Internacional (COI) desse uma segunda medalha de ouro a Tae-young. O presidente do COI, Jacque Rogge, negou o pedido nesta sexta.

Na carta dirigida a Paul Hamm, a FIG afirma que "o verdadeiro campeão é Yang Tae-young" e que a devolução da medalha seria "um ato supremo de espírito esportivo". Mas o Comitê Olímpico dos EUA se recusa a abrir mão da medalha de Hamm, o primeiro ouro obtido pelo país em Olimpíadas na individual geral masculina.

O comitê se recusou a transmitir a carta ao ginasta, que já está de volta aos EUA. Ofendidos, os norte-americanos responderam à FIG dizendo que o pedido era uma tentativa "descarada" da federação de se esquivar de seus próprios erros.

Hamm se recusou a comentar o assunto. Anteriormente, teria dito que não abriria mão da medalha a menos que recebesse uma ordem da FIG. O presidente da federação, Bruno Gandi, afirmou que dava a discussão como encerrada até ouvir esse comentário de Hamm, que lhe deu a oportunidade para sugerir a devolução do ouro.

 

27/08/2004

Resultados da Ginástica Rítmica Individual Geral

Fonte: Athens 2004 OnLine

Rank Name NOC Hoop Ball Clubs Ribbon Total
1 Alina KABAEVA  RUS TV
AV
EX
8.600  26.050  (2)
8.500
8.950
8.700  27.250  (1)
9.300
9.250
8.500  26.475  (2)
9.100
8.925
8.400  26.100  (2)
9.000
8.700
105.875 Q
2 Irina TCHACHINA  RUS TV
AV
EX
8.500  26.450  (1)
8.800
9.150
8.200  26.700  (3)
9.300
9.200
8.000  25.800  (4)
8.850
8.950
8.200  26.725  (1)
9.300
9.225
105.675 Q
3 Anna BESSONOVA  UKR TV
AV
EX
7.900  25.900  (4)
9.200
8.800
8.400  26.750  (2)
9.200
9.150
8.400  26.750  (1)
9.200
9.150
8.100  25.325  (3)
8.100
9.125
104.725 Q
4 Natalia GODUNKO  UKR TV
AV
EX
8.100  25.975  (3)
9.000
8.875
8.100  25.900  (5)
8.900
8.900
8.100  26.075  (3)
9.000
8.975
7.900  24.800  (5)
8.000
8.900
102.750 Q
5 Aliya YUSSUPOVA  KAZ TV
AV
EX
7.900  25.800  (5)
9.100
8.800
8.100  26.150  (4)
9.100
8.950
7.800  25.725  (5)
8.800
9.125
7.600  23.825  (8)
7.800
8.475
101.500 Q
6 Eleni ANDRIOLA  GRE TV
AV
EX
7.500  24.850  (9)
8.800
8.550
7.600  25.350  (6)
8.850
8.900
7.800  24.500  (9)
8.100
8.600
7.500  24.900  (4)
8.700
8.700
99.600 Q
7 Simona PEYCHEVA  BUL TV
AV
EX
7.800  25.475  (6)
9.000
8.725
7.900  24.800  (8)
8.700
8.300
7.800  24.700  (7)
8.450
8.450
7.700  23.725  (9)
7.700
8.475
98.700 Q
8 Inna ZHUKOVA  BLR TV
AV
EX
7.300  24.575  (10)
8.400
8.875
7.000  24.200  (12)
8.700
8.500
7.450  25.100  (6)
8.650
9.000
7.900  24.700  (6)
8.000
8.800
98.575 Q
9 Almudena CID  ESP TV
AV
EX
7.300  24.975  (7)
8.900
8.775
7.200  24.900  (7)
8.900
8.800
6.750  24.700  (7)
9.100
8.850
6.700  23.150  (12)
8.000
8.450
97.725 Q
10 Svetlana RUDALOVA  BLR TV
AV
EX
7.200  23.925  (12)
8.300
8.525
6.900  24.600  (9)
9.000
8.750
7.450  24.350  (10)
8.500
8.400
7.000  23.050  (13)
7.500
8.550
95.925 Q
11 Theodora PALLIDOU  GRE TV
AV
EX
7.000  24.150  (11)
8.600
8.550
7.100  24.475  (10)
8.800
8.575
6.900  23.200  (14)
7.600
8.700
6.700  23.400  (10)
8.200
8.600
95.225 R
12 Elizabeth PAISIEVA  BUL TV
AV
EX
7.600  24.975  (7)
8.600
8.775
6.400  21.975  (20)
7.800
7.825
7.200  23.850  (11)
8.300
8.350
7.100  23.975  (7)
8.300
8.625
94.775 R
13 Laura ZACCHILLI  ITA TV
AV
EX
6.700  23.925  (12)
8.800
8.425
7.000  24.225  (11)
8.800
8.425
6.800  23.250  (13)
8.300
8.150
6.400  22.700  (14)
8.200
8.100
94.100
14 Anna GURBANOVA  AZE TV
AV
EX
7.000  22.775  (15)
7.800
8.025
6.900  23.525  (13)
8.400
8.225
6.700  22.800  (17)
8.200
7.900
6.800  23.200  (11)
8.200
8.200
92.300
15 Mary SANDERS  USA TV
AV
EX
4.600  21.250  (19)
8.400
8.250
6.800  23.250  (14)
8.200
8.250
6.600  23.400  (12)
8.500
8.300
6.100  22.100  (16)
7.700
8.300
90.000
16 Katerina PISETSKY  ISR TV
AV
EX
6.200  22.675  (16)
8.200
8.275
6.400  22.750  (17)
8.100
8.250
6.400  23.100  (15)
8.200
8.500
6.000  21.425  (18)
7.100
8.425
89.950
17 Ling ZHONG  CHN TV
AV
EX
5.300  20.875  (20)
7.700
7.875
6.000  22.400  (19)
8.000
8.400
7.000  22.950  (16)
7.650
8.300
6.800  22.400  (15)
7.700
7.900
88.625
18 Yukari MURATA  JPN TV
AV
EX
6.100  21.775  (18)
7.900
7.875
5.800  22.425  (18)
8.300
8.325
6.500  22.400  (18)
7.400
8.500
6.000  21.550  (17)
7.700
7.900
88.150
19 Lisa INGILDEEVA  GER TV
AV
EX
6.500  22.825  (14)
8.000
8.325
6.800  22.900  (15)
8.100
8.000
5.500  22.150  (19)
8.300
8.350
5.500  19.650  (21)
7.300
7.050
87.525
20 Dominika CERVENKOVA  CZE TV
AV
EX
6.500  22.350  (17)
7.500
8.350
6.200  22.900  (15)
8.000
8.700
5.000  18.300  (24)
6.600
6.800
5.600  21.200  (20)
7.200
8.400
84.750
21 Hannah McKIBBIN  GBR TV
AV
EX
5.000  20.675  (21)
8.200
7.475
4.900  20.800  (21)
8.050
7.850
4.700  19.600  (20)
7.400
7.500
5.300  21.225  (19)
7.600
8.325
82.300
22 Stephanie SANDLER  RSA TV
AV
EX
4.300  18.550  (23)
6.900
7.350
4.000  18.525  (24)
7.000
7.525
5.100  19.100  (22)
6.200
7.800
4.200  17.100  (22)
6.000
6.900
73.275
23 Penelope BLACKMORE  AUS TV
AV
EX
5.100  19.575  (22)
6.700
7.775
4.300  19.325  (22)
7.200
7.825
4.900  19.600  (20)
7.200
7.500
3.500  14.550  (24)
4.700
6.350
73.050
24 Wania MONTEIRO  CPV TV
AV
EX
3.800  18.050  (24)
7.100
7.250
3.900  18.550  (23)
7.000
7.650
4.800  18.400  (23)
6.500
7.300
3.400  16.900  (23)
6.300
7.200
71.900
 
Legend
DNS  -  Did not start
DNF  -  Did not finish
DSQ  -  Disqualified
WD  -  Withdrawn
R  -  Reserve
NOC  -  NOC
TV  -  Technical Value
AV  -  Artistic Value
EX  -  Execution
Q  -  Qualified for Final
 -  Hoop
 -  Ball
 -  Clubs
 -  Ribbon

 

27/08/2004

Russa favorita encerra fase classificatória na liderança

Fonte: UOL

A ginasta russa Alina Kabaeva encerrou a fase classificatória da competição individual geral de ginástica rítmica na primeira colocação. A competidora de 21 anos fez uma impressionante apresentação ao som de música de discoteca que empolgou o público do ginásio Galatsi.

Kabaeva encerrou a sua primeira performance do dia perdendo para sua compatriota Irina Tchachina por 0,1 na pontuação. A recuperação ocorreu somente na segunda apresentação. Assim como na competição de quinta-feira, Kabaeva terminou o dia no topo com 105,875 pontos.

A medalha de ouro é o único título importante que falta à carreira de Kabaeva. A ginasta russa já conquistou dois Campeonatos Mundiais, cinco Europeus, além do bronze em Sydney-2000.

Anna Bessonova manteve-se em terceiro com 104,725 pontos. Já a americana Mary Sanders, que protestou contra a pontuação recebida na performance com os arcos, sequer conseguiu classificar-se para a final, ficando em 15º. As 10 melhores se classificaram para as finais da competição.

26/08/2004

Dayane Camilo comemora aposentadoria com final olímpica

Fonte: UOL

Dayane Camilo já anunciou que encerrará sua participação na seleção brasileira de ginástica rítmica nos Jogos Olímpicos de Atenas. Única remanescente do grupo que foi a Sydney-2000, ela entende que chegou a hora de parar. Mas nada melhor do que fazer a última apresentação do esporte numa final olímpica. Nesta quinta-feira, ela ajudou o Brasil a se classificar para a final da modalidade, no sábado.

"Fiz muito pela ginástica rítmica. Lutei pelo nome do Brasil. Mas saio triste e feliz ao mesmo tempo, porque é meu esporte de coração", disse Dayane, após a classificação do Brasil para a final com a sétima colocação.

Antes mesmo de seguir para o Ginásio Olímpico de Galatsi, Dayane se emocionou na Vila dos Atletas e chegou a chorar. Durante sua primeira apresentação, ela acabou comentendo uma falha, ao deixar a fita cair. "Esse é um aparelho traiçoeiro. Ë muito fino e difícil de manusear", explicou, reconhecendo que o grupo estava um pouco ansioso.

Nesta sexta-feira, o Brasil vai aproveitar o dia de folga para corrigir os erros. "Vamos treinar nesta sexta-feira, para acertar alguns detalhes da fita", comentou ela, satisfeita com o desempenho da equipe na série de arco e bola. "Foi tudo perfeito". Dayane lembrou ainda que as brasileiras têm a série mais difícil no mundo de ser executada.

Ana Maria Maciel, por seu lado, ficou emocionada com mais uma classificação brasileira para a final olímpica. "Estamos felizes. As notas foram justas. Vamos treinar a fita e corrigir os erros, mas foi tudo muito bom", comentou a brasileira, dizendo que a equipe vai brigar com Bulgária, Grécia, China e Belarus para subir de posição. Em Sydney-2000, as brasileiras também passaram para as finais em sétimo lugar, mas terminaram na oitava colocação.

Outro motivo de alegria para Ana Maria foi o incentivo que a equipe recebeu da treinadora Barbara Lafrranchi e da assistente técnica Camila Ferezin durante as apresentações. "A gente sabia que estávamos indo bem, pelos gritos que vinham de fora", finalizou.

 
26/08/2004

Confira os resultados da etapa de Qualificação da GR

Fonte: Athens 2004 OnLine

Rank NOC
5 Ribbons
3 Hoops + 2 Balls
Total
1  RUS - Russia TV
AV
EX
8.200  24.700  (1)
9.100
7.500
8.000  25.175  (2)
9.100
8.075
49.875 Q
2  ITA - Italy TV
AV
EX
7.300  22.850  (3)
8.400
7.250
7.900  25.325  (1)
9.200
8.225
48.175 Q
3  BUL - Bulgaria TV
AV
EX
7.600  22.300  (6)
7.500
7.200
7.800  24.600  (3)
9.000
7.800
46.900 Q
4  GRE - Greece TV
AV
EX
7.700  22.700  (4)
8.300
6.800
7.400  23.700  (5)
8.800
7.500
46.400 Q
5  CHN - China TV
AV
EX
7.400  22.300  (5)
8.200
7.000
7.200  23.800  (4)
8.600
8.000
46.100 Q
6  BLR - Belarus TV
AV
EX
7.400  23.200  (2)
8.600
7.200
7.200  22.500  (9)
8.400
6.900
45.700 Q
7  BRA - Brazil TV
AV
EX
7.000  21.450  (7)
8.200
6.250
7.000  23.500  (6)
8.800
7.700
44.950 Q
8  ESP - Spain TV
AV
EX
7.000  21.200  (8)
7.400
6.800
7.100  23.400  (7)
8.400
7.900
44.600 Q
9  UKR - Ukraine TV
AV
EX
6.300  19.350  (10)
7.300
5.750
7.100  22.800  (8)
8.900
6.800
42.150 R
10  POL - Poland TV
AV
EX
6.300  20.725  (9)
7.900
6.625
6.200  21.050  (10)
8.100
6.950
41.775 R

Legend
5 Ribbons
 -  5 Ribbons
DNS  -  Did not start
DNF  -  Did not finish
DSQ  -  Disqualified
WD  -  Withdrawn
R  -  Reserve
3 Hoops + 2 Balls
 -  3 Hoops + 2 Balls
NOC  -  NOC
TV  -  Technical Value
AV  -  Artistic Value
EX  -  Execution
Q  -  Qualified for Final

 

26/08/2004

Apresentação impecável coloca o Brasil na final da GR

Fonte: UOL

O quinteto brasileiro da GR (Ginástica Rítmica) assegurou presença na final da competição por equipes ao conseguir uma apresentação impecável na evolução com bola e arco.

As brasileiras compensaram as pequenas falhas da coreografia com fitas, somando 23.500, ficando entre as oito primeiras na colocação geral.

Na coreografia com arco e bola, a segunda que conta pontos para o processo de classificação para a final, Larissa Barata substituiu Tayanne Mantovanelli no conjunto brasileiro. Dayane Camillo, Ana Maria Maciel, Fernanda Cavalieri e Jennifer Oliveira completaram o quinteto nacional.

Nas fitas, Dayane Camillo, única remanescente da equipe que foi aos Jogos de Sydney, cometeu a única falta grave da apresentação brasileira, ao deixar cair a fita na parte final da evolução.

A final da competição por equipes da ginástica rítmica desportiva está agendada para o próximo sábado, em Atenas.

A previsão é que briga pelo topo do pódio deva ficar entre Rússia, ouro em Sydney-2000 e atual campeã européia, e Belarus, medalha de prata.

A equipe brasileira foi definida desde o começo deste ano pela técnica Bárbara Laffranchi, com base nas atletas que conquistaram o ouro no Pan-Americano de Santo Domingo-2003 e o oitavo lugar no Mundial disputado também no ano passado.

26/08/2004

Brasileiras da GR se apresentam com poucas falhas

Fonte: UOL

O quinteto brasileiro do GR (Ginástica Rítmica) foi o nono a se apresentar nesta quinta-feira, na fase de classificação da modalidade nas Olimpíadas. As representantes do Brasil debutaram com uma apresentação regular, com poucas falhas.

Dayane Camillo, única remanescente da equipe que foi aos Jogos de Sydney, cometeu a única falta grave da apresentação brasileira, ao deixar cair a fita na parte final da evolução. Ana Maria Maciel, Fernanda Cavalieri, Jennifer Oliveira e Tayanne Mantovanelli completaram o quinteto nacional.

Na coreografia com arco e bola, a segunda que conta pontos para o processo de classificação para a final, Larissa Barata entrará no conjunto brasileiro lugar de Tayanne Mantovanelli.

A equipe foi definida desde o começo deste ano pela técnica Bárbara Laffranchi, com base nas atletas que conquistaram o ouro no Pan de Santo Domingo-2003 e o oitavo lugar no Mundial disputado também no ano passado.

A previsão é que briga pelo topo do pódio deva ficar entre Rússia, ouro em Sydney-2000 e atual campeã européia, e Belarus, medalha de prata.

26/08/2004

"Já estamos ficando velhinhas", diz Daiane na volta ao Brasil

Fonte: UOL - Cybelle Young

Com as atenções voltadas principalmente para Daiane dos Santos, a equipe brasileira de ginástica chegou na manhã desta quinta-feira a São Paulo. A atleta, como os demais que não chegaram à meta esperada em Atenas, já fala nas Olimpíadas de Pequim-2008. Mas reconhece: "estamos ficando velhinhas", referindo-se a ela, que tem 21 anos, e a Daniele Hypólito, 19. "Vamos tentar acompanhar o ritmo das novas ginastas, que estão se destacando cada vez mais."

Daiane tornou a responder perguntas sobre os erros cometidos na final do solo, que acabaram com as esperanças de ouro e a deixaram apenas em quinto. Ela manteve o discurso de Atenas. "Fiquei um pouco nervosa mesmo, quem não ficaria, ainda mais representando o país em um evento como a Olimpíada?", comentou.

Ao contrário do que pensa seu técnico, o ucraniano Oleg Ostapenko, a ginasta nega que a cirurgia no joelho, feita pouco mais de um mês antes dos Jogos, tenha atrapalhado. "Não teve nada a ver com meu joelho, não senti dor alguma, foi uma falha mesmo. Agora é questão de treinar mais e, quem sabe, fazer melhor em Pequim-2008..."

Daiane exaltou seu resultado. "Acho que foi excelente. Tudo bem, foi um quinto lugar, não é igual a uma medalha, mas para o Brasil é um resultado muito bom. Pôxa, pra quem estava em décimo-oitavo passar para o quinto é maravilhoso...!"

Em Atenas, o Brasil teve pela primeira vez uma equipe em Olimpíadas. Na individual geral, também superou a melhor marca de sua história, que era o 20º lugar de Daniele Hypólito em Sydney-2000. Desta vez, Daniele foi a 12ª colocada. Camila Comin, estreante na final, terminou em 16º lugar.

Camila, 20, se disse feliz com seu resultado no individual. E observou quais foram as falhas da equipe, que não se classificou para a final. "Nosso time precisa melhorar na trave, principalmente. Na nota de partida e na evolução, ainda é preciso fazer uns ajustes", avalia. "A única que é mais ou menos boa na trave é a Dani... Mas ainda faltam quatro anos para as próximas Olimpíadas, então ainda temos tempo para tudo isso."

26/08/2004

Canadense diz que foi pressionado a dar nota maior a ginasta

Fonte: UOL

Um juíz canadense que atuou nas finais por aparelhos da ginástica artística em Atenas afirmou nesta quinta-feira que deu notas maiores porque foi pressionado pelo público. Ele disse que melhorou a nota dada ao russo Alexei Nemov na barra fixa, nesta segunda, depois que a platéia vaiou os jurados por dez minutos pela nota final divulgada.

Nemov recebeu inicialmente a nota 9,725, mas, conforme os resultados oficiais, terminou com 9,762. Mesmo assim ficou fora da briga pela medalha, terminando em quinto.

Segundo Chris Grabowecky, a platéia estava "fora de controle" e uma autoridade lhe pediu "que fizesse alguma coisa" para resolver a questão. "É difícil descrever a pressão sob a qual estávamos. Eram 13 mil pessoas gritando e as pessoas que comandam o evento pedindo que a gente fizesse alguma coisa", disse o juiz, que é ex-ginasta e exerce esta função desde 1993.

O pedido para melhorar a nota de Nemov -que buscava sua primeira medalha em Atenas e a 13ª de sua carreira- teria partido de Adrian Stoica, o coordenador oficial do evento. "Eu percebi que Stoica fez um sinal com a mão, me chamando. Ele me deu um olhar enfático e eu imediatamente fiz a correção", narrou o canadense.

Grabowecky diz que atendeu Stoica porque teve medo de ser retirado da mesa de jurados, caso se recusasse a mudar a nota. "Não deveríamos julgar nenhum esporte com base na reação da multidão. Não acredito que isso seja adequado", comentou.

24/08/2004

Erros e protestos sobre notas mancham a ginástica em Atenas

Fonte: UOL

Quatro anos depois de ver sua campeã geral ser pega no antidoping, a ginástica artística volta a viver um momento ruim em Olimpíadas. Já afastados da polêmica de doping, dessa vez o esporte ocupou as manchetes com erros de pontuação e medalhas que só devem ser decididas no tapetão.

Nesta terça-feira, o programa do esporte terminou em Atenas com a exibição de gala dos campeões. Nos bastidores, porém, as disputas continuam. O resultado de pelo menos quatro provas está sendo contestado.

Na segunda-feira, após as finais da prova de barra fixa, o russo Alexei Nemov foi aplaudido pelo público, mas por decisão dos juízes, ele ficou só com o quinto lugar. Os torcedores, então, começaram a vaiar o resultado e só pararam depois de dez minutos, quando o próprio Nemov subiu ao pódio para pedir silêncio.

No domingo, o grego Dimosthenis Tampakos levou o ouro nas argolas, mas a Bulgária contesta o resultado. A FIG rejeitou nesta terça-feira um pedido de revisão das notas do campeão mundial Jordan Jovtchev.

Por regras da entidade, um atleta não pode pedir revisão das notas de outro competidor. E é justamente a nota de Tampakos que gerou os protestos. Segundo os búlgaros, a nota foi alta demais para a rotina apresentada pelo grego, primeiro atleta do país-anfitrião a conquistar o ouro nas argolas.

No sábado, foi a vez de outro membro da delegação russa reclamar. Ginasta mais vitoriosa que estava participando dos Jogos, Svetlana Khorkina ficou com a medalha de prata na final individual geral, atrás da norte-americana Carly Patterson. A um jornal russo, ela disse que "antes mesmo de competir na primeira prova, já sabia que não iria ganhar a medalha de ouro".

O caso mais grave, porém, aconteceu na sexta-feira. A Coréia do Sul reclama que a medalha de ouro no individual geral, dada ao norte-americano Paul Hamm, deveria ter sido dada a Yang Tae-young, que ficou com o bronze. Os juízes erraram a nota de partida do sul-coreano e por isso ele ficou com uma nota inferior.

A FIG suspendeu três juízes, mas não mudou o resultado. Os sul-coreanos anunciaram que vão apelar à Corte de Arbitragem Esportiva (CAS), que está fazendo audiências em Atenas durante os Jogos. O CAS, porém, ainda não recebeu os protestos. Os Estados Unidos avisaram que concordariam com uma eventual divisão da medalha de ouro, mas FIG e Coréia do Sul ainda não deram parecer sobre a idéia.

Perseguição russa
A Rússia, aproveitando a comoção causada pelas duas derrotas, está elaborando um protesto-monstro contra a FIG. O plano é mandar uma carta diretamente ao COI (Comitê Olímpico Internacional), reclamando, além das decisões sobre Khorkina e Nemov, de outras notas dadas a seus ginastas.

"A reação do público no caso de Nemov mostra que estamos certos com nossos protestos", disse Gennady Shvets, porta-voz do Comitê Olímpico Russo.

Khorkina, que não deve mais disputar as Olimpíadas, pediu alterações nas regras. "Eu fiz praticamente tudo certo e simplesmente me deixaram de lado. Acho que o esporte tem de sofre várias mudanças", disse a ginasta, que antes dos Jogos afirmou que quer trabalhar na FIG quando parar de competir.

Essa não é a primeira vez que a Rússia protesta contra juízes. Nos Jogos de Inverno de Salt Lake City, em 2002, o Comitê Olímpico ameaçou abandonar as competições após erros de juízes contra atletas gregos. As reclamações envolviam juízes de patinação artística, hóquei no gelo e esqui cross country.

 

23/08/2004

Daiane reconhece que nervosismo prejudicou seu desempenho

Fonte: UOL

A ginasta Daine dos Santos mostrou serenidade ao reconhecer o nervosismo durante sua apresentação no solo pelas finais por aparelho dos Jogos Olímpicos de Atenas, nesta segunda-feira, no Ginásio Olímpico. Com isso, acabou cometendo um erro depois de executar o duplo twist esticado.

"O excesso de vontade e nervosismo às vezes atrapalha bastante. Dei três passos e ultrapassei a linha. Só ali devo ter perdido 0,3 pontos. Não digo que estou frustrada, mas um pouco triste. Não pela medalha, mas porque eu poderia ter feito melhor hoje", comentou a brasileira, que terá seu duplo twist esticado batizado pela Federação Internacional (FIG) como "Dos Santos", assim como ocorreu com o duplo twist carpado após o Mundial de Anaheim, no ano passado.

Demonstrando maturidade, ela conversou com a imprensa durante longo tempo, não deixando de responder nenhuma pergunta e afirmou que a contusão no joelho não a atrapalhou. "Fiz a mesma série várias vezes no treinamento e acertei. Aqui acabei errando. Tive ansiedade, pois fiquei uma semana esperando por esse dia. Mas isso faz parte do esporte. Agora voltarei para o Brasil e treinarei ainda mais para a próxima competição", disse.

Entretanto, o próprio técnico da atleta, o ucraniano Oleg Ostapenko, disse que a contusão prejudicou a preparação. "Depois da contusão, ela só conseguiu competir dois meses. Isso atrapalhou bastante sua preparação e desempenho na prova", disse o treinador.

Daiane, que disputará nos dias 11 e 12 de dezembro a final da Copa do Mundo, em Birmingham, na Inglaterra, revelou que foi opção dela e de Ostapenko escolher uma série mais radical, com a execução do duplo twist esticado e carpado.

"Eu poderia ter vencido se tivesse optado por uma mais conservadora. Mas não me arrependo de nada. Tive uma cobrança pessoal, podia muito bem ter feito a outra série. Sabia do risco e resolvi assumir. Podia estar mais feliz se o resultado fosse melhor. Mas estou contente por ter superado, desde o ano passado, duas operações e chegar aonde eu queria. Fui reserva em Sydney e agora a primeira brasileira a disputar uma final olímpica", declarou a atleta, que já passou por duas cirurgias no joelho direito e uma no esquerdo.

A atual campeã mundial do solo sentiu que ficara fora da disputa pelo pódio logo após sua apresentação. "O atleta sente quando não foi bem", disse. Mas demonstrou espírito olímpico ao revelar que não torceu contra as suas adversárias na seqüência. "Isso não é ganhar. Isso é pior do que perder. O vencedor vê que perdeu e luta para ganhar na próxima", afirmou.

A ginasta brasileira fez questão de elogiar o desempenho da medalhista de ouro, a romena Catalina Ponor. "Ela está de parabéns. Já tinha dito que ela era a minha principal rival. Ela merece. É uma menina exata, que não comete erros. Também treinou muito para estar aqui".

Quanto ao seu futuro dentro da ginástica, Daiane dos Santos não quis confirmar que vai disputar os Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. "Não sei se vou aguentar mais quatro anos. É muito tempo pela frente. Fui reserva em Sydney e fiquei com tanta raiva que resolvi continuar treinando para estes Jogos Olímpicos. Pode ser que eu vá para Pequim ou não", comentou a atleta, que deve ter uma semana de férias antes de retomar os treinos no Centro de Excelência, em Curitiba.

 

23/08/2004

Vaias para os juízes roubam a cena nas finais do masculino

Fonte: UOL

O russo Alexei Nemov, dono de quatro medalhas de ouro olímpicas, encerrou uma apresentação que o público julgou brilhante na barra fixa, sua especialidade. Mas quando esperava-se que ele roubaria a cena na final individual por aparelhos, foram os juízes que passaram a protagonistas do evento desta segunda-feira, ao lhe dar apenas a nota 9,725 e receberem, por dez minutos seguidos, um coro de vaias.

Paul Hamm, dos Estados Unidos, que era o próximo a ser apresentar, sentou-se para esperar a revolta dos espectadores passar. Nemov, sensibilizado com o apoio do público, pedia que as vaias parassem.

Esta foi apenas mais uma polêmica envolvendo juízes da ginástica artística em Atenas. Dois resultados estão sendo formalmente questionados, ambos no masculino. Um é o ouro na individual geral, obtido na última quarta pelo norte-americano Hamm, primeiro de seu país a conquistar este título.

A Coréia do Sul reclama que a medalha deveria ter sido dada a Yang Tae-young, que acabou ficando com o bronze, por causa de erros das notas. A Federação Internacional de Ginástica (FIG) suspendeu três juízes, mas não mudou o resultado. Os sul-coreanos estão apelando à Corte de Arbitragem Esportiva (CAS).

A Bulgária contesta o título do grego Dimosthenis Tampakos obtido neste domingo, nas argolas. Para conquistar o primeiro título neste aparelho para o país-anfitrião, desde a primeira Olimpíada, em 1896, ele superou o campeão mundial Jordan Jovtchev por diferença de apenas 0,012 na pontuação.

Últimos campeões

Nesta terça-feira, último dia de competição na ginástica artística, foram disputadas as finais em três aparelhos para homens. Na barra fixa, com Nemov fora da briga pelo pódio, o italiano Igor Cassina obteve a mesma nota (9,812) que Paul Hamm, mas levou vantagem nos critérios de desempate. O bronze foi para o japonês Isao Yoneda (9,787).

No salto sobre o cavalo, o melhor foi o espanhol Gervasio Deferr, com a média de 9,737 após dois saltos. A prata ficou com o Evgeni Sapronenko, da Letônia (9,706). E o bronze, com o romeno Marian Dragulesco (9,612).

O ucraniano Valeri Goncharov foi o campeã nas barras paralelas (9,787), superando o japonês Hiroyuiki Tomita (prata, 9,775) e o chinês Li Xaopeng (9,762), outro veterano campeão olímpico.

Todos os medalhistas estarão reunidos nesta quarta-feira para a exibição de gala, que encerra a ginástica em Atenas.

 

23/08/2004

Resultados das provas por aparelhos da Ginástica Feminina

Fonte: Gymmedia

SALTO 
1. ROSU, Monica ROM 9,656 
2. HATCH Annia USA 9,481 
3. PAVLOVA, Anna RUS 9,475 
4. ZAMOLODCHIKOVA, Elena RUS 9,412 
5. KANG, Yun Mi PRK 9,381 
6. KVASHA, Alona UKR 9,343 
7. WANG, Tiantian CHN 9,081 
8. CHACON, Corali FRA 4,456 

R1 Olga Sherbatykh UKR 
R2 Cheng Fei CHN 
R3 Mohini Bhardwaj USA 


PARALELAS ASSIMÉTRICAS 
1. LEPENNEC, Emilie FRA 9,697 
2. HUMPHREY, Terin USA 9,662 
3. KUPETS, Courtney USA 9,637 
4. PYON, Kwan Sun PRK 9,600 
5. LI, Ya CHN 9,562 
6. SAFRONIE, Nicoletta ROM 9,462 
7. LIN, Li CHN 9,200 
8. KHORKINA, Svetlana RUS 8,925 

R1 Irina Krasnyanskaya UKR 
R2 Beth Tweddle GBR 
R3 Daniele Hypolito BRA 



TRAVE 
1. PONOR, Catalina ROM 9,787 
2. PATTERSON, Carly USA 9,775 
3. EREMIA, Alexandra ROM 9,700 
4. PAVLOVA, Anna RUS 9,587 
5. KUPETS, Courtney USA 9,375 
6. ZHANG, Nan CHN 9,237 
7. LI, Ya CHN 9,050 
8. SLATER, Allana AUS 8,750 

R1 Sara Moro ESP 
R2 Irina Yarotskaya UKR 
R3 Lyudmila Yezhova RUS 


SOLO 
1. PONOR, Catalina ROM 9,750 
2. SOFRONIE, Nicoletta ROM 9,562 
3. MORENA, Patricia ESP 9,487 
4. CHEN, Fei CHN 9,412 
5. dos SANTOS, Daiane BRA 9,375 
6. BHARDWAJ, Mohini USA 9,312 
7. RICHARDSON, Kate CAN 9,312 
8. KOZICH, Alina UKR 8,500 

R1 Carly Patterson USA 
R2 Elena Gomez ESP 
R3 Mirabella Akhunu UKR 

 

23/08/2004

Catalina Ponor é o grande nome da ginástica em Atenas

Fonte: UOL

A romena Catalina Ponor foi o grande nome da ginástica artística nos Jogos Olímpicos de Atenas. A ginasta de 17 anos sai da Grécia com três medalhas de ouro. Àquela conseguida por equipes, na última terça, se juntaram as duas individuais, na trave e no solo, conquistadas nesta segunda-feira, na final por aparelhos.

A ginasta de 1,55 m e 46 kg despontou no Mundial de Anaheim, ano passado, quando ajudou a Romênia a ganhar a medalha de prata da competição por equipes. Ponor também saiu com a prata no solo, perdendo para a brasileira Daiane dos Santos, e na trave.

Já em 2004, a romena foi o principal nome da conquista de seu país no Campeonato Europeu.

Nesta segunda, na disputa na trave individual, Ponor obteve a nota 9,787 e bateu a norte-americana Carly Patterson (prata com 9,775), campeã do torneio individual geral, e a compatriota Alexandra Eremia (bronze, 9,700).

No solo, com a nota de 9,750, superou a companheira de equipe Nicoleta Sofronie (prata, 9,562) e a espanhola Patrícia Moreno (bronze, 9,487). Daiane dos Santos, quinta colocada, não lhe fez concorrência.

A apresentação de Ponor no solo já havia sido decisiva para que a Romênia conquistasse o bicampeonato por equipes. Ela a última a entrar no tablado e recebeu 9,750, superando os 9,687 recebidos durante as classificatórias, quando já havia sido a ginasta que melhor se apresentou.

Com o desempenho de Ponor nesta segunda, a Romênia termina a competição de ginástica feminina com seis ouros, empatada com a equipe norte-americana no topo da tabela de medalhas do esporte.

Todos os medalhistas estarão reunidos nesta quarta-feira para a exibição de gala, que encerra a ginástica artística em Atenas.

23/08/2004

Daiane se desequilibra e deixa escapar pódio inédito

Fonte: UOL - Murilo Garavello

Acabou com dois pousos desequilibrados o sonho do pódio de Daiane dos Santos. O "Brasileirinho", música que embalou sua apresentação na final do solo olímpico, desandou, e a ginasta gaúcha saiu bufando da área de competição.

Antes de saber sua pontuação, virou para seu técnico, o ucraniano Oleg Ostapenko, e disse: "Acabou". Visivelmente chateada, balançou a cabeça, deu de ombros. A Oleg sobrou consolar sua pupila.

O ouro e a prata foram para a Romênia, com Catalina Ponor e Nicoleta Sofronie, respectivamente. Sofronie, inclusive, era reserva e só entrou na disputa por uma contusão. O bronze ficou com Patrícia Moreno, da Espanha, outra potência emergente da ginástica.

A pontuação da brasileira, de 9,375, foi muito baixa e não a classificaria para a final da prova. A nota que Daiane obteve hoje foi menor do que a da fase de classificação (9,637) em Atenas e inferior às cinco apresentações que a levaram ao primeiro lugar do ranking da ginástica (Mundial e etapas da Copa do Mundo). Nesta segunda, a brasileira perdeu 0,1 ponto por, após um dos desequilíbrios, ter pisado fora da área de salto. E ficou com o quinto lugar.

Foi-se o sonho de ser a primeira negra a ganhar um ouro na ginástica em Olimpíadas. E de ganhar o primeiro pódio olímpico na modalidade para o Brasil.

"Tive uma falha grande. É uma coisa que acontece. E aconteceu, não adianta ficar chorando", disse após a prova.

Apontada como favoritíssima como o velejador Robert Scheidt, que levou o ouro neste domingo, ela sofreu com a pressão. Ao contrário do iatista, que ganhou na regularidade, Daiane perdeu o pódio pela exigência de fazer uma apresentação impecável, sem chance de repetição.

"Estava nervosa. Foi mais por mim mesma, não pela pressão dos outros. Tem de ter um controle emocional grande", admitiu a ginasta.

A torcida no ginásio ateniense chegou a vaiar três pontuações, da chinesa Fei Cheng, da norte-americana Mohini Bhardwaj e a canadense Kate Richardson. Mas não após a pontuação de Daiane, que concordou com sua nota. "Você percebe quando erra. Eu me daria a mesma pontuação", disse.

De qualquer forma, com a quinta posição, Daiane teve a melhor posição do Brasil na ginástica -em Sydney-2000, o país festejou o inédito 20º lugar de Daniele Hypólito no individual geral. A gaúcha é a primeira brasileira a fazer uma final de aparelho em Olimpíadas.

Daiane também entrou para a história como a primeira ginasta brasileira medalha de ouro em um Mundial, há um ano. Além disso teve quatro ouros em etapas da Copa do Mundo neste ano. Daí o favoritismo unânime dedicado a ela pelo mundo da ginástica. E o sentimento de frustração com que a brasileira saiu de cena em Atenas.

Depois de ganhar medalhas no Pan-Americano de 1999 e receber os primeiros holofotes, não se classificou para Sydney-2000. Passou quatro anos praticamente incógnita, no ostracismo que os brasileiros dedicam aos olímpicos na entressafra. Em janeiro de 2003, aos 19 anos e sem muito alarde, deixou a família em Porto Alegre e passou a morar em Curitiba, em uma casa coletiva para as ginastas. Aprendeu a conviver 24 horas diárias com pessoas de personalidades díspares.

Carismática e dedicada aos treinos -é chamada de "robozinho" por Georgette Vidor, ex-técnica de Daniele Hypólito-, aos poucos conquistou o técnico ucraniano Oleg Ostapenko, que hoje a trata como a uma filha. E foi justamente o "casamento" do potencial físico de Daiane e do conhecimento técnico de Oleg que forjaram o "Michael Jordan da ginástica", nas palavras do técnico da seleção romena bicampeã olímpica Octavian Belu.

Daiane ainda escreveu seu nome na história da ginástica ao executar com perfeição dois saltos de altíssima dificuldade, nunca realizados no feminino. O duplo-twist carpado já se chama "Dos Santos". O duplo-twist esticado, ainda mais difícil, aguarda o referendo da Federação Internacional para receber denominação similar.

Nesta segunda, porém, eles não funcionaram. Com as falhas, a fama de "Michael Jordan" seguirá restrita ao mundo da ginástica - Daiane foi uma das menos aplaudidas pelo ginásio olímpico. Os brasileiros ainda tentaram consolá-la: na saída, ouviu gritos: "Valeu, Daiane". Ela olhou, agradeceu acenando, mas não escondeu o sorriso, amarelo e envergonhado. Muito diferentes daqueles com que encantou o Brasil e abriu os olhos nacionais para a ginástica.

23/08/2004

Bulgária contesta ouro nas argolas

Fonte: UOL

A Bulgária contestou o resultado da final de argolas do torneio de ginástica. De acordo com Zdravka Jordanova, porta-voz da federação búlgara, a medalha de ouro deveria ter ido para as mãos do ginasta búlgaro Jordan Jovtchev e não para o grego Dimosthenis Tampakos.

"O resultado do juiz não estava correto", disse a porta-voz, acrescentando que Tampakos - cuja vitória por uma margem curta provocou uma onda de comemorações na Grécia - recebeu crédito muito alto para sua rotina de acrobacias.

A medalha de de Tampakos deu à Grécia o primeiro título nas argolas desde o início dos Jogos da era moderna em 1896. Tampakos superou o campeão mundial Jovtchev por um diferença de apenas 0,012 na pontuação. O grego marcou na final 9,862 pontos, enquanto Jovtchev fez 9,850.

Esta é a segunda vez que um resultado na ginástica é contestado em Atenas. Na final individual geral, o norte-americano Paul Hamm recebeu injustamente a medalha de ouro devido a um erro na pontuação do sul-coreano Yang tae-young, que acabou ficando com o bronze. A FIG decidiu manter o resultado baseado no fato de que a Coréia do Sul apelou muito tarde contra o resultado.

No caso do medalha de prata búlgaro, a contestação foi realizada ainda no dia da competição. "Nós notificamos a Federação Internacional de Ginástica (FIG) na noite de domingo e ainda esperamos por uma resposta", afirmou Jordanova.

22/08/2004

Khorkina erra e ouro nas barras vai para a França

Fonte: UOL

Favorita ao ouro nas barras assiméticas, a russa Svetlana Khorkina teve nova decepção, a exemplo de Sydney-2000. Neste domingo, no primeiro dia de disputa de medalha por aparelhos na ginástica artística, ela cometeu um erro e ficou em último lugar entre as oito finalistas do exercício que é sua especialidade.

A exemplo da brasileira Daiane dos Santos, que com seu nome teve batizado um salto de solo, Khorkina dá nome a dois movimentos nas assimétricas, mas não conseguiu repetir na decisão de medalha as boas performances apresentadas na classificatória, na prova por equipes e na final individual. Ela recebeu a nota 8,925.

O ouro ficou com a francesa Emilie Lepennec, com 9,687. Duas norte-americanas completaram o pódio: Terin Humphrey obteve a prata (9,662) e Courtney Kupets, o bronze (9,637).

No salto sobre o cavalo, a romena Monica Rosu conquistou o ouro com a nota 9,656. A prata foi para a norte-americana Annia Hatch (9,481). E Anna Pavlova, da Rússia, conquistou o bronze (9,475).

A disputa por medalhas em aparelhos segue nesta segunda, com a brasileira Daiane dos Santos na final do solo.

 

22/08/2004

Khorkina diz que foi roubada na final individual geral

Fonte: UOL

A ginasta russa Svetlana Khorkina afirmou neste sábado, a um jornal de seu país, que foi roubada pelos juízes na final da individual geral, disputada na última quinta-feira. Em sua última Olimpíada, a atleta de 27 anos, tricampeã mundial, ficou com a medalha de prata. O ouro foi para a norte-americana Carly Patterson.

Para Khorkina, conhecida pelo temperamento forte, a vencedora foi decidida antecipadamente. "Estou furiosa", diz a russa ao jornal Izvestia. "Eu já sabia que, antes mesmo de pisar no tablado para meu primeiro aparelho, eu era a perdedora", acusou. "Tudo foi combinado antes. Eu não me iludi quando os juízes me deram 9,462 pelo salto no cavalo depois de conferirem a nota um com o outro."

"Fiz tudo praticamente certo, mas assim eles armaram para mim e me roubaram", disse Khorkina.

A ginasta, porém, não soube explicar o motivo da "perseguição" e sinalizou que seria ainda um resquício da Guerra Fria. "Acho que é porque sou da Rússia e não da América", especulou.

Curiosamente, quando recebeu a prata na última quinta, Khorkina não se mostrou contrariada. "Acho que é o melhor dia da minha vida", afirmou, após a cerimônia de medalhas.

Falando sobre a ginasta campeã, Khorkina pôs em dúvida o merecimento do ouro. "Vamos ver por quanto tempo ela se mantém no topo. Quero ver se ela vai seguir competindo e se chegará a duas Olimpíadas, como eu."

Em Sydney-2000, sua estréia nos Jogos, Khorkina também era a favorita na geral, mas acabou ficando fora do pódio.

22/08/2004

Coréia do Sul vai à CAS para ganhar medalha na ginástica

Fonte: UOL

A Coréia do Sul vai apelar à Corte de Arbitragem do Esporte (CAS) contra as notas da final individual geral masculina de ginástica artística. Na sexta-feira, a Federação Internacional de Ginástica (FIG) admitiu que as notas foram dadas de forma errada e puniu os responsáveis.

Apesar de reconhecer o erro, a Federação Internacional de Ginástica (FIG) afirmou que o resultado da competição, cujo primeiro lugar foi conquistado pelo norte-americano Paul Hamm, seria mantido. Três juízes foram suspensos por erros nas notas de Yang Tae-young.

O porta-voz da CAS afirmou que considera difícil uma mudança. "Nós temos uma política clara: não decidimos nada que envolva nota, a não ser que suborno esteja envolvido. Mas vamos analisar o caso assim que ele chegar".

Na competição realizada na última quarta-feira, ele terminou com medalha de bronze. O problema foi que os juízes consideraram uma nota de partida menor do que a que o atleta coreano tinha apontado.

A FIG afirmou que as suspensões foram a maneira encontrada para "proteger a integridade da entidade e dos juízes, e de manter o alto nível da competição", mas que as "regras não permitem protestos sobre as notas dadas pelos juízes. Elas têm de ser aceitas como uma decisão final e não podem ser mudadas".

21/08/2004

Federação suspende juízes, mas mantém as notas dos ginastas

Fonte: UOL

Três juízes da ginástica artística foram suspensos pela federação internacional da modalidade nesta sexta-feira, em atenção a um protesto da equipe masculina da Coréia do Sul, que alegou que seu atleta Yang Tae-young foi predicado na final individual geral. Na competição realizada na última quarta, ele terminou com medalha de bronze.

Apesar de reconhecer o erro, a Federação Internacional de Ginástica (FIG) confirmou que o resultado da competição, cujo primeiro lugar foi conquistado pelo norte-americano Paul Hamm, será mantido. "As regras não permitem protestos sobre as notas dadas pelos juízes. Elas têm de ser aceitas como uma decisão final e não podem ser mudadas", alegou a federação em um comunicado oficial.

Hamm somou 57,823 pontos. Dae Eun Kim, da Coréia do Sul, foi o segundo, com 57,811. Yang teve 57,774.

A FIG afirmou que as suspensões foram a maneira encontrada para "proteger a integridade da entidade e dos juízes, e de manter o alto nível da competição".

21/08/2004

Ucraniano desbanca astro do trampolim e leva ouro

Fonte: UOL

Depois de Irina Karavaeva ter perdido a coroa de maior estrela do trampolim feminino para a alemã Anna Dognadze, outro russo deixou escapar seu status. Alexander Moskalenko, ouro em Sydney-2000, sucumbiu ao talento do ucraniano Yuri Nikitin, que levou o ouro da modalidade com a nota 41,5.

Já Moskalenko somou 41,2 pontos na final, o que foi suficiente para conquistar apenas a medalha de prata. O atual campeão mundial da modalidade, Henrik Stehlik , da Alemanha, ganhou o bronze com a pontuação 40,8.

"É claro que eu gostaria de ter ficado em primeiro lugar, mas não deu", disse Moskalenko. "Eu sou o segundo, mas eu tentarei de novo em Pequim-2008."

Moskalenko é considerado o maior nome do trampolim acrobático em todos os tempos. Ele se aposentou em 1994, depois de ganhar o seu quarto título mundial, mas com a inclusão do esporte no programa olímpico, o russo reconsiderou.

Moskalenko voltou a competir em 1998, e no ano seguinte já era campeão mundial. Com esse currículo, se tornou o primeiro campeão olímpico da modalidade, em Sydney-2000.

No ano passado, entretanto, ele foi batido por Nikitin. E o ucraniano repetiu o feito neste sábado.

"Agora que eu tenho uma medalha de ouro, não sei o que dizer", disse o campeão olímpico. "Estou realmente chocado."

20/08/2004

Coréia tenta mudar resultado na ginástica masculina

Fonte: UOL

Um protesto da Coréia do Sul pode mudar o resultado do individual geral masculino da ginástica artística. Nesta sexta-feira, a FIG (Federação Internacional de Ginástica) aceitou um apelo coreano para reavaliar as notas dadas na última quarta-feira.

O norte-americano Paul Hamm foi o campeão, com 57,823 pontos. Dae Eun Kim, da Coréia do Sul, foi o segundo, com 57,811, e seu compatriota Tae Young Yang foi terceiro, com 57,774.

O presidente da FIG, o italiano Bruno Grandi, avisou que a entidade aceitou o protesto e afirmou que "e houve erros, a FIG vai tomar as medidas necessárias para consertá-lo".

A federação não deu detalhes sobre o processo, mas as agências de notícias divulgaram que as notas do salto sobre o cavalo devem ser as que geraram o problema. Os dois sul-coreanos tiveram notas maiores no exercício durante a fase de classificação.

 

20/08/2004

Alemã conquista ouro e ofusca estrela russa do trampolim

Fonte: UOL

Conforme os especialistas já haviam previsto, o reinado da russa Irina Karavaeva no trampolim acrobático estava com os dias contados, desde que a Federação Internacional de Ginástica (FIG) mudou as regras da modalidade. Nesta sexta-feira, a alemã Anna Dogonadze levou o ouro na modalidade e pôs fim à hegemonia de Karavaeva, medalha de ouro em Sydney-2000.

A russa foi a maior decepção da disputa, amargando um 15º lugar entre 16 participantes. Depois de não conquistar uma das oito vagas para a final, Karavaeva revelou que estava contundida.

Com a estrela russa fora do páreo, a única ginasta que poderia fazer frente à exibição da alemã era a compatriota de Karavaeva, Natalia Chernova. Com a nota de 39,60, a alemã comemorou muito ao ver a performance ruim de Chernova na última apresentação. A russa despencou da liderança para o quarto lugar, com 38,60.

A medalha de prata em Atenas ficou para a canadense Karen Cockburn, com 39,20 pontos, e o bronze foi conquistado pela chinesa Shanshan Huang, com 39 pontos.

 

20/08/2004

Novas regras podem ofuscar "velha guarda" do trampolim

Fonte: UOL

Desde que foi introduzida nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, a competição de trampolim acrobático é uma das que mais atraem a atenção do público devido à plasticidade da apresentação de seus competidores.

Em Atenas, a disputa será ainda mais atraente. Isto se deve à mudança nas regras da modalidade que dará vazão à criatividade dos atletas e proporcionará maior beleza ao espetáculo. Para tornar os esporte mais atraente para a TV, a Federação Internacional de Ginástica (FIG) propôs a extinção dos exercícios de rotina. As acrobacias, portanto, ficarão a cargo da criatividade dos ginastas.

De acordo com especialistas, essa modificação poderá colocar em desvantagem os dois atletas mais cotados ao ouro, os russos Alexander Moskalenko e Irina Karavaeva, que ganharam o título olímpico em 2000. A dupla russa construiu sua rotina de acrobacias baseada em uma série obrigatória. Entretanto, desde que as mudanças foram introduzidas, eles foram ofuscados pela exibição original de seus adversários.

Com isso, novos aspirantes ao pódio surgiram como favoritos. No masculino, o ucraniano Yuri Nikitin emerge como o grande talento da modalidade após a mudança das regras, assim como o alemão Henrik Stehlik. No sábado, ambos tentarão quebrar a hegemonia de Moskalenko.

Já no feminino, as maiores adversárias de Karavaeva serão a canadense Karen Cockburn, campeã mundial, e a ucraniana Olena Movchan. A disputa das mulheres será nesta sexta-feira.

 

19/08/2004

Técnica diz: resultado dará confiança a Daiane

Fonte: Lancepress!

A técnica da equipe brasileira feminina, Eliane Martins, acredita que Daiane dos Santos, que disputa a final do solo na segunda-feira, poderá tirar proveito da boa participação das colegas Daniele Hypolito e Camila Comin na final individual geral, realizada nesta quinta-feira. Daniele ficou em 12º e Camila, em 16º, obtendo os melhores resultados da história da ginástica artística brasileira em Olimpíadas.

- Ela (Daiane) estava no ginásio e viu que as companheiras se saíram bem, garantiram boas colocações. Isso vai dar mais confiança a ela na disputa da próxima segunda-feira - disse Eliane.

- Agora vamos ficar na torcida pela Daiane - emendou Daniele, que reforçou a importância de ter superado o 20º lugar obtido por ela em Sydney, até então o melhor resultado do Brasil. - Essa colocação para mim foi como uma medalha de ouro.

Camila adotou o mesmo discurso:

- Ser a 16ª melhor do mundo em uma Olimpíada para mim é como ganhar uma medalha. É um resultado para ser comemorado bastante - disse.

Eliane revelou que a previsão inicial era de que Daniele ficasse entre as 15 primeiras e Camila, entre as 20.

- As duas foram além do esperado. À medida que evoluímos, as meninas adquirem mais segurança e firmeza. Antes, elas eram mais inseguras. Agora, com as competições internacionais, vão ficar ainda mais confiantes - disse.

Daniele admitiu que, apesar da evolução, as brasileiras ainda não têm condições de competir de igual para igual com as melhores do mundo.

- Temos que trabalhar muito ainda para disputar medalhas no futuro - afirmou.

19/08/2004

Resultados detalhados da Final Individual Geral

Fonte: Gymmedia

Rank Nome País Salto Assimétricas Trave Solo Total 
01  PATTERSON Carly USA 9.375 9.575 9.725 9.712 38.387 
02  KHORKINA Svetlana RUS 9.462 9.725 9.462 9.562 38.211 
03  ZHANG Nan CHN 9.325 9.462 9.662 9.600 38.049 
04  PAVLOVA Anna RUS 9.425 9.337 9.650 9.612 38.024 
05  SOFRONIE Nicoleta Daniela ROM 9.412 9.637 9.362 9.537 37.948 
06  YAROTSKA Irina UKR 9.200 9.650 9.400 9.437 37.687 
07  DEBAUVE Marine FRA 9.162 9.512 9.262 9.425 37.361 
08  GOMEZ Elena ESP 9.150 9.525 9.162 9.462 37.299 
09  KUPETS Courtney USA 9.275 9.625 8.975 9.237 37.112 
10  SLATER Allana AUS 9.175 9.362 9.212 9.350 37.099 
11  KOZICH Alina UKR 9.250 9.512 8.687 9.600 37.049 
12  HYPOLITO Daniele BRA 8.825 9.562 9.337 9.237 36.961 
13  WANG Tiantian CHN 9.375 9.537 8.725 9.162 36.799 
14  LEPENNEC Emilie FRA 9.300 9.687 8.112 9.537 36.636 
15  BISMPIKOU Stefani GRE 8.887 9.475 8.900 9.237 36.499 
16  COMIN Camila BRA 9.187 9.437 8.525 8.925 36.074 
17  PYON Kwang Sun PRK 8.525 9.587 8.850 8.900 35.862 
18  RICHARDSON Kate CAN 9.262 8.087 9.037 9.400 35.786 
19  TWEDDLE Elizabeth GBR 8.987 9.562 7.800 9.412 35.761 
20  MOORHOUSE Stephanie AUS 9.037 8.587 9.037 9.062 35.723 
21 LENNON Katy GBR 9.262 8.987 8.200 8.925 35.374 
22 GONZALEZ Calero Leyanet CUB 9.325 8.725 8.012 9.237 35.299 
23 VANWALLEGHEM Aagje BEL 9.225 9.075 8.287 8.275 34.862 
24  BANVILLE Melanie CAN 9.200 8.025 8.787 8.462 34.474 

19/08/2004

Daniele Hypólito fica em 12º na final individual geral

Fonte: Lancepress!

A brasileira Daniele Hypolito terminou em 12º lugar na final da competição individual geral da ginástica artística dos Jogos Olímpicos de Atenas, nesta quinta-feira. A ginasta fez com 36.961 pontos. Com o desempenho, superou a 20º colocação conseguida por ela na Olimpíada de Sydney, em 2000, e obteve a melhor posição do Brasil em uma Olimpíada na história da modalidade. Camila Comin, a outra brasileira que disputou a final, ficou na 16º posição, com 36.074 pontos.

- Estou muito feliz. Agora, é continuar treinando para melhorar cada vez mais - disse Daniele, em entrevista à ESPN Brasil.

A medalha de ouro na final individual geral ficou com a americana Carly Patterson, com 38.387 pontos. Na prova de solo, que fechou sua apresentação nesta quinta-feira, Patterson obteve nota melhor do que a da brasileira Daiane dos Santos nas eliminatórias. A final do solo será disputa na segunda-feira.

A russa Svetlana Khorkina foi prata, com 38.211 pontos, e a chinesa Nan Zhang foi bronze, com 38.049 pontos.

Com a vitória de Patterson, os Estados Unidos tomaram da China a liderança no quadro geral de medalhas. Os dois países têm 14 ouros, mas os EUA tem mais medalhas de prata.

Confira a classificação da final individual geral feminina:
1. Carly Patterson (EUA) 38.387 pontos - OURO
2. Svetlana Khorkina (RUS) 38.211 - PRATA
3. Nan Zhang (CHN) 38.049 - BRONZE
4. Anna Pavlova (RUS) 38.024
5. Nicoleta Daniela Sofronie (ROM) 37.948
6. Irina Yarotska (UCR) 37.687
7. Marine Debauve (FRA) 37.361
8. Elena Gomez (ESP) 37.299
9. Courtney Kupets (EUA) 37.112
10. Allana Slater (AUS) 37.099
11. Alina Kozich (UCR) 37.049
12. Daniele Hypolito (BRA) 36.961
13. Tiantian Wang (CHN) 36.799
14. Emilie Lepennec (FRA) 36.636
15. Stefani Bismpikou (GRE) 36.499
16. Camila Comin (BRA) 36.074
17. Kwang Sun Pyon (PRK) 35.862
18. Kate Richardson (CAN) 35.786
19. Elizabeth Tweddle (GBR) 35.761
20. Stephanie Moorhouse (AUS) 35.723
21. Katy Lennon (GBR) 35.374
22. Leyanet Gonzalez Calero (CUB) 35.299
23. Aagje Vanwalleghem (BEL) 34.862
24. Melanie Banville (CAN) 34.474.

 

19/08/2004

Daniele e Camila comemoram resultados na final individual

Fonte: UOL

Daniele Hypólito e Camila Comin terminaram a final do individual geral de ginástica com um 12º e um 16º lugar, respectivamente. Mas comemoraram como se tivessem garantido uma medalha. Afinal, são os dois melhores resultados do Brasil na história da ginástica artística em Olimpíadas.

"Ser a 16ª melhor do mundo em uma Olimpíada para mim é como ganhar uma medalha. É um resultado para ser comemorado bastante", afirmou Camila Comin, que na fase classificatória foi a 22ª colocada. "Essa colocação para mim foi como uma medalha de ouro. O resultado foi excelente", repetiu Daniele Hypólito, que já possuía o melhor desempenho brasileiro em Olimpíadas: o 20º lugar em Sydney.

Tanto Daniele Hypólito quanto Camila Comin apontam o trabalho realizado pelos técnicos ucranianos Oleg Ostapenko e da Irina Ilyashenko como fundamentais para o bom resultado. "Nossa evolução se deu à base de muito trabalho e esforço. Sem a presença do Oleg e da Irina não chegaríamos aqui. Vou continuar treinando forte, pois até o final do ano ainda teremos uma etapa da Copa do Mundo", revela Camila.

Daniele e Camila já encerraram a participação em Atenas. Agora, torcem para o bom desempenho de Daiane dos Santos na final do solo, na próxima segunda-feira, na primeira chance real do Brasil conquistar medalha na ginástica artística em Jogos Olímpicos.

19/08/2004

Daniele Hypólito consegue melhor resultado do Brasil no individual

Fonte: UOL

Sem chances de conquistar medalha, Daniele Hypólito e Camila Comin entraram no Ginásio Olímpico de Atenas para disputar a final do individual geral de ginástica artística com a intenção de superar marcas pessoais. E conseguiram. Nesta quinta-feira, superaram a melhor marca da história do Brasil na competição.

Daniele Hypólito foi a 12ª colocada, com 36,961 pontos. Camila Comin terminou em 16º lugar, com 36,094 pontos. O título ficou com a Carly Patterson (38,387 pontos), seguida pela veterana russa Svetlana Khorkina e pela chinesa Zhang Nan.

A melhor participação de uma brasileira no individual geral (que reúne os quatro aparelhos: solo, trave, barras assimétricas e salto sobre o cavalo) havia sido em Sydney-2000, com o 20º lugar de Daniele Hypólito. "Agora é continuar treinando para melhorar esses resultados", disse Daniele Hypólito logo após a final.

Apesar do bom resultado, Daniele Hypólito tirou uma nota melhor do que em Sydney. Na Austrália, ela terminou a final com 37,337. Se repetisse o desempenho, conseguiria a oitava colocação em Atenas. Até mesmo na fase de classificação, a nota foi maior: 37,086.

Na final, assim como na fase classificatória, o salto sobre o cavalo foi o calcanhar de Aquiles de Daniele Hypólito. A brasileira fez uma prova muito ruim, e conseguiu apenas a nota 8,825, a pior entre todas as ginastas. A redenção, mais uma vez, veio nas barras assimétricas. Ela fez a oitava melhor nota entre as 24 participantes, com 9,562 pontos.

As assimétricas também foram fundamentais para que Camila Comin ficasse em 16º lugar. A brasileira tirou 9,437 no aparelho, e apagou as atuações ruins na trave (8,525) e no solo (8,925).

Domínio americano
Com o título de Patterson, os Estados Unidos assumiram a liderança do quadro geral de medalhas, desbancando a China pela primeira vez desde que os Jogos de Atenas começaram.

Há 20 anos os Estados Unidos não ganhavam o ouro no individual geral feminino. A última conquista havia sido de Mary Lou Retton, em Los Angeles-1984.

Em Atenas, entretanto, foi à forra. Além do título de Patterson, os Estados Unidos também comemoraram a medalha de ouro de Paul Hamm no individual masculino. Por equipes, o país conquistou a prata tanto entre os homens quanto entre as mulheres.

A conquista de Patterson aconteceu no solo. Com uma atuação fantástica, a norte-americana tirou nota 9,712, contra apenas 9,512 de Khorkina. O resultado é melhor do que o 9,637 conseguido por Daiane dos Santos no aparelho nas eliminatórias. Para a sorte da brasileira, a norte-americana não se classificou para a final do solo.

 

19/08/2004

Rival de Daiane desiste do individual para se poupar para o solo

Fonte: UOL

A romena Oana Ban desistiu de disputar a final do individual geral de ginástica artística, nesta quinta-feira, para se poupar para as decisões dos aparelhos, na segunda-feira. Ela é uma das rivais da brasileira Daiane dos Santos na briga por medalha no solo.

Na fase classificatória, no domingo, Ban ficou em 29ª lugar. Na terça-feira, ela ajudou a Romênia a conquistar a medalha de ouro por equipes. Entretanto, torceu o tornozelo e não ficou em condições de disputar a final individual.

Oana Ban conseguiu a quarta melhor nota no solo durante a fase classificatória do solo, com a nota de 9.600, atrás apenas da compatriota Catalina Ponor, da chinesa Fei Cheng e da brasileira Daiane dos Santos.

 

18/08/2004

Mesmo com queda, ginasta Paul Hamm conquista o ouro

Fonte: UOL

O ginasta norte-americano Paul Hamm conquistou nesta quarta-feira o ouro em individual geral mesmo depois de ter vivido um pesadelo durante a final. Ao concluir o salto sobre o cavalo, além de se desequilibrar na aterrissagem, ele caiu sobre a mesa dos juízes.

Hamm, campeão mundial no ano passado em Anaheim, superou o mau momento com atuações perfeitas, sobretudo na barra fixa, e se tornou o primeiro norte-americano a obter o ouro no evento.

Para derrotar o sul-coreano Kim Dae-Eun, Hamm precisava de uma nota alta, 9.825, na barra fixa. Ele conquistou os juízes com uma rotina impecável e ousada e, desta vez, uma aterrissagem perfeita. Mesmo antes da nota ser anunciada o norte-americano já sabia que tinha garantido o ouro, e comemorou.

"Depois do salto sobre o cavalo, pensei que não tinha mais nenhuma chance de medalha. Ou que no máximo poderia chegar ao bronze", disse Hamm.

A diferença entre Hamm e Dae-Eun foi de 0.012 ponto, a menor da história olímpica. Outro ginasta da Coréia do Sul, Yang Tae-young, ficou com o bronze.

A decepção do dia ficou por conta do japonês Hiroyuki Tomita, campeão por equipes em Atenas. Ele deu adeus à chance de medalha no individual ao errar no solo, tirando uma nota muito baixa (9.602).

 

18/08/2004

Entre as melhores, brasileiras perseguem objetivos pessoais

Fonte: UOL

Atenas ficará marcada como a Olimpíada em que a ginástica artística brasileira conseguiu dar um salto significativo de qualidade, traduzindo em resultados esforços de anos e altos investimentos. Pela primeira vez na história, o Brasil terá duas ginastas na final feminina individual geral: Daniele Hypólito e Camila Comin.

Daniele Hypólito tem um grande desafio em Atenas. Para superar a 20ª posição que conseguiu há quatro anos, em Sydney-2000, ela terá que ser quase perfeita nesta quinta-feira, a partir das 15h (de Brasília).

Ela se classificou com 14ª melhor nota, mas sua pontuação na primeira fase (37,086) foi pior do que a das Olimpíadas de 2000 (37,337). Para piorar, no solo, aparelho em que foi vice-campeã mundial em 2002, ela tirou uma nota baixa e não vai conseguir aumentar para a final.

"Minha nota de partida no solo é baixa, 9,600, e a minha apresentação foi muito boa", explicou a ginasta, que tirou 9.137 no aparelho na fase classificatória. "Fiz uma série muito boa e não tem muito o que melhorar. Talvez caprichar mais na trave", completa.

A situação de Camila Comin, a outra brasileira no solo, é diferente. Ela chega com a 22ª melhor nota, 36,411 pontos, e pode melhorar suas rotinas.

"Acho que preciso acrescentar um salto grupado com pirueta na trave. Minha nota de partida é muito baixa. A nota subiria em 0,200 com este movimento. No solo, também posso mexer em alguma coisa, fazendo um primeiro mortal grupado", analisa a ginasta, que tem 9.500 como nota inicial na trave.

Eliane Martins, chefe de equipe do Brasil, está otimista. "Vamos torcer para que elas melhorem a apresentação da eliminatória para esta final. Acho que a Daniele tem chances de ficar entre as dez primeiras. É possível. Para a Camila, uma colocação entre 15° e 18° seria excelente", espera.

Daiane
Principal esperança brasileira de medalha nos Jogos de Atenas, Daiane dos Santos não se classificou para a final individual geral. A ginasta gaúcha foca a atenção agora para a final do solo, em que é uma das favoritas. A prova acontecerá na próxima segunda-feira.

18/08/2004

Ouro na ginástica, romenas garantem independência financeira

Fonte: UOL

O ouro por equipes na ginástica artística não garantiu apenas reconhecimento para as atletas da Romênia. As seis ginastas campeãs olímpicas também conquistaram sua independência financeira.

Pelo título, Catalina Ponor, Oana Ban, Alexandra Eremia, Monica Rosu, Nicoleta Sofronie e Silvia Stroescu vão receber, cada uma, US$ 50 mil, além de dois carros, educação superior gratuita e moradia vitalícia. O prêmio é o dobro do que os Estados Unidos vão pagar às suas campeãs na ginástica.

Somando prêmios como esse à tradição do país no esporte, é fácil explicar porque a Romênia é uma potência. A economia do país está entre as menores da Europa e a renda média familiar é de US$ 170 por mês.

A cada mês, centenas de famílias pobres levam suas filhas para ginásios públicos, em busca de uma vaga nos times nacionais. Os romenos começam a selecionar garotas, baseado em critérios técnicos e psicológicos, já aos seis anos de idade. Neste ano, as ginastas que treinaram para as Olimpíadas receberam US$ 200 como ajuda de custo mensal.

Um prova que a ginástica na Romênia é o equivalente do futebol no Brasil é a ginasta Oana Petrovschi, campeã mundial das barras paralelas em 2002. No ano passado, ela abandonou o sonho de disputar as Olimpíadas da Atenas, com duas hérnias de disco. Em uma entrevista, disse que sua maior decepção era ter desapontado seus pais.

17/08/2004

Liderada por rival de Daiane, Romênia é bicampeã

Fonte: UOL

A equipe feminina da Romênia, campeã em Sydney-2000, conquistou o bicampeonato olímpico na ginástica artística, nesta terça-feira. O time foi liderado por uma das rivais da brasileira Daiane dos Santos: a ginasta Catalina Ponor, que também é especialista no solo.

Apresentando-se no solo, barras assimétricas, trave e salto sobre o cavalo, s romenas conquistaram 114.283 pontos para garantir o ouro, deixando os EUA, atuais campeões mundiais, com a prata (113.584).

A Rússia, de Svetlana Korkina, ficou apenas com o bronze, tendo apresentado falhas durante as apresentações.

O Brasil não conseguiu a classificação para a final por equipes.

 

16/08/2004

Japão surpreende e supera EUA na ginástica masculina

Fonte: UOL

A equipe japonesa de ginástica masculina conquistou a medalha de ouro nesta segunda-feira, colocando por terra o favoritismo dos Estados Unidos, que ficaram com a prata. O bronze ficou com a Romênia.

Os japoneses acabaram a competição com 173.821 pontos, à frente da equipe norte-americana, que somou 172.933 pontos. Os romenos terminaram com 172,384 pontos.

A decepção ficou por conta da China, que era uma das grandes favoritas mas não chegou ao pódio. Campeões em Sydney, há quatro anos, os chineses terminaram na quarta colocação.

A equipe japonesa que triunfou em Atenas é formada por Takehiro Kashima, Hisashi Mizutori, Daisuke Nakano, Hiroyuki Tomita, Naoya Tsukahara e Isao Yoneda.

O grande herói da vitória foi Hiroyuki Tomita, último atleta a se apresentar nas barras, quando o placar ainda estava indefinido. Quando o atleta atingiu o chão depois de se apresentar, toda a equipe japonesa explodiu em comemoração, já sabendo que a nota de Tomita seria suficiente para ficar à frente dos Estados Unidos.

Este foi o primeiro ouro do Japão na ginástica em 28 anos. A última conquista aconteceu nos Jogos de 1976, em Montreal, quando Mitsuo Tsukahara era o grande nome da equipe. Aquele foi o quinto ouro consecutivo dos japoneses, que depois perderiam a hegemonia internacional.

 

16/08/2004

Daiane diz que o joelho não dói mais

Fonte: Terra On Line

A ginasta brasileira Daiane dos Santos disse, nesta segunda-feira, que não está sentindo mais dores no joelho. Ela afirmou que, após a cirurgia, procurou desenvolver um método de treinamento que não forçasse demais o local operado.

"Não está doendo nada. Mas também me preocupei com o fato de não desenvolver mais uma perna do que a outra. Isso, com certeza, iria me prejudicar nas competições", disse ela ao Sportv.

Ana Paula Rodrigues, outra ginasta da equipe brasileira, só lamentou o fato de as regras dos Jogos Olímpicos não permitirem, na categoria individual geral, mais de duas ginastas por país entre as 24 finalistas.

Ela conseguiu ficar entre as 24, mas Daniele Hypólito e Camila Comin ficaram à sua frente e tiraram sua oportunidade de competir: "O importante é que estamos montando uma equipe cada vez mais forte", afirmou.

 

15/08/2004

Daiane mudará série para final do solo em Atenas

Fonte: Terra On Line

Após conseguir a terceira melhor nota no solo com uma apresentação boa, mas abaixo do que vinha conseguindo, a brasileira Daiane dos Santos mudará sua série para a final do aparelho, que será disputada no dia 23.

Daiane recebeu a nota 9.637 no solo neste domingo durante a competição por equipes nos Jogos Olímpicos de Atenas. "Fiquei feliz porque o que eu queria era estar na final do solo. Mas o Oleg (Ostapenko, técnico da equipe brasileira) me disse 'se você quer ganhar medalha, precisa fazer o duplo twist esticado'", disse Daiane após a apresentação. "Agora vou ter tempo para treinar. A série da final será outra", completou.

A brasileira fez no domingo o duplo twist carpado, movimento nunca antes realizado e que recebeu o nome de Dos Santos, e deixou o esticado, que é mais difícil, para o momento decisivo.

Daiane foi a ginasta mais aplaudida no Olympic Indoor Hall, mas não teve uma apresentação perfeita. Ela se desequilibrou por duas vezes na chegada de acrobacias em sua peformance, ao som de "Brasileirinho", música do compositor Waldir Azevedo.

A brasileira contou que ficou preocupada em ter saído do quadrado. Se isso tivesse acontecido, ela perderia pontos. "Logo que terminei a série, perguntei para as meninas se ela (a árbitra) tinha levantado a bandeira (indicando sua saída do tablado), mas como não tinha levantado, fiquei tranquila", explicou.

Daiane, campeã mundial do solo, passou por uma artroscopia no joelho direito há dois meses para retirada de cartilagem e já declarou que sente dores durante a apresentação. Antes da cirurgia, a brasileira ganhou três etapas de Copa do Mundo, com atuações muito seguras.

Uma de suas principais adversárias na luta pela medalha de ouro em Atenas, a espanhola Elena Gomez, ficou em 11o. lugar na classificação e está fora da final - apenas as oito melhores avançam para a decisão de medalhas. "Não é fácil chegar em uma final. Eu estou triste por ela porque eu vi que ela estava chorando e sei o quanto elas treinam", afirmou Daiane.

As duas ginastas que superaram a brasileira no domingo foram a romena Catalina Ponor, com nota 9.687, e a chinesa Fei Cheng, que conseguiu 9.650.

 

15/08/2004

 

Brasil coloca duas ginastas na final individual, mas falha por equipes

Fonte: UOL - Murilo Garavello

O Brasil conseguiu neste domingo colocar duas atletas na final da ginástica artística feminina nos Jogos Olímpicos de Atenas. Daniele Hypólito e Camila Comin ficaram entre as primeiras colocadas e vão lutar por medalha na disputa geral (que inclui os quatro aparelhos: solo, barras assimétricas, trave e salto sobre o cavalo) na próxima quinta-feira.

Nas finais por aparelhos, a única representante será Daiane dos Santos, no solo. Por equipes, o Brasil terminou em nono lugar e ficou fora da disputa.

Esta é a primeira vez que o Brasil coloca duas ginastas na final olímpica. Luísa Parente foi a primeira atleta do país a ir a uma decisão, em Seul-1988. Em Sydney-2000, Daniele Hypólito repetiu o feito, terminando o Olimpíada em 20º lugar. Na Austrália, Camila Comin fez a sua estréia nos Jogos, ficando na 49ª colocação.

Na fase eliminatória em Atenas, Daniele Hypólito ficou em 16º lugar, com 37.087 pontos. Já Camila Comin foi a 26ª, com 36.411 pontos. Classificaram-se para a final as 24 primeiras colocadas, com a condição de, no máximo, duas atletas por país. A melhor ginasta do dia foi a norte-americana Carly Patterson, com 38.337 pontos.

Apesar do bom desempenho de Daniele e Camila, o Brasil não atingiu um dos seus objetivos em Atenas: a final por equipes. E foi por pouco. As brasileiras somaram 147.345 pontos, contra 147.419 da Austrália, oitava e última classificada. A Romênia foi a melhor do dia, com 152.436 pontos. EUA, China, Rússia, Ucrânia, França e Espanha também garantiram vaga na decisão.

Daniele Hypólito e Camila Comin tiveram tardes inspiradas. A primeira fez a sua melhor apresentação nas barras assimétricas, tirando 9.575 pontos, o que lhe garantiu a 14ª colocação. O resultado quase colocou a brasileira na final do aparelho, uma vez que a última vaga na decisão ficou com Pyon Kwang Sun, da Coréia do Norte, que obteve 9.600 pontos.

"Eu estou muito feliz. Não só pelo meu resultado, mas também pelo resultado da Di (Diane dos Santos), que é uma grande conquista, e pela nossa equipe também", disse Daniele.

15/08/2004

Resultados Ginástica Feminina

Confira os resultados da etapa de Qualificação da Ginástica Artística Feminina:

Fonte: Gymmedia

Competição por Equipe
1. Romania 152.436 Q
2. United 151.848 Q
3. China 151.085 Q
4. Russia 149.420 Q
5. Ukraine 148.908 Q
6. France 148.759 Q
7. Spain 147.921 Q
8. Australia 147.419 Q
- qualificada
**********************************

9. Brazil 147.345
10. Canada 146.947
11. Great 145.797
12. North Korea 144.372

Individual All-Around
1. Carly Patterson USA 38.337 Q
2. Daniela Sofronie ROM 38.062 Q
3. Oana Ban ROM 37.975 Q
4. Courtney Kupets USA 37.937 Q
5. Svetlana Khorkina RUS 37.836 Q
6. Zhang Nan CHN 37.799 Q
7. Anna Pavlova RUS 37.711 Q
8. Mohini Bhardwaj USA 37.699
9. Wang Tiantian CHN 37.649 Q
10. Alina Kozich UKR 37.486 Q
11. Marine Debauve FRA 37.437 Q
12. Emilie Le Pennec FRA 37.312 Q
13. Courtney McCool USA 37.287
14. Kate Richardson CAN 37.224 Q
15. Irina Yarotskaya UKR 37.149 Q
16. Daniele Hypolito BRA 37.086 Q
17. Allana Slater AUS 37.011 Q
18. Elena Gomez ESP 36.974 Q
19. Beth Tweddle GBR 36.912 Q

20. Yelena Zamolodchikova RUS 36.874
21. Alona Kvasha UKR 36.711
22. Melanie Banville CAN 36.649 Q
23. Pyon Kwang Sun PRK 36.512 Q
24. Stefani Bisbikou GRE 36.486 Q
25. Monette Russo AUS 36.436 Q
26. Camila Comin BRA 36.411 Q

27. Ana Paula Rodrigues BRA 36.386
28. Katy Lennon GBR 36.237 Q
29. Aagje Vanwalleghem BEL 36.225 Q

30. Leyanet Gonzalez CUB 36.224 - R (- reserva)
31. Stephanie Moorhouse AUS 36.224
32. Jana Komrskova CZE 36.212 - R
33. Manami Ishizaka JPN 36.211 - R
34. Lais Souza BRA 36.199
35. Natalia Ziganshina RUS 36.111
36. Kim Un Jong PRK 36.062 - R
37. Patricia Moreno ESP 35.974
38. Amelie Plante CAN 35.949
39. Soraya Chaouch FRA 35.837
40. Heather Purnell CAN 35.812
41. Lisa Brueggemann GER 35.799
42. Suzanne Harmes NED 35.761
43. Melanie Marti SWI 35.737
44. Vanessa Hobbs GBR 35.698
45. Yvonne Musik GER 35.611
46. Laura van Leeuwen NED 35.486
47. Zuzana Sekerova SVK 35.373
48. Maria Teresa Gargano ITA 35.324
49. Mirabella Akhunu UKR 35.249
50. Jong Hong Su PRK 34.962
51. Kyoko Oshima JPN 34.961
52. Ri Hae Yon PRK 34.911
53. Nicola Willis GBR 34.762
54. Monica Bergamelli ITA 34.712
55. Veronica Wagner SWE 34.475
56. Celeste Carnevale ARG 34.262
57. Maria Apostolidi GRE 33.912
58. Brenda Magana MEX 33.887
59. Yulia Tarasenko BLR 33.286
60. Zandre Labuschagne RSA 32.924
61. Maria Jose de la Fuente BOL 32.649
62. Park Kyung Ah KOR 31.698
63. Krisztina Szarka HUN 31.661
64. Catalina Ponor ROM 28.962
65. Li Ya CHN 28.412
66. Monica Rosu ROM 28.400
67. Terin Humphrey USA 28.362
68. Alexandra Eremia ROM 28.124
69. Silvia Stroescu ROM 28.062
70. Fan Ye CHN 28.012
71. Tania Gener ESP 27.987
72. Cheng Fei CHN 27.950
73. Melissa Munro AUS 27.724
74. Daiane dos Santos BRA 27.687
75. Monica Mesalles ESP 27.674
76. Isabelle Severino FRA 27.649
77. Cherrelle Fennell GBR 27.324
78. Lin Li CHN 27.237
79. Coralie Chacon FRA 27.162
80. Karen Nguyen AUS 27.112
81. Kylie Stone CAN 27.024
82. Laura Campos ESP 26.212
83. Laura Del Carmen Moreno MEX 24.787
84. Sara Moro ESP 18.937
85. Lyudmila Yezhova RUS 18.937
86. Irina Krasnyanskaya UKR 18.687
87. Kang Yun Mi PRK 18.487
88. Olga Sherbatykh UKR 18.487
89. Camille Schmutz FRA 18.474
90. Lisa Skinner AUS 18.087
91. Han Jong Ok PRK 17.537
92. Maria Kryuchkova RUS 17.175
93. Yevgenia Kuznetsova BUL 17.037
94. Annia Hatch USA 9.387
95. Gael Mackie CAN 9.100
96. Elizabeth Line GBR 8.950
97. Oksana Chusovitina UZB 8.675
98. Caroline Molinari BRA 7.512

Salto
1. Monica Rosu ROM 9.650 Q
2. Kang Yun Mi PRK 9.574 Q
3. Yelena Zamolodchikova RUS 9.456 Q
4. Coralie Chacon FRA 9.437 Q
5. Anna Pavlova RUS 9.424 Q
6. Annia Hatch USA 9.418 Q
7. Alona Kvasha UKR 9.381 Q
8. Wang Tiantian CHN 9.381 Q

9. Olga Sherbatykh UKR 9.337 - R
10. Natalia Ziganshina RUS 9.337
11. Cheng Fei CHN 9.300 - R
12. Mohini Bhardwaj USA 9.262 - R
13. Tania Gener ESP 9.262
14. Leyanet Gonzalez CUB 9.237
15. Jana Komrskova CZE 9.218
16. Brenda Magana MEX 9.206
17. Heather Purnell CAN 9.187
18. Monica Bergamelli ITA 9.175
19. Katy Lennon GBR 9.118
20. Svetlana Khorkina RUS 9.106
21. Yvonne Musik GER 9.031
22. Lisa Brueggemann GER 8.975
23. Oksana Chusovitina UZB 8.800

Paralelas Assimétricas
1. Svetlana Khorkina RUS 9.750 Q
2. Lin Li CHN 9.700 Q
3. Li Ya CHN 9.675 Q
4. Emilie Le Pennec FRA 9.662 Q
5. Courtney Kupets USA 9.637 Q
6. Daniela Sofronie ROM 9.625 Q
6. Terin Humphrey USA 9.625 Q

8. Carly Patterson USA 9.600
9. Fan Ye CHN 9.600
10. Pyon Kwang Sun PRK 9.600 Q
11. Courtney McCool USA 9.575
12. Irina Krasnyanskaya UKR 9.575  - R
13. Beth Tweddle GBR 9.575  - R
14. Daniele Hypolito BRA 9.575   -R
14. Tania Gener ESP 9.575
16. Soraya Chaouch FRA 9.550
17. Han Jong Ok PRK 9.537
18. Zhang Nan CHN 9.525
19. Elena Gomez ESP 9.525
20. Wang Tiantian CHN 9.512
21. Marine Debauve FRA 9.500
22. Mohini Bhardwaj USA 9.487
23. Amelie Plante CAN 9.475
24. Lyudmila Yezhova RUS 9.475
25. Kim Un Jong PRK 9.475
26. Sara Moro ESP 9.450
27. Laura van Leeuwen NED 9.437
28. Monette Russo AUS 9.437
29. Oana Ban ROM 9.425
30. Camila Comin BRA 9.412
31. Lisa Skinner AUS 9.387
32. Stefani Bisbikou GRE 9.387
33. Monica Rosu ROM 9.375
34. Patricia Moreno ESP 9.375
35. Ana Paula Rodrigues BRA 9.375
36. Kyoko Oshima JPN 9.362
37. Stephanie Moorhouse AUS 9.337
38. Camille Schmutz FRA 9.337
39. Silvia Stroescu ROM 9.325
40. Karen Nguyen AUS 9.300
41. Alexandra Eremia ROM 9.287
42. Kate Richardson CAN 9.275
43. Jana Komrskova CZE 9.275
44. Laura Campos ESP 9.262
45. Lisa Brueggemann GER 9.250
46. Anna Pavlova RUS 9.237
47. Alina Kozich UKR 9.237
48. Aagje Vanwalleghem BEL 9.200
49. Jong Hong Su PRK 9.200
50. Manami Ishizaka JPN 9.187
51. Yelena Zamolodchikova RUS 9.150
52. Isabelle Severino FRA 9.137
53. Suzanne Harmes NED 9.137
54. Gael Mackie CAN 9.100
55. Natalia Ziganshina RUS 9.087
56. Cherrelle Fennell GBR 9.087
57. Melanie Banville CAN 9.062
58. Melanie Marti SWI 9.050
59. Irina Yarotskaya UKR 9.037
60. Nicola Willis GBR 8.937
61. Zuzana Sekerova SVK 8.912
62. Yvonne Musik GER 8.887
63. Allana Slater AUS 8.875
64. Ri Hae Yon PRK 8.862
65. Katy Lennon GBR 8.850
66. Alona Kvasha UKR 8.850
67. Daiane dos Santos BRA 8.800
68. Leyanet Gonzalez CUB 8.787
69. Lais Souza BRA 8.762
70. Heather Purnell CAN 8.712
71. Brenda Magana MEX 8.575
72. Laura Del Carmen Moreno MEX 8.512
73. Vanessa Hobbs GBR 8.437
74. Veronica Wagner SWE 8.350
75. Celeste Carnevale ARG 8.325
76. Maria Jose de la Fuente BOL 8.312
77. Zandre Labuschagne RSA 8.312
78. Maria Teresa Gargano ITA 8.287
79. Monica Bergamelli ITA 8.250
80. Mirabella Akhunu UKR 8.187
81. Yevgenia Kuznetsova BUL 8.150
82. Park Kyung Ah KOR 7.937
83. Yulia Tarasenko BLR 7.925
84. Maria Apostolidi GRE 7.712
85. Krisztina Szarka HUN 7.012

Trave
1. Catalina Ponor ROM 9.775 Q
2. Carly Patterson USA 9.725 Q
3. Alexandra Eremia ROM 9.687 Q
4. Anna Pavlova RUS 9.637 Q

5. Oana Ban ROM 9.625
6. Li Ya CHN 9.600 Q
7. Allana Slater AUS 9.587 Q
8. Zhang Nan CHN 9.550 Q
9. Courtney Kupets USA 9.550 Q

10. Terin Humphrey USA 9.512
11. Silvia Stroescu ROM 9.512
12. Daniela Sofronie ROM 9.487
13. Sara Moro ESP 9.487   - R
14. Irina Yarotskaya UKR 9.475   - R
15. Lyudmila Yezhova RUS 9.462    - R
16. Fan Ye CHN 9.437
17. Marine Debauve FRA 9.425
18. Lais Souza BRA 9.375
19. Mohini Bhardwaj USA 9.350
20. Daniele Hypolito BRA 9.337
21. Stefani Bisbikou GRE 9.337
22. Melissa Munro AUS 9.312
23. Alina Kozich UKR 9.300
24. Wang Tiantian CHN 9.262
25. Kate Richardson CAN 9.175
26. Stephanie Moorhouse AUS 9.162
27. Svetlana Khorkina RUS 9.137
28. Camille Schmutz FRA 9.137
29. Irina Krasnyanskaya UKR 9.112
30. Courtney McCool USA 9.112
31. Yelena Zamolodchikova RUS 9.062
32. Pyon Kwang Sun PRK 9.062
33. Monica Mesalles ESP 9.037
34. Beth Tweddle GBR 9.025
35. Katy Lennon GBR 9.025
36. Melanie Banville CAN 9.025
37. Alona Kvasha UKR 8.987
38. Kylie Stone CAN 8.975
39. Soraya Chaouch FRA 8.962
40. Natalia Ziganshina RUS 8.962
41. Elizabeth Line GBR 8.950
42. Vanessa Hobbs GBR 8.937
43. Cheng Fei CHN 8.925
44. Emilie Le Pennec FRA 8.900
45. Veronica Wagner SWE 8.900
46. Yevgenia Kuznetsova BUL 8.887
47. Ana Paula Rodrigues BRA 8.887
48. Monette Russo AUS 8.887
49. Monica Bergamelli ITA 8.862
50. Lisa Brueggemann GER 8.837
51. Aagje Vanwalleghem BEL 8.825
52. Zuzana Sekerova SVK 8.787
53. Leyanet Gonzalez CUB 8.775
54. Elena Gomez ESP 8.737
55. Jana Komrskova CZE 8.700
56. Lisa Skinner AUS 8.700
57. Camila Comin BRA 8.662
58. Coralie Chacon FRA 8.650
59. Manami Ishizaka JPN 8.637
60. Maria Teresa Gargano ITA 8.612
61. Laura van Leeuwen NED 8.600
62. Ri Hae Yon PRK 8.600
63. Laura Del Carmen Moreno MEX 8.575
64. Yvonne Musik GER 8.562
65. Celeste Carnevale ARG 8.525
66. Melanie Marti SWI 8.525
67. Heather Purnell CAN 8.500
68. Maria Apostolidi GRE 8.450
69. Kyoko Oshima JPN 8.437
70. Kim Un Jong PRK 8.412
71. Mirabella Akhunu UKR 8.350
72. Laura Campos ESP 8.225
73. Jong Hong Su PRK 8.212
74. Suzanne Harmes NED 8.162
75. Krisztina Szarka HUN 8.150
76. Zandre Labuschagne RSA 8.075
77. Amelie Plante CAN 8.075
78. Han Jong Ok PRK 8.000
79. Patricia Moreno ESP 7.850
80. Yulia Tarasenko BLR 7.837
81. Brenda Magana MEX 7.625
82. Nicola Willis GBR 7.625
83. Caroline Molinari BRA 7.512
84. Park Kyung Ah KOR 7.437
85. Maria Jose de la Fuente BOL 7.387

Solo
1. Catalina Ponor ROM 9.687 Q
2. Cheng Fei CHN 9.650 Q
3. Daiane dos Santos BRA 9.637 Q
4. Oana Ban ROM 9.600 Q
5. Patricia Moreno ESP 9.587 Q
6. Kate Richardson CAN 9.562 Q
6. Alina Kozich UKR 9.562 Q
8. Mohini Bhardwaj USA 9.525 Q

9. Daniela Sofronie ROM 9.525
10. Carly Patterson USA 9.500    - R
11. Elena Gomez ESP 9.500    - R
12. Mirabella Akhunu UKR 9.475    - R
13. Wang Tiantian CHN 9.475
14. Alona Kvasha UKR 9.462
15. Svetlana Khorkina RUS 9.437
16. Zhang Nan CHN 9.437
17. Emilie Le Pennec FRA 9.425
18. Monica Mesalles ESP 9.412
19. Courtney Kupets USA 9.400
20. Anna Pavlova RUS 9.400
21. Heather Purnell CAN 9.400
22. Irina Yarotskaya UKR 9.375
23. Marine Debauve FRA 9.362
24. Melanie Banville CAN 9.362
25. Monica Rosu ROM 9.350
26. Allana Slater AUS 9.337
27. Suzanne Harmes NED 9.337
28. Leyanet Gonzalez CUB 9.325
29. Maria Teresa Gargano ITA 9.325
30. Beth Tweddle GBR 9.300
31. Amelie Plante CAN 9.287
32. Manami Ishizaka JPN 9.262
33. Courtney McCool USA 9.250
34. Terin Humphrey USA 9.225
35. Yelena Zamolodchikova RUS 9.200
36. Daniele Hypolito BRA 9.187
37. Melissa Munro AUS 9.187
38. Isabelle Severino FRA 9.175
39. Nicola Willis GBR 9.175
40. Alexandra Eremia ROM 9.150
41. Camila Comin BRA 9.137
42. Katy Lennon GBR 9.125
43. Tania Gener ESP 9.112
44. Vanessa Hobbs GBR 9.087
45. Olga Sherbatykh UKR 9.087
46. Coralie Chacon FRA 9.062
47. Monette Russo AUS 9.062
48. Kim Un Jong PRK 9.050
49. Melanie Marti SWI 9.050
50. Ana Paula Rodrigues BRA 9.037
51. Yvonne Musik GER 9.037
52. Cherrelle Fennell GBR 9.012
53. Jana Komrskova CZE 9.012
54. Fan Ye CHN 8.975
55. Aagje Vanwalleghem BEL 8.925
56. Kylie Stone CAN 8.912
57. Stephanie Moorhouse AUS 8.850
58. Kang Yun Mi PRK 8.850
59. Karen Nguyen AUS 8.725
60. Ri Hae Yon PRK 8.687
61. Natalia Ziganshina RUS 8.687
62. Maria Apostolidi GRE 8.675
63. Lais Souza BRA 8.675
64. Stefani Bisbikou GRE 8.662
65. Pyon Kwang Sun PRK 8.650
66. Lisa Brueggemann GER 8.612
67. Lin Li CHN 8.600
68. Yulia Tarasenko BLR 8.537
69. Zuzana Sekerova SVK 8.512
70. Kyoko Oshima JPN 8.500
71. Brenda Magana MEX 8.487
72. Jong Hong Su PRK 8.475
73. Laura van Leeuwen NED 8.412
74. Celeste Carnevale ARG 8.362
75. Maria Jose de la Fuente BOL 8.325
76. Monica Bergamelli ITA 8.300
77. Veronica Wagner SWE 8.250
78. Soraya Chaouch FRA 8.200
79. Maria Kryuchkova RUS 7.975
80. Park Kyung Ah KOR 7.812
81. Krisztina Szarka HUN 7.787
82. Laura Del Carmen Moreno MEX 7.700
83. Zandre Labuschagne RSA 7.525

Q = Qualificada para a final
R = Reserva

 

15/08/2004

Mesmo sem ser perfeita, Daiane dos Santos vai à final do solo

Fonte: UOL - Murilo Garavello

Os "joelhinhos de cristal" de Daiane dos Santos não atrapalharam, e a brasileira está na final dos exercícios de solo nos Jogos Olímpicos de Atenas. Ao som de "Brasileirinho", a brasileira executou os seus dois principais saltos, o duplo twist carpado e o duplo twist esticado, e tirou nota 9.637.

Com este resultado, Daiane ficou entre as oito primeiras colocadas. Assim, vai se tornou a primeira brasileira a ir a uma final de aparelho em Olimpíadas.

O dia também foi muito bom para Daniele Hypólito e Camila Comin. As duas se classificaram para a final do individual geral (que reúne os quatro aparelhos: solo, trave, salto sobre o cavalo e barras assimétricas), na próxima quinta-feira.

Daiane dos Santos possui a terceira maior nota no solo. A romena Catalina Ponor teve a melhor nota, com 9.687 pontos. A chinesa Cheng Fei tirou 9.650 e ficou em segundo. A espanhola Elena Gomez, outra rival de Daiane, ficou tirou apenas 9.500 e está fora da decisão.

Antes da apresentação, a preocupação era em relação aos "joelhinhos de cristal", alcunha dada à atleta por Vicélia Florenzano, presidenta da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), em referência às três cirurgias sofridas por Daiane - a última delas em junho.

Entretanto, em nenhum momento a atleta pareceu sentir a contusão. Embora não tenha feito uma grande apresentação, Daiane foi bastante aplaudida pelo público.

A brasileira cometeu deslizes em dois momentos da apresentação. No final da exibição, os julgadores demoraram muito para liberar a nota de Daiane, causando uma certa aflição na delegação. Com o resultado, o time ficou mais tranquilo.

As outras brasileiras também tiveram boa participação no solo. Daniele Hypólito conseguiu uma nota 9.187, pouco superior ao 9.137 de Camila Comin. Ana Paula Rodrigues tirou 9.037 e Laís Souza, 8.675.

15/08/2004

Romênia passa à liderança após a segunda série feminina

Fonte: UOL

A equipe da Romênia, atual campeã olímpica e européia, assumiu a liderança nas classificatórias de ginástica artística feminina após a segunda série, neste domingo. A seleção somou 152.436 pontos com as apresentações de Oana Ban, Alexandra Georgiana Eremia, Catalina Ponor, Monica Rosu, Nicoleta Daniela Sofronie e Silvia Stroescu.

Os EUA, campeões mundiais, ficaram em segundo, com 151.848. A Rússia, que era líder após a primeira série, caiu para a terceira colocação, com 149.420. Em quarto está a Ucrânia, com 148.908 pontos.

Ban foi a melhor entre as romenas, somando 37.925 no solo, salto sobre o cavalo, barras assimétricas e trave.

Ainda resta uma série para a definição das equipes que irão à final e das ginastas que disputarão medalhas por aparelho.

15/08/2004

Mesmo após queda, Khorkina ajuda Rússia na competição

Fonte: UOL

Mesmo depois de ter sofrido a queda no cavalo, a grande estrela da ginástica Svetlana Khorkina (RUS) fez a maior pontuação individual geral, 37,836. Com isso, a ginasta contribuiu para que a Rússia tivesse uma boa pontuação por equipes.

Na primeira sessão da fase classificatória, as russas conquistaram o primeiro lugar. Somaram 149,420 pontos, pontuação que pode assegurar uma vaga na final por equipes. Na segunda colocação, ficou a equipe britânica, com 145,797 pontos.

A equipe norte-americana, favorita ao ouro depois de ter vencido o Campeonato Mundial em 2003, somente competirá na segunda sessão, ao lado da Romênia, atual campeão olímpica. China, outra favorita, compete apenas à noite, em Atenas, na terceira sessão. Daiane e companhia entram no Ginásio Olímpico Indoor somente na última sessão do dia. As oito melhores equipes avançam às finais por equipes, que serão realizadas na próxima terça-feira.

15/08/2004

Estrela da ginástica cai em salto sobre cavalo

Fonte: UOL

A maior estrela da ginástica artística, Svetlana Khorkina (RUS), sofreu um duro golpe em suas pretensões de vencer a competição individual geral. Em sua apresentação pela manhã, a russa sofreu uma queda no salto sobre o cavalo.

Em seu primeiro salto sobre o cavalo, a russa recebeu 9,512, nota considerada boa. Segundos depois, entretanto, Khorkina deu um salto mortal duplo - conhecido como Tsukahara - e caiu de cabaça no colchão antes de rolar para fora da zona demarcada. Enquanto verificava seu joelho arranhado, Khorkina observou o veredito dos juízes no placar: 8,700. Com isso, sua média no aparelho abaixou para 9,106.

Em Sydney-2000, a russa de 25 anos também sofreu uma queda e perdeu a chance de conquistar o título de ginasta mais completa. Na ocasião, Khorkina caiu justamente do aparelho que é considerado a sua especialidade, as barras assimétricas.

A bicampeã olímpica nas barras assimétricas chegou a Atenas como principal favorita ao título individual geral. No treino de pódio teve uma apresentação considerada impecável.
15/08/2004

Romênia lidera classificação geral por equipes

EUA estão em segundo e Rússia em terceiro. Brasil estréia apenas na terceira sessão do dia.

Fonte: Lancepress!

A equipe feminina de ginástica artística da Romênia, atual campeã olímpica e européia, superou os EUA, campeões mundiais, e a Rússia na segunda sessão da fase de classificação da Olimpíada. As romenas somaram 152,436 puntos, contra 151,848 das americanas e 149,420 das russas.

A americana Carly Patterson, vice-campeã do mundo, lidera a classificação geral, com 38,332 pontos. Em seguida estão as romenas Nicoleta Sofronie (38,062) e Oana Ban (37,975). A russa Svetlana Khorkina, tricampeã do mundo, sofreu uma queda no cavalo, mas ainda está em quinto (37,836).

O Brasil só começa a se apresentar na terceira sessão do dia, a partir das 15h.

15/08/2004

Equipe afinada para chegar às finais

Fonte: Lancepress!

Além da expectativa em torno da medalha de Daiane dos Santos, a Confederação Brasileira de Ginástica também espera uma boa apresentação de toda a Seleção na prova por equipes.
Pela primeira vez classificada para a Olimpíada, ao conquistar o oitavo lugar no Mundial de Anaheim, ano passado, a equipe nacional vem se preparando desde o início do ano no Centro de Excelência de Curitiba.
Para o grupo chegar às finais, todas as ginastas precisam ir bem em seus aparelhos e contar com grande pontuação de Daiane no solo. Assim, poderia ficar entre os oito melhores, que farão a decisão.

Outra que pode conseguir um bom desempenho em provas individuais é Daniele Hypolito. Enquanto Daiane está no centro das atenções gerais, Daniele tem condições de garantir sua vaga na trave, em que tem o melhor desempenho.
Já com a experiência de disputar a Olimpíada de Sydney-2000, ao lado de Camila Comin, onde conquistou a melhor colocação da história da ginástica brasileira (20º lugar), Daniele está tranqüila, apesar de reconhecer que sempre sente um frio na barriga.

– É importante sentir o clima nos treinos porque senão você fica muito nervosa – garante a paulista, que faz 20 anos mês que vem.

15/08/2004

Daiane inicia a luta pelo ouro sofrendo pressão de todos os lados

Daiane precisa ir bem neste domingo para garantir vaga nas finais e lutar pela tão sonhada medalha dourada

Fonte: Lancepress!

A um mês do início dos Jogos Olímpicos de Atenas, havia quase uma unanimidade no Brasil: a ginasta Daiane dos Santos conquistaria a medalha de ouro na disputa do solo. Seu desempenho desde o Campeonato Mundial de Anaheim (EUA), ano passado, quando conquistou o inédito primeiro lugar para uma brasileira, foi o que provocou o otimismo geral.

Mas, a partir de hoje, a gauchinha terá mais quatro pesos nos ombros para carregar enquanto se apresenta, além da própria vontade de vencer: a recente cirurgia no joelho direito, a pressão de conquistar a medalha de ouro, a disputa de patrocinadores por sua imagem e os R$ 1,428 milhão da Lei Agnelo-Piva.

Esse valor é o total do repasse da lei à Confederação Brasileira de Ginástica, mas foi totalmente investido no Centro de Excelência de Curitiba, onde treina a Seleção. Como Daiane é a principal – e talvez única – chance de conquista de medalha, ela teve um tratamento todo especial, inclusive a atenção exclusiva do técnico ucraniano Oleg Ostapenko.

Contra essas pressões, Daiane conta principalmente com sua determinação e alegria ao competir, o que cativa o público e faz com que ela se concentre nos exercícios.
E hoje, nas eliminatórias, é o dia-chave tanto para Daiane quanto para toda a equipe, que participa completa de uma Olimpíada pela primeira vez. Dependendo dos resultados individuais de cada ginasta, elas podem se classificar para as finais ou voltar para casa com frustração.
A expectativa da CBG é que Daiane chegue facilmente às finais e conquiste o ouro. No entanto, com a confiança que está, ela também pode surpreender e fazer final no salto.

14/08/2004

Resultados da Etapa de Qualificação Masculina

Fonte: Gymmedia

All-Around Masculino Individual:

1. Paul Hamm (USA) Points: 58.061
2. Tae Young Yang (Kor) Points: 57.924
3. Hiroyuki Tomita (Jpn) Points: 57.649
4. Marian Dragulescu (Rom) Points: 57.436
5. Yernar Yerimbetov (Kaz) Points: 57.424
6. Ioan Silviu Suciu (Rom) Points: 57.398
7. Wei Yang (Chn) Points: 57.374
8. Roman Zozulia (Ukr) Points: 57.273
9. Alexei Bondarenko (Rus) Points: 56.936
10. Isao Yoneda (Jpn) Points: 56.924
11. Dae Eun Kim (Kor) Points: 56.811
12. Pavel Gofman (Isr) Points: 56.723
13. Ruslan Myezyentsev (Ukr) Points: 56.711
14. Rafael Martinez (Spa) Points: 56.636
15. Benoit Caranobe (Fra) Points: 56.635
16. Luis Vargas (Pue) Points: 56.587
17. Igors Vihrovs (Lat) Points: 56.423
18. Eric Lopez Rios (Cub) Points: 56.398
19. Brett Mcclure (USA) Points: 56.323
20. Georgi Grebenkov (Rus) Points: 56.148
21. Fabian Hambuechen (Ger) Points: 56.061
22. Ilia Giorgadze (Geo) Points: 56.012
23. Sergei Pfeifer (Ger) Points: 55.987

24. Sven Kwiatkowski (Ger) Points: 55.835 Behind: 2.226
25. Dan Nicolae Potra (Rom) Points: 55.749 Behind: 2.312
26. Maxim Deviatovski (Rus) Points: 55.611 Behind: 2.450
27. Andreas Schweizer (Swi) Points: 55.436
28. Abel Driggs Santos (Cub) Points: 55.274 - R
29. Adam Wong (Can) Points: 55.160  - R
30. Alejandro Barrenechea (Spa) Points: 55.098 - R
31. Grant Golding (Can) Points: 55.011 - R
32. Jorge Hugo Giraldo (Col) Points: 54.997 Behind: 3.064
33. Mosiah Rodrigues (Bra) Points: 54.899 Behind: 3.162
34. Igor Cassina (Ita) Points: 54.849 Behind: 3.212
35. Runar Alexandersson (Ice) Points: 54.798 Behind: 3.263
36. Vlasios Maras (Gre) Points: 54.699 Behind: 3.362
37. Oriol Combarros (Spa) Points: 54.662 Behind: 3.399
38. Shu Wai Ng (Mal) Points: 54.649 Behind: 3.412
39. Dimitri Karbanenko (Fra) Points: 54.561 Behind: 3.500
40. Victor Cano (Spa) Points: 53.987 Behind: 4.074
41. Matteo Morandi (Ita) Points: 53.974 Behind: 4.087
42. Denis Savenkov (Blr) Points: 53.624 Behind: 4.437
43. Filipe Bezugo (Por) Points: 52.923 Behind: 5.138
44. Enrico Pozzo (Ita) Points: 52.812 Behind: 5.249
45. Alexander Jeltkov (Can) Points: 52.649 Behind: 5.412
46. Filip Yanev (Bgr) Points: 52.586 Behind: 5.475
47. Wajdi Bouallegue (Tun) Points: 52.511 Behind: 5.550
48. Naoya Tsukahara (Jpn) Points: 48.187 Behind: 9.874
49. Takehiro Kashima (Jpn) Points: 47.799 Behind: 10.262
50. Guard Young (USA) Points: 47.611 Behind: 10.450
51. Aowei Xing (Chn) Points: 47.499 Behind: 10.562
52. Razvan Dorin Selariu (Rom) Points: 47.487 Behind: 10.574
53. Blaine Wilson (USA) Points: 47.386 Behind: 10.675
54. Robert Juckel (Ger) Points: 47.074 Behind: 10.987
55. Qin Xiao (Chn) Points: 46.974 Behind: 11.087
56. Vadym Kuvakin (Ukr) Points: 46.824 Behind: 11.237
57. Florent Maree (Fra) Points: 46.811 Behind: 11.250
58. David Kikuchi (Can) Points: 46.437 Behind: 11.624
59. Seung Il Kim (Kor) Points: 46.324 Behind: 11.737
60. Johan Mounard (Fra) Points: 46.124 Behind: 11.937
61. Anton Golotsutskov (Rus) Points: 46.073 Behind: 11.988
62. Alberto Busnari (Ita) Points: 45.535 Behind: 12.526
63. Andrei Mykaylichenko (Ukr) Points: 45.412 Behind: 12.649
64. Haibin Teng (Chn) Points: 45.099 Behind: 12.962
65. Ivan Ivankov (Blr) Points: 38.837 Behind: 19.224
66. Xu Huang (Chn) Points: 38.761 Behind: 19.300
67. Morgan Hamm (USA) Points: 38.662 Behind: 19.399
68. Hisashi Mizutori (Jpn) Points: 38.337 Behind: 19.724
69. Daisuke Nakano (Jpn) Points: 38.312 Behind: 19.749
70. Dong Hwa Kim (Kor) Points: 38.012 Behind: 20.049
71. Sun Sung Lee (Kor) Points: 37.899 Behind: 20.162
72. Yann Cucherat (Fra) Points: 37.874 Behind: 20.187
73. Jason Gatson (USA) Points: 37.799 Behind: 20.262
74. Evgeni Bogonosyuk (Ukr) Points: 37.424 Behind: 20.637
75. Pierre Yves Beny (Fra) Points: 37.312 Behind: 20.749
76. Seong Min Cho (Kor) Points: 37.274 Behind: 20.787
77. Matthias Fahrig (Ger) Points: 37.249 Behind: 20.812
78. Kyle Shewfelt (Can) Points: 36.748 Behind: 21.313
79. Matteo Angioletti (Ita) Points: 36.361 Behind: 21.700
80. Marius Daniel Urzica (Rom) Points: 29.187 Behind: 28.874
81. Valeri Goncharov (Ukr) Points: 28.899 Behind: 29.162
82. Alexei Nemov (Rus) Points: 28.887 Behind: 29.174
83. Thomas Andergassen (Ger) Points: 28.836 Behind: 29.225
84. Xiaopeng Li (Chn) Points: 28.699 Behind: 29.362
85. Yuri Chechi (Ita) Points: 28.499 Behind: 29.562
86. Philippe Rizzo (Aus) Points: 27.350 Behind: 30.711
87. Jesus Carballo (Spa) Points: 27.099 Behind: 30.962
88. Christoph Schaerer (Swi) Points: 27.037 Behind: 31.024
89. Ken Ikeda (Can) Points: 26.524 Behind: 31.537
90. Jordan Jovtchev (Bgr) Points: 19.512 Behind: 38.549
91. Gervasio Deferr (Spa) Points: 19.387 Behind: 38.674
92. Evgeni Sapronenko (Lat) Points: 19.287 Behind: 38.774
93. Ilie Daniel Popescu (Rom) Points: 19.187 Behind: 38.874
94. Robert Gal (Hun) Points: 19.137 Behind: 38.924
95. Alexander Safoshkin (Rus) Points: 18.962 Behind: 39.099
96. Jong Song Ri (PRK) Points: 18.837 Behind: 39.224
97. Hyon Il Kim (PRK) Points: 18.649 Behind: 39.412
98. Dimosthenis Tampakos (Gre) Points: 9.850 Behind: 48.211

 

Resultados Masculino por Aparelhos:

Solo
1. Marian Dragulescu (Rom) Points: 9.762
2. Gervasio Deferr (Spa) Points: 9.750
3. Kyle Shewfelt (Can) Points: 9.737
4. Isao Yoneda (Jpn) Points: 9.725
4. Morgan Hamm (USA) Points: 9.725
4. Paul Hamm (USA) Points: 9.725
7. Daisuke Nakano (Jpn) Points: 9.725

8. Naoya Tsukahara (Jpn) Points: 9.725
9. Guard Young (USA) Points: 9.700
10. Blaine Wilson (USA) Points: 9.700
11. Jordan Jovtchev (Bgr) Points: 9.700
12. Tae Young Yang (Kor) Points: 9.700 - R
13. Yernar Yerimbetov (Kaz) Points: 9.687 - R
14. Jong Song Ri (PRK) Points: 9.675  - R
15. Igors Vihrovs (Lat) Points: 9.662
16. Alexei Bondarenko (Rus) Points: 9.662
17. Ioan Silviu Suciu (Rom) Points: 9.650
18. Ruslan Myezyentsev (Ukr) Points: 9.650
19. Aowei Xing (Chn) Points: 9.637
20. Evgeni Sapronenko (Lat) Points: 9.637
21. Fabian Hambuechen (Ger) Points: 9.637
22. Razvan Dorin Selariu (Rom) Points: 9.625
23. Dimitri Karbanenko (Fra) Points: 9.612
24. Robert Gal (Hun) Points: 9.587
25. Rafael Martinez (Spa) Points: 9.562
26. Georgi Grebenkov (Rus) Points: 9.562
27. Dan Nicolae Potra (Rom) Points: 9.537
28. Denis Savenkov (Blr) Points: 9.512
29. Grant Golding (Can) Points: 9.512
30. Evgeni Bogonosyuk (Ukr) Points: 9.500
31. Roman Zozulia (Ukr) Points: 9.487
32. Matthias Fahrig (Ger) Points: 9.475
33. Vadym Kuvakin (Ukr) Points: 9.475
34. Anton Golotsutskov (Rus) Points: 9.462
35. Enrico Pozzo (Ita) Points: 9.450
36. Ilia Giorgadze (Geo) Points: 9.437
37. Brett Mcclure (USA) Points: 9.437
38. Pavel Gofman (Isr) Points: 9.437
39. Dae Eun Kim (Kor) Points: 9.437
40. Wei Yang (Chn) Points: 9.412
41. Alejandro Barrenechea (Spa) Points: 9.412
42. Sergei Pfeifer (Ger) Points: 9.400
43. Sven Kwiatkowski (Ger) Points: 9.362
44. Haibin Teng (Chn) Points: 9.350
45. Andrei Mykaylichenko (Ukr) Points: 9.337
46. Adam Wong (Can) Points: 9.325
46. Oriol Combarros (Spa) Points: 9.325
48. Shu Wai Ng (Mal) Points: 9.300
49. Benoit Caranobe (Fra) Points: 9.287
50. Florent Maree (Fra) Points: 9.212
51. Alexander Jeltkov (Can) Points: 9.175
52. Robert Juckel (Ger) Points: 9.175
53. Victor Cano (Spa) Points: 9.150
54. Takehiro Kashima (Jpn) Points: 9.150
55. Jorge Hugo Giraldo (Col) Points: 9.137
56. Qin Xiao (Chn) Points: 9.125 Behind: 0.637
57. Wajdi Bouallegue (Tun) Points: 9.112
58. Mosiah Rodrigues (Bra) Points: 9.075
59. Eric Lopez Rios (Cub) Points: 9.062
60. Luis Vargas (Pue) Points: 9.037
61. Filip Yanev (Bgr) Points: 9.012
62. Hiroyuki Tomita (Jpn) Points: 8.987
63. Filipe Bezugo (Por) Points: 8.987
64. Matteo Morandi (Ita) Points: 8.962
65. Vlasios Maras (Gre) Points: 8.950
66. Maxim Deviatovski (Rus) Points: 8.950
67. Abel Driggs Santos (Cub) Points: 8.875
68. Pierre Yves Beny (Fra) Points: 8.837
69. David Kikuchi (Can) Points: 8.825
70. Alberto Busnari (Ita) Points: 8.812
71. Matteo Angioletti (Ita) Points: 8.812
72. Andreas Schweizer (Swi) Points: 8.787
73. Seung Il Kim (Kor) Points: 8.775
74. Runar Alexandersson (Ice) Points: 8.700
75. Igor Cassina (Ita) Points: 8.650
76. Seong Min Cho (Kor) Points: 8.600
77. Johan Mounard (Fra) Points: 8.525

Cavalo com Alças
1. Marius Daniel Urzica (Rom) Points: 9.812
2. Takehiro Kashima (Jpn) Points: 9.812
3. Haibin Teng (Chn) Points: 9.800
4. Victor Cano (Spa) Points: 9.750
4. Hiroyuki Tomita (Jpn) Points: 9.750
6. Runar Alexandersson (Ice) Points: 9.737
7. Xu Huang (Chn) Points: 9.737
7. Paul Hamm (USA) Points: 9.737

9. Ioan Silviu Suciu (Rom) Points: 9.712 - R
10. Thomas Andergassen (Ger) Points: 9.712 - R
11. Morgan Hamm (USA) Points: 9.700 - R
12. Naoya Tsukahara (Jpn) Points: 9.687
13. Luis Vargas (Pue) Points: 9.675
14. Yernar Yerimbetov (Kaz) Points: 9.675
15. Ivan Ivankov (Blr) Points: 9.675
16. Aowei Xing (Chn) Points: 9.650
17. Oriol Combarros (Spa) Points: 9.650
18. Alberto Busnari (Ita) Points: 9.637
19. Ilie Daniel Popescu (Rom) Points: 9.625
20. Tae Young Yang (Kor) Points: 9.625
21. Mosiah Rodrigues (Bra) Points: 9.600
22. Igor Cassina (Ita) Points: 9.600
23. Abel Driggs Santos (Cub) Points: 9.600
24. Sergei Pfeifer (Ger) Points: 9.575
25. Roman Zozulia (Ukr) Points: 9.562
26. Dae Eun Kim (Kor) Points: 9.537
27. Wei Yang (Chn) Points: 9.525
28. Yann Cucherat (Fra) Points: 9.512
29. Eric Lopez Rios (Cub) Points: 9.500
30. Anton Golotsutskov (Rus) Points: 9.487
31. Pierre Yves Beny (Fra) Points: 9.475
32. Pavel Gofman (Isr) Points: 9.475
33. Igors Vihrovs (Lat) Points: 9.462
34. Dong Hwa Kim (Kor) Points: 9.462
35. Alexei Nemov (Rus) Points: 9.450
36. Hisashi Mizutori (Jpn) Points: 9.450
37. Robert Juckel (Ger) Points: 9.425
38. Valeri Goncharov (Ukr) Points: 9.425
39. Ruslan Myezyentsev (Ukr) Points: 9.425
40. David Kikuchi (Can) Points: 9.412
41. Vadym Kuvakin (Ukr) Points: 9.337
42. Qin Xiao (Chn) Points: 9.337
43. Marian Dragulescu (Rom) Points: 9.325
44. Dan Nicolae Potra (Rom) Points: 9.300
45. Grant Golding (Can) Points: 9.262
46. Shu Wai Ng (Mal) Points: 9.250
47. Adam Wong (Can) Points: 9.237
47. Maxim Deviatovski (Rus) Points: 9.237
49. Jason Gatson (USA) Points: 9.225
50. Guard Young (USA) Points: 9.212
51. Andreas Schweizer (Swi) Points: 9.200
52. Jesus Carballo (Spa) Points: 9.175
53. Benoit Caranobe (Fra) Points: 9.162
54. Yuri Chechi (Ita) Points: 9.150
55. Sun Sung Lee (Kor) Points: 9.137
56. Hyon Il Kim (PRK) Points: 9.112
57. Ilia Giorgadze (Geo) Points: 9.100
58. Sven Kwiatkowski (Ger) Points: 9.087
59. Fabian Hambuechen (Ger) Points: 9.075
60. Johan Mounard (Fra) Points: 9.050
61. Brett Mcclure (USA) Points: 9.000
62. Rafael Martinez (Spa) Points: 8.962
63. Wajdi Bouallegue (Tun) Points: 8.950
64. Alejandro Barrenechea (Spa) Points: 8.912
65. Ken Ikeda (Can) Points: 8.900
66. Denis Savenkov (Blr) Points: 8.800
67. Seung Il Kim (Kor) Points: 8.800
68. Enrico Pozzo (Ita) Points: 8.787
69. Matteo Morandi (Ita) Points: 8.750
70. Philippe Rizzo (Aus) Points: 8.700
71. Vlasios Maras (Gre) Points: 8.650
72. Alexei Bondarenko (Rus) Points: 8.650
73. Andrei Mykaylichenko (Ukr) Points: 8.650
74. Christoph Schaerer (Swi) Points: 8.650
75. Filipe Bezugo (Por) Points: 8.525
76. Isao Yoneda (Jpn) Points: 8.450
77. Jorge Hugo Giraldo (Col) Points: 8.437
78. Dimitri Karbanenko (Fra) Points: 8.375
79. Georgi Grebenkov (Rus) Points: 8.300
80. Filip Yanev (Bgr) Points: 8.300
81. Alexander Jeltkov (Can) Points: 7.600

Argolas
1. Dimosthenis Tampakos (Gre) Points: 9.850
2. Jordan Jovtchev (Bgr) Points: 9.812
3. Matteo Morandi (Ita) Points: 9.775
4. Yuri Chechi (Ita) Points: 9.762
5. Pierre Yves Beny (Fra) Points: 9.750
6. Hiroyuki Tomita (Jpn) Points: 9.750
7. Alexander Safoshkin (Rus) Points: 9.750
8. Andreas Schweizer (Swi) Points: 9.737

9. Roman Zozulia (Ukr) Points: 9.725 Behind: 0.125 - R
10. Wei Yang (Chn) Points: 9.712 Behind: 0.138 - R
11. Xu Huang (Chn) Points: 9.712 Behind: 0.138 - R
12. Georgi Grebenkov (Rus) Points: 9.712 Behind: 0.138
13. Ivan Ivankov (Blr) Points: 9.700 Behind: 0.150
14. Dae Eun Kim (Kor) Points: 9.700 Behind: 0.150
14. Razvan Dorin Selariu (Rom) Points: 9.700 Behind: 0.150
16. Naoya Tsukahara (Jpn) Points: 9.700 Behind: 0.150
16. Dong Hwa Kim (Kor) Points: 9.700 Behind: 0.150
18. Ruslan Myezyentsev (Ukr) Points: 9.687 Behind: 0.163
19. Rafael Martinez (Spa) Points: 9.675 Behind: 0.175
20. Maxim Deviatovski (Rus) Points: 9.675 Behind: 0.175
21. Matteo Angioletti (Ita) Points: 9.675 Behind: 0.175
22. Alexei Bondarenko (Rus) Points: 9.662 Behind: 0.188
23. Hisashi Mizutori (Jpn) Points: 9.650 Behind: 0.200
24. Grant Golding (Can) Points: 9.650 Behind: 0.200
25. Denis Savenkov (Blr) Points: 9.637 Behind: 0.213
25. Eric Lopez Rios (Cub) Points: 9.637 Behind: 0.213
27. Isao Yoneda (Jpn) Points: 9.625 Behind: 0.225
28. Oriol Combarros (Spa) Points: 9.625 Behind: 0.225
29. Tae Young Yang (Kor) Points: 9.625 Behind: 0.225
30. Sun Sung Lee (Kor) Points: 9.625 Behind: 0.225
30. Anton Golotsutskov (Rus) Points: 9.625 Behind: 0.225
30. Blaine Wilson (USA) Points: 9.625 Behind: 0.225
33. Seong Min Cho (Kor) Points: 9.612 Behind: 0.238
34. Guard Young (USA) Points: 9.612 Behind: 0.238
35. Vadym Kuvakin (Ukr) Points: 9.600 Behind: 0.250
36. Benoit Caranobe (Fra) Points: 9.587 Behind: 0.263
37. Thomas Andergassen (Ger) Points: 9.587 Behind: 0.263
38. Sergei Pfeifer (Ger) Points: 9.587 Behind: 0.263
39. Victor Cano (Spa) Points: 9.575 Behind: 0.275
40. Ilie Daniel Popescu (Rom) Points: 9.562 Behind: 0.288
41. Robert Juckel (Ger) Points: 9.550 Behind: 0.300
42. Abel Driggs Santos (Cub) Points: 9.550 Behind: 0.300
43. Jason Gatson (USA) Points: 9.525 Behind: 0.325
44. Paul Hamm (USA) Points: 9.512 Behind: 0.338
45. David Kikuchi (Can) Points: 9.500 Behind: 0.350
46. Luis Vargas (Pue) Points: 9.500 Behind: 0.350
47. Dan Nicolae Potra (Rom) Points: 9.500 Behind: 0.350
48. Ioan Silviu Suciu (Rom) Points: 9.487 Behind: 0.363
49. Marian Dragulescu (Rom) Points: 9.475 Behind: 0.375
50. Pavel Gofman (Isr) Points: 9.462 Behind: 0.388
51. Ilia Giorgadze (Geo) Points: 9.450 Behind: 0.400
52. Evgeni Bogonosyuk (Ukr) Points: 9.437 Behind: 0.413
53. Florent Maree (Fra) Points: 9.387 Behind: 0.463
54. Alejandro Barrenechea (Spa) Points: 9.362 Behind: 0.488
55. Yernar Yerimbetov (Kaz) Points: 9.300 Behind: 0.550
56. Jorge Hugo Giraldo (Col) Points: 9.237 Behind: 0.613
57. Igors Vihrovs (Lat) Points: 9.225 Behind: 0.625
58. Igor Cassina (Ita) Points: 9.162 Behind: 0.688
59. Runar Alexandersson (Ice) Points: 9.162 Behind: 0.688
60. Shu Wai Ng (Mal) Points: 9.162 Behind: 0.688
61. Xiaopeng Li (Chn) Points: 9.112 Behind: 0.738
62. Adam Wong (Can) Points: 9.112 Behind: 0.738
63. Sven Kwiatkowski (Ger) Points: 9.075 Behind: 0.775
64. Brett Mcclure (USA) Points: 9.037 Behind: 0.813
65. Dimitri Karbanenko (Fra) Points: 9.012 Behind: 0.838
66. Daisuke Nakano (Jpn) Points: 9.012 Behind: 0.838
67. Filipe Bezugo (Por) Points: 8.962 Behind: 0.888
68. Aowei Xing (Chn) Points: 8.925 Behind: 0.925
69. Yann Cucherat (Fra) Points: 8.912 Behind: 0.938
70. Vlasios Maras (Gre) Points: 8.775 Behind: 1.075
71. Mosiah Rodrigues (Bra) Points: 8.600 Behind: 1.250
72. Alexander Jeltkov (Can) Points: 8.562 Behind: 1.288
73. Wajdi Bouallegue (Tun) Points: 8.562 Behind: 1.288
74. Fabian Hambuechen (Ger) Points: 8.537 Behind: 1.313
75. Filip Yanev (Bgr) Points: 8.137 Behind: 1.713
76. Kyle Shewfelt (Can) Points: 8.112 Behind: 1.738
77. Enrico Pozzo (Ita) Points: 7.850 Behind: 2.000

Salto
1. Li Xiaopeng CHN 9.800 
2. Alexei Bondarenko RUS 9.750 
3. Yevgeny Sapronenko LAT 9.706 
4. Marian Dragulescu ROM 9.662
5. Kyle Shewfelt CAN 9.649
6. Gervasio Deferr ESP 9.631
7. Filip Yanev BUL 9.625
8. Robert Gal HUN 9.543

9. Benoit Caranobe FRA 9.506 - R
10. Razvan Selariu ROM 9.468 - R
11. Yernar Yerimbetov KAZ 9.431 - R
12. Anton Golotsutskov RUS 9.424
13. Igors Vihrovs LAT 9.362
14. Erick Lopez CUB 9.356
15. Cho Seong Min KOR 9.306
16. Vadim Kuvakin UKR 9.287
17. Matthias Fahrig GER 9.243
18. Jong Song Ri PRK 9.174
19. Abel Driggs CUB 9.156

Paralelas
1. Daisuke Nakano (Jpn) Points: 9.800
2. Hiroyuki Tomita (Jpn) Points: 9.787
3. Xiaopeng Li (Chn) Points: 9.787
4. Ivan Ivankov (Blr) Points: 9.762
5. Paul Hamm (USA) Points: 9.762
6. Yann Cucherat (Fra) Points: 9.750
7. Valeri Goncharov (Ukr) Points: 9.737
8. Yernar Yerimbetov (Kaz) Points: 9.725

9. Johan Mounard (Fra) Points: 9.725  - R
10. Roman Zozulia (Ukr) Points: 9.712  - R
11. Jason Gatson (USA) Points: 9.712 - R
12. Marius Daniel Urzica (Rom) Points: 9.700 Behind: 0.100
13. Philippe Rizzo (Aus) Points: 9.700 Behind: 0.100
13. Alexei Nemov (Rus) Points: 9.700 Behind: 0.100
15. Georgi Grebenkov (Rus) Points: 9.687 Behind: 0.113
16. Eric Lopez Rios (Cub) Points: 9.687 Behind: 0.113
17. Isao Yoneda (Jpn) Points: 9.687 Behind: 0.113
18. Blaine Wilson (USA) Points: 9.687 Behind: 0.113
19. Brett Mcclure (USA) Points: 9.675 Behind: 0.125
20. Xu Huang (Chn) Points: 9.675 Behind: 0.125
21. Seong Min Cho (Kor) Points: 9.650 Behind: 0.150
22. Naoya Tsukahara (Jpn) Points: 9.650 Behind: 0.150
23. Guard Young (USA) Points: 9.637 Behind: 0.163
24. Wei Yang (Chn) Points: 9.625 Behind: 0.175
25. David Kikuchi (Can) Points: 9.625 Behind: 0.175
26. Seung Il Kim (Kor) Points: 9.612 Behind: 0.188
27. Pavel Gofman (Isr) Points: 9.612 Behind: 0.188
28. Fabian Hambuechen (Ger) Points: 9.600 Behind: 0.200
29. Ilia Giorgadze (Geo) Points: 9.600 Behind: 0.200
30. Tae Young Yang (Kor) Points: 9.587 Behind: 0.213
31. Yuri Chechi (Ita) Points: 9.587 Behind: 0.213
32. Andrei Mykaylichenko (Ukr) Points: 9.575 Behind: 0.225
33. Marian Dragulescu (Rom) Points: 9.562 Behind: 0.238
34. Dan Nicolae Potra (Rom) Points: 9.550 Behind: 0.250
35. Thomas Andergassen (Ger) Points: 9.537 Behind: 0.263
36. Alexei Bondarenko (Rus) Points: 9.537 Behind: 0.263
37. Hyon Il Kim (PRK) Points: 9.537 Behind: 0.263
38. Qin Xiao (Chn) Points: 9.525 Behind: 0.275
39. Ioan Silviu Suciu (Rom) Points: 9.500 Behind: 0.300
40. Takehiro Kashima (Jpn) Points: 9.475 Behind: 0.325
41. Maxim Deviatovski (Rus) Points: 9.462 Behind: 0.338
42. Benoit Caranobe (Fra) Points: 9.450 Behind: 0.350
43. Ruslan Myezyentsev (Ukr) Points: 9.437 Behind: 0.363
44. Jorge Hugo Giraldo (Col) Points: 9.437 Behind: 0.363
45. Abel Driggs Santos (Cub) Points: 9.425 Behind: 0.375
46. Sun Sung Lee (Kor) Points: 9.425 Behind: 0.375
47. Andreas Schweizer (Swi) Points: 9.387 Behind: 0.413
48. Sven Kwiatkowski (Ger) Points: 9.362 Behind: 0.438
49. Luis Vargas (Pue) Points: 9.325 Behind: 0.475
50. Rafael Martinez (Spa) Points: 9.325 Behind: 0.475
51. Runar Alexandersson (Ice) Points: 9.312 Behind: 0.488
52. Igors Vihrovs (Lat) Points: 9.287 Behind: 0.513
53. Adam Wong (Can) Points: 9.262 Behind: 0.538
54. Matthias Fahrig (Ger) Points: 9.212 Behind: 0.588
55. Jesus Carballo (Spa) Points: 9.187 Behind: 0.613
56. Sergei Pfeifer (Ger) Points: 9.150 Behind: 0.650
57. Razvan Dorin Selariu (Rom) Points: 9.150 Behind: 0.650
58. Florent Maree (Fra) Points: 9.150 Behind: 0.650
59. Enrico Pozzo (Ita) Points: 9.100 Behind: 0.700
60. Vlasios Maras (Gre) Points: 9.087 Behind: 0.713
61. Dae Eun Kim (Kor) Points: 9.075 Behind: 0.725
62. Alberto Busnari (Ita) Points: 8.987 Behind: 0.813
63. Alejandro Barrenechea (Spa) Points: 8.975 Behind: 0.825
64. Grant Golding (Can) Points: 8.962 Behind: 0.838
65. Vadym Kuvakin (Ukr) Points: 8.912 Behind: 0.888
66. Denis Savenkov (Blr) Points: 8.875 Behind: 0.925
67. Mosiah Rodrigues (Bra) Points: 8.800 Behind: 1.000
68. Alexander Jeltkov (Can) Points: 8.787 Behind: 1.013
69. Christoph Schaerer (Swi) Points: 8.737 Behind: 1.063
70. Ken Ikeda (Can) Points: 8.687 Behind: 1.113
71. Igor Cassina (Ita) Points: 8.675 Behind: 1.125
72. Oriol Combarros (Spa) Points: 8.637 Behind: 1.163
73. Dimitri Karbanenko (Fra) Points: 8.550 Behind: 1.250
74. Victor Cano (Spa) Points: 8.475 Behind: 1.325
75. Filip Yanev (Bgr) Points: 8.375 Behind: 1.425
76. Matteo Morandi (Ita) Points: 8.375 Behind: 1.425
77. Wajdi Bouallegue (Tun) Points: 8.350 Behind: 1.450
78. Shu Wai Ng (Mal) Points: 8.300 Behind: 1.500
79. Filipe Bezugo (Por) Points: 8.262 Behind: 1.538
80. Anton Golotsutskov (Rus) Points: 7.737 Behind: 2.063
81. Haibin Teng (Chn) Points: 6.775 Behind: 3.025

Barra Fixa
1. Isao Yoneda (Jpn) Points: 9.800
2. Igor Cassina (Ita) Points: 9.775
3. Daisuke Nakano (Jpn) Points: 9.775
4. Qin Xiao (Chn) Points: 9.750
5. Paul Hamm (USA) Points: 9.750
6. Hisashi Mizutori (Jpn) Points: 9.737
7. Alexei Nemov (Rus) Points: 9.737
7. Morgan Hamm (USA) Points: 9.737
9. Fabian Hambuechen (Ger) Points: 9.737

9. Takehiro Kashima (Jpn) Points: 9.737 Behind: 0.063
9. Tae Young Yang (Kor) Points: 9.737 Behind: 0.063 - R
9. Valeri Goncharov (Ukr) Points: 9.737 Behind: 0.063 - R
13. Vlasios Maras (Gre) Points: 9.725 Behind: 0.075 - R
14. Hiroyuki Tomita (Jpn) Points: 9.725 Behind: 0.075
15. Sun Sung Lee (Kor) Points: 9.712 Behind: 0.088
16. Seung Il Kim (Kor) Points: 9.700 Behind: 0.100
17. Ivan Ivankov (Blr) Points: 9.700 Behind: 0.100
17. Rafael Martinez (Spa) Points: 9.700 Behind: 0.100
17. Yann Cucherat (Fra) Points: 9.700 Behind: 0.100
20. Haibin Teng (Chn) Points: 9.687 Behind: 0.113
20. Robert Juckel (Ger) Points: 9.687 Behind: 0.113
22. Aowei Xing (Chn) Points: 9.687 Behind: 0.113
23. Florent Maree (Fra) Points: 9.687 Behind: 0.113
24. Marius Daniel Urzica (Rom) Points: 9.675 Behind: 0.125
25. Brett Mcclure (USA) Points: 9.662 Behind: 0.138
26. Christoph Schaerer (Swi) Points: 9.650 Behind: 0.150
27. Xu Huang (Chn) Points: 9.637 Behind: 0.163
28. Johan Mounard (Fra) Points: 9.637 Behind: 0.163
29. Alexander Jeltkov (Can) Points: 9.625 Behind: 0.175
30. Luis Vargas (Pue) Points: 9.625 Behind: 0.175
31. Alexei Bondarenko (Rus) Points: 9.600 Behind: 0.200
32. Mosiah Rodrigues (Bra) Points: 9.562 Behind: 0.238
33. Matthias Fahrig (Ger) Points: 9.562 Behind: 0.238
34. Wei Yang (Chn) Points: 9.550 Behind: 0.250
35. Marian Dragulescu (Rom) Points: 9.550 Behind: 0.250
36. Benoit Caranobe (Fra) Points: 9.537 Behind: 0.263
37. Dimitri Karbanenko (Fra) Points: 9.537 Behind: 0.263
38. Evgeni Bogonosyuk (Ukr) Points: 9.525 Behind: 0.275
39. Dong Hwa Kim (Kor) Points: 9.525 Behind: 0.275
40. Razvan Dorin Selariu (Rom) Points: 9.512 Behind: 0.288
41. Yernar Yerimbetov (Kaz) Points: 9.500 Behind: 0.300
42. Sven Kwiatkowski (Ger) Points: 9.487 Behind: 0.313
43. Georgi Grebenkov (Rus) Points: 9.487 Behind: 0.313
44. Dae Eun Kim (Kor) Points: 9.462 Behind: 0.338
45. Roman Zozulia (Ukr) Points: 9.450 Behind: 0.350
46. Ioan Silviu Suciu (Rom) Points: 9.412 Behind: 0.388
47. Igors Vihrovs (Lat) Points: 9.362 Behind: 0.438
48. Pavel Gofman (Isr) Points: 9.362 Behind: 0.438
49. Jason Gatson (USA) Points: 9.337 Behind: 0.463
50. Alberto Busnari (Ita) Points: 9.337 Behind: 0.463
51. Jorge Hugo Giraldo (Col) Points: 9.337 Behind: 0.463
52. Maxim Deviatovski (Rus) Points: 9.312 Behind: 0.488
53. Alejandro Barrenechea (Spa) Points: 9.275 Behind: 0.525
54. Filipe Bezugo (Por) Points: 9.262 Behind: 0.538
55. Shu Wai Ng (Mal) Points: 9.225 Behind: 0.575
56. Andreas Schweizer (Swi) Points: 9.225 Behind: 0.575
57. Kyle Shewfelt (Can) Points: 9.212 Behind: 0.588
58. Filip Yanev (Bgr) Points: 9.137 Behind: 0.663
59. Sergei Pfeifer (Ger) Points: 9.125 Behind: 0.675
60. Eric Lopez Rios (Cub) Points: 9.112 Behind: 0.688
61. Adam Wong (Can) Points: 9.087 Behind: 0.713
62. David Kikuchi (Can) Points: 9.075 Behind: 0.725
63. Ilia Giorgadze (Geo) Points: 9.075 Behind: 0.725
64. Ruslan Myezyentsev (Ukr) Points: 9.037 Behind: 0.763
65. Runar Alexandersson (Ice) Points: 9.000 Behind: 0.800
66. Philippe Rizzo (Aus) Points: 8.950 Behind: 0.850
67. Blaine Wilson (USA) Points: 8.862 Behind: 0.938
68. Abel Driggs Santos (Cub) Points: 8.812 Behind: 0.988
69. Jesus Carballo (Spa) Points: 8.737 Behind: 1.063
70. Matteo Morandi (Ita) Points: 8.700 Behind: 1.100
71. Wajdi Bouallegue (Tun) Points: 8.512 Behind: 1.288
72. Grant Golding (Can) Points: 8.500 Behind: 1.300
73. Dan Nicolae Potra (Rom) Points: 8.500 Behind: 1.300
74. Andrei Mykaylichenko (Ukr) Points: 8.300 Behind: 1.500
75. Enrico Pozzo (Ita) Points: 8.300 Behind: 1.500
76. Matteo Angioletti (Ita) Points: 8.212 Behind: 1.588
77. Oriol Combarros (Spa) Points: 8.050 Behind: 1.750
78. Victor Cano (Spa) Points: 7.950 Behind: 1.850
79. Denis Savenkov (Blr) Points: 7.300 Behind: 2.500

Negrito: Classificado para final

- R : Reserva

14/08/2004

"Fiz o que tinha que fazer", diz Mosiah Rodrigues

Fonte: UOL

Dever cumprido. É assim que se sente o ginasta Mosiah Rodrigues, depois de ter conquistado a melhor colocação de um brasileiro na disputa masculina dos Jogos Olímpicos. Neste sábado, ele ficou em 33º lugar na competição, bem à frente do 63º posto de João Luiz Ribeiro em Moscou-1980.

Se o desempenho não foi suficiente para levar Mosiah às finais no individual geral -os 24 melhores, dois por país, garantem vaga-, pelo menos serviram para mostrar que o mais experiente ginasta da equipe brasileira está no caminho certo. Ele conseguiu, por exemplo, ganhar 12 posições em relação ao último Campeonato Mundial, realizado no ano passado, em Anaheim, nos Estados Unidos.

O brasileiro vibrou também com o total de pontos obtidos, 54.899, acima de sua expectativa inicial, e com a média superior a nove pontos no somatório dos seis aparelhos (argolas, salto, paralelas, barras fixas, solo e cavalo com alça). Outro motivo para comemoração foi a nota 9.600 conseguida no cavalo com alça, a melhor que já conseguiu em sua carreira neste aparelho.

"Estou feliz por tudo o que consegui aqui", comemorou Mosiah. "Fiz o que tinha que fazer. Atingi a meta que foi traçada. Sinto que estou dando um passo à frente, avançando junto com a ginástica do Brasil", completou.

Mosiah só lamentou não ter contado com a companhia dos outros ginastas da equipe brasileira em Atenas. Ele disse que os companheiros fizeram falta na competição e dedicou o resultado a eles.

Para o técnico Leonardo Finco, que acompanha Mosiah desde que o atleta tinha sete anos, o resultado obtido pelo brasileiro mostra que a ginástica masculina evoluiu nos últimos anos. "Estamos em outro patamar. É bom destacar também que Mosiah fez toda a sua apresentação sem queda", disse Finco.

Já de olhos nas competições futuras, o treinador disse que Mosiah precisa melhorar seu desempenho nas argolas e na paralela. "O problema é que ele ja parte, no máximo, de 9.1 e 9.2, respectivamente, nesses aparelhos. Aí, fica mais difícil competir com os adversários."

14/08/2004

Mosiah consegue o melhor resultado brasileiro no masculino

Fonte: UOL

O brasileiro Mosiah Rodrigues conquistou neste sábado em Atenas a melhor posição de um brasileiro na disputa masculina da ginástica artística em Jogos Olímpicos. Com 54.899 pontos, ele terminou a fase de classificação em 33º lugar, bem à frente do 63º posto obtido por João Luiz Ribeiro em Moscou-1980.

O brasileiro ficou perto de uma vaga na final individual, uma vez que os 24 primeiros colocados se classificaram para a decisão.

Mosiah conquistou também a maior nota na carreira no cavalo com alças. Mas o resultado, 9.600 pontos, foi insuficiente para colocá-lo na final. Ele não conseguiu ficar entre os oito melhores colocados no aparelho e, por isso, teve a participação encerrada na Olimpíada.

Mosiah disputou a segunda série eliminatória em Atenas. Com pouca chance de ficar entre os 24 primeiros colocados na classificação geral, o que garantiria uma vaga na final individual, o ginasta se concentrou em uma de suas especialidades: o cavalo com alças.

E a tática deu certo. Mosiah atingiu 9.600 pontos e ficou na expectativa da realização da última bateria qualificatória para ver se ainda tinha chance de ir à decisão. Entretanto, o nível da prova em Atenas esteve altíssimo, e os últimos classificados para a final, o chinês Xu Huang e o norte-americano Paul Hamm, obtiveram a nota de 9.737.

Nos outros aparelhos, ele foi apenas regular. Na barra fixa, o brasileiro recebeu 9.562. No salto, 9.262. No solo, 9.075. Nas barras paralelas, o desempenho foi abaixo de sua média: 8.800. Pior ainda foi nas argolas: 8.600.

O melhor ginasta do dia foi o norte-americano Paul Hamm, com 58.061 pontos. O sul-coreano Yang Tae-Young obteve uma surpreendente segunda colocação, com 57.924 pontos. O japonês Hiroyuki Tomita foi o terceiro, com 57.649 pontos. A disputa masculina na ginástia artística prossegue nesta segunda-feira, com a final por equipes. Na quarta-feira, acontece a decisão individual, e na semana que vem, a por aparelhos.
14/08/2004

 

Mosiah tem melhor desempenho da ginástica masculina do Brasil em Olimpíadas

Fonte: Lancepress!

Mosiah Rodrigues garantiu, neste sábado, o melhor desempenho da história da ginástica artística brasileira masculina em Olimpíadas. Ele ficou em 33º lugar na classificação geral da Olimpíada de Atenas, com a soma de 54.899 pontos nos seis aparelhos e provou que a evolução da modalidade não se limita à equipe feminina. Antes dele, o melhor desempenho de um brasileiro em Jogos Olímpicos havia sido o 63º lugar de Gerson Gnoatto, em Moscou-80.

Apesar de ter ficado de fora das finais no individual geral, já que somente os 24 melhores se classificam, Mosiah melhorou o desempenho que teve no Mundial de 2003, em Anaheim, nos Estados Unidos, ganhando 12 posições em relação àquela competição.

- Estou feliz por tudo o que consegui aqui. Fiz o que tinha que fazer. Atingi a meta que foi traçada. Sinto que estou dando um passo à frente, avançando junto com a ginástica do Brasil - disse o ginasta brasileiro, satisfeito com a performance em Atenas.

Agora, Mosiah ficará em Atenas torcendo para a equipe feminina, que começa as disputas no domingo.

14/08/2004

Mosiah, 22º após duas séries, tem poucas chances na geral

Fonte: UOL

O brasileiro Mosiah Rodrigues encerrou sua participação neste sábado, o primeiro dia de provas da ginástica artística em Atenas. Único atleta do país classificado para as Olimpíadas, ele está em 22º lugar após duas das três séries classificatórias programadas.

Dificilmente ele passará à final na geral, já que só os 24 melhores ginastas -no máximo dois por país- avançam, e ainda restam as apresentações das fortes equipes da China, favorita ao ouro, e Japão.

Mosiah se apresentou na segunda série. Sua melhor nota foi 9.600, no cavalo com alças, sua especialidade. Seguro, ele apresentou uma série simples e sem erros maiores. Na barra fixa, o brasileiro recebeu 9.562. No salto, 9.262. No solo, 9.075. Nas barras paralelas, o desempenho foi abaixo de sua média: 8.800. A nota das argolas ainda não foi confirmada.

A expectativa é de que o brasileiro consiga ir a uma final por aparelhos.

14/08/2004

Exame confirma fratura cervical em ginasta

Fonte: UOL

Exames confirmaram neste sábado que a ginasta polonesa Joanna Skowronska quebrou a vértebra cervical ao cair das barras assimétricas durante exibição, na última quinta, em Atenas. A atleta de 22 anos segue internada num hospital da cidade e sua condição é estável.

O lugar deixado por Skowronska na competição individual, que começa neste domingo, deve ser preenchido pela argentina Celeste Carnevale.

13/08/2004

Ginástica artística repete luta do "mundo" contra os EUA

Fonte: UOL

A atual luta do "mundo" contra os Estados Unidos se repetirá na ginástica artística feminina, nas Olimpíadas de Atenas. Mas, diferente do que acontece nas ruas, não haverá hostilidades nem protestos. Com graça e técnica, as ginastas tentarão superar o país que é atual campeão mundial por equipes.

A Romênia tentará vingar a derrota que sofreu para os EUA no Mundial de Anaheim-2003. Mesmo sem ter contado com três de suas principais ginastas, que estavam contundidas, a equipe norte-americana conseguiu superar a campeã olímpica de Sydney-2000.

O título europeu conquistado em abril confirmou que, apesar da prata no Mundial, as romenas ainda estão a caminho do bicampeonato olímpico. Prata em Sydney, a Rússia vai apostar no quarteto Khorkina, Pavlova, Ziganshina e Zamolodchikova para entrar no páreo.

O Brasil inicia sua participação neste sábado, no individual masculino, com Mosiah Rodrigues, único atleta do país classificado. Por equipes, os gêmeos Paul e Morgan Hamm vão liderar a equipe dos EUA para tentar fazer frente à China. Os asiáticos confirmaram o favoritismo vencendo o último Mundial e em Atenas querem repetir o ouro conquistado há quatro anos.

Também estão na lista de candidatos ao pódio Japão, terceiro colocado no Mundial; Rússia, bronze em Sydney; e Romênia, que conquistou o título europeu em abril deste ano.

Nova geração busca espaço
No individual, o brasileiro Mosiah tentará cumprir a difícil missão de passar a uma final. Já a missão do russo Alexei Nemov é manter em Atenas o reinado conquistado em Sydney, quando arrebatou cinco medalhas, sendo duas de ouro, na geral e na barra fixa. O chinês Li Xiao-Peng, ouro em 2000 por equipes e nas barras paralelas, é outro "veterano" que aparece entre os favoritos. No último Mundial, ele manteve o domínio nas barras paralelas e levou o ouro também no salto sobre o cavalo.

Passados quatro anos, uma nova geração aumenta a briga pelo pódio. Quem sai na frente é o japonês Naoya Tsukahara, atual campeão mundial. Paul Hamm (EUA) é outro forte candidato depois da prata na geral no Mundial, quando também obteve o ouro no solo.

O búlgaro Jordan Jovtchev também merece atenção. Ele poderá confirmar a supremacia no solo e nas argolas -pois é o atual líder do ranking mundial nas duas provas.

Olhos sobre Khorkina
Aos 27 anos, a tricampeã mundial Svetlana Khorkina, da Rússia, terá em Atenas sua última chance de conquistar um ouro olímpico. Fora do pódio na geral individual, Khorkina saiu de Sydney-2000 com três medalhas, entre elas o ouro nas barras assimétricas.

A norte-americana Carly Patterson, prata no Mundial de Anaheim, e a japonesa Nan Zhang estão entre as que podem estragar a festa da russa.

Outra forte candidata é a espanhola Elena Gómez. Além de brigar pelo ouro na geral, ela será a maior rival da brasileira Daiane dos Santos no solo. Nas Olimpíadas, Gómez ela terá a chance de vingar a derrota sofrida para Daiane no Mundial de 2003.

A uzbeque Oxana Chusovitina também carrega o favoritismo em Atenas. Afinal, assim como Daiane no solo, ela é a atual campeã mundial e lidera o ranking no salto sobre o cavalo.

13/08/2004

Ginasta polonesa fratura coluna e está fora de Atenas

Fonte: Lancepress!

A ginasta polonesa Joanna Skowronska sofreu um acidente em treino de pódio no Pavilhão Olímpico de Atenas, na quinta-feira, e está fora da Olimpíada. Quando realizava exercícios nas barras assimétricas, a atleta de 22 anos caiu e fraturou a sétima vértebra da coluna.

Apesar de não ser grave, o acidente tirou a russa dos Jogos. Ela ficará no hospital KAT de Atenas até a próxima segunda-feira.

Ela teve uma lesão na coluna cervical sem complicações neurológicas. Acho que ela ficará bem - disse Panagiotis Soukakos, administrador do no Pavilhão Olímpico.

Em 2003, Skowronska se classificou em 65º lugar geral na Copa do Mundo.

13/08/2004

Ginasta sofre acidente em exibição e está fora da Olimpíada

Fonte: UOL

A ginasta polonesa Joanna Skowronska sofreu um acidente durante o treino de pódio realizado nesta quinta-feira, no Ginásio Olímpico Indoor. Enquanto fazia exercícios nas barras assimétricas, a atleta de 22 anos caiu e acabou fraturando a sétima vértebra da coluna.

Embora o acidente não tenha tido consequências graves, Skowronka ficará hospitalizada e não terá condições de disputar os Jogos de Atenas.

"Ela teve uma lesão na coluna cervical sem complicações neurológicas. Acho que ela ficará bem", disse Panagiotis Soukakos, administrador do Ginásio Olímpico Indoor.

Antes de sair do ginásio, os médicos imobilizaram o pescoço da polonesa com um colar ortopédico, que a ginasta terá que utilizar durante seis ou sete semanas, até se recuperar.

13/08/2004

Daiane é eleita a melhor da equipe

Fonte: UOL - Roberto Dias

Na prévia oficial dos Jogos, Daiane dos Santos foi "a melhor". Essa é a opinião da Confederação Brasileira de Ginástica.

Bastante aplaudida pelo público após se apresentar no treino de pódio da modalidade -quando os atletas apresentam aos jurados os movimentos que vão executar na competição-, Daiane também adotou discurso otimista.

"Estou bem feliz. Não tenho como não estar confiante", afirmou a ginasta gaúcha de 21 anos.

A seu lado, a chefe da delegação brasileira, Eliane Martins, sentenciou: "Foi muito bem. Foi ótimo. Foi a melhor do dia, sem bairrismo. Estou aqui desde as 9h30", disse ela quando o relógio já avançava além das 21h.

Para a dirigente, a exibição ajudará a brasileira no momento em que os jurados forem avaliá-la durante a competição. "A primeira impressão é sempre a que fica."

Daiane mostrou ontem (quinta-feira), em sua série do solo, que durou um minuto e meio, o salto duplo twist carpado, já batizado pela federação internacional como "Dos Santos". Não fez, entretanto, o duplo twist esticado, ainda mais difícil do que o anterior.

Após a fase de classificação, no início do torneio olímpico feminino de ginástica artística, o duplo twist esticado deverá ser incluído novamente na série. O objetivo é poupar o joelho direto da ginasta, operado há 55 dias em Curitiba.

"Para ela se classificar [para a final do solo], não precisa fazer o estendido. Então é bobagem querer arriscar", disse Eliane.

Dependendo dos resultados de domingo, ela pode voltar a atuar na terça-feira na final por equipes, porém ainda terá mais seis dias para melhorar a situação de seu joelho até a decisão do solo. Só então o duplo twist esticado voltará, segundo informou a dirigente.

Daiane tem aprovado sua recuperação. "Estava mancando, mas não estou mais. Isso é normal. Os médicos são muito eficientes."

A ginasta se diz preparada para competir. "Agora não tem mais nada para fazer. Eu não estou nervosa. [No domingo], quero estar que nem eu estava hoje [ontem]", afirmou.

A seleção brasileira participou da última rodada de apresentações do dia. Treinou ao lado de Espanha, França e um conjunto de ginastas de outros países.

Quem esteve lado a lado de Daiane ontem foi a espanhola Elena Gomez, uma de suas principais adversárias no solo.

Para Elena, "é muito difícil" bater a atual campeã mundial em sua especialidade. "É uma boa ginasta e veio muito bem treinada."

Ontem, a brasileira só não subiu na trave, único dos quatro aparelhos em que não competirá. Enquanto suas cinco colegas de time se apresentavam, ela ficou fazendo alongamentos e massageando o joelho. Depois, concluiu: "Deu para ver que o Brasil está bem".

Ontem, quando voltou ao palco em que perdeu uma invencibilidade de oito meses no solo, em março, Daiane ficou com boa impressão do local. "Achei o ginásio muito bonito. Eles se superaram."

12/08/2004

Daiane treina normalmente e dores diminuem

Brasileira exibe sua coreografia de solo aos árbitros da Olimpíada de Atenas e é a ginasta mais aplaudida do treino

Fonte: Lancepress!

A ginasta brasileira Daiane dos Santos realizou normalmente todos os movimentos na exibição da sua coreografia de solo em Atenas. No "treino de pódio", que não conta pontos para a Olimpíada, os árbitros tomam conhecimento das coreografias que serão apresentadas na competição e Daiane foi a ginasta mais aplaudida pelos presentes ao Olympic Indoor Hall. A brasileira, que foi submetida a uma artroscopia em junho, já não sente tantas dores no joelho direito.

- Os trabalhos de fisioterapia, de esticar e recolher o joelho, diminuíram as dores. Dor eu vou sentir, é normal. E, às vezes, sinto uma instabilidade no joelho, o que também é normal. Ultimamente não tenho mancado, pois tenho feito bastante fisioterapia, com trabalho de flexibilização e extensão, que ajudou na minha recuperação. Deu para ver que eu e o Brasil estamos bem. Fiquei feliz por ver que há muitos brasileiros aqui. É muito bom ter a torcida a seu favor - disse a líder do ranking mundial do aparelho.

12/08/2004

Daiane encanta árbitros e público durante prévia em Atenas

Fonte: UOL - Murilo Garavello

Daiane dos Santos mostrou nesta quinta-feira que as dores no joelho não a impedem de continuar sendo favorita à medalha de ouro no solo em Atenas. No chamado "treino de pódio", que não vale para a competição, mas serve para que os árbitros saibam o que as ginastas pretendem mostrar no dia da prova, a brasileira foi a mais aplaudida pelos cerca de 300 espectadores no ginásio em que serão disputadas as provas de ginástica da Olimpíada.

Entre as brasileiras, Daiane foi a última a se apresentar no solo. E, no primeiro saltou que realizou, ainda no aquecimento, já foi aplaudida. Depois de assistir à performance das outras ginastas da seleção, executou sua coreografia sem nenhum deslize grave e aparentemente encantou os árbitros: dois deles se entreolharam, sorriram e trocaram confidências quando Daiane completou com sucesso o segundo salto da exibição, um duplo-twist esticado.

Com o semblante tenso antes de sua apresentação, ao deixar o tablado aplaudida Daiane soltou um enorme sorriso e fez um sinal de positivo na direção da arquibancada, onde estavam Mosiah Rodrigues, único ginasta brasileiro em Atenas, e seu técnico, Leonardo Finco. Daiane empolgou mais o público do que uma de suas principais rivais, a espanhola Elena Gómez.

Mosiah também aprovou a exibição de Daiane. "Ela fez tudo direitinho, deu pra ver que ela ficou muito feliz. É isso aí mesmo", afirmou o ginasta, que quando não está na seleção permanente defende o mesmo clube que Daiane, o Grêmio Náutico União, de Porto Alegre.

O exigente técnico da seleção, Oleg Ostapenko, mostrou a Daiane sua aprovação com um movimento de cabeça. Entretanto, não deixou de chamar a atenção da ginasta para um pequeno deslize na parte coreográfica da apresentação. Um minuto depois, Daiane voltou ao tablado e repetiu apenas a parte citada pelo técnico.

Antes de competir no solo, Daiane esperou as companheiras de seleção se apresentarem na trave -a brasileira não fará este aparelho em Atenas. Enquanto isso, recebeu massagens com anti-inflamatório aplicadas pelo médico Mauro Namba. Depois, até o fim da apresentação, Daiane vez ou outra colocava a mão sobre o joelho, operado em julho, mas não demonstrou enfrentar problemas para cumprir suas rotinas.

As demais ginastas da equipe brasileira -Daniele Hypólito, Camila Comin, Laís Souza e Ana Paula Rodrigues e Caroline Molinari- também participaram do "treino de pódio". Laís, Caroline e Daniele irritaram Oleg Ostapenko com quedas e desequilíbrios, principalmente na trave. A cada erro claro, o ucraniano virava de costas, fazia uma careta e praguejava em voz baixa. Afinal, em Atenas, sua reputação de um dos melhores técnicos do mundo está em jogo.

O Brasil dividiu a sessão com as equipes da França, Espanha e um combinado de ginastas de outros países. Entre elas, a uzbeque Oxana Chusovitina, maior favorita ao ouro no salto sobre o cavalo.

11/08/2004

Raducan quer medalha de ouro de volta

Fonte: UOL

A ex-ginasta romena Andrea Raducan exigiu nesta quarta-feira que o Comitê Olímpico Internacional (COI) lhe devolva a medalha de ouro confiscada depois que ela foi reprovada em exame antidoping nas Olimpíadas de Sydney-2000.

No teste, foi detectada pseudo-efedrina, então proibida pelo comitê, mas que deixou de ser considerada doping em 2003 por não produzir benefícios na performance.

"Estou furiosa, quero minha medalha de volta. O meu sonho é recuperá-la e vou esperar todo o tempo que for preciso", reclamou Raducan, que será comentarista em Atenas. "Não posso ir sozinha ao COI e dizer 'por favor, me devolvam a medalha', mas talvez depois dos Jogos eles me dêem de volta."

Campeã na geral por equipes, a ginasta foi obrigada a entregar a medalha 48 horas depois de conquistá-la, por causa da reprovação no teste. Raducan alega que a pseudo-efedrina fazia parte de um remédio contra resfriado que ela recebeu do médico da delegação romena.

"Fico contente que todos tenham entendido que houve um problema e tenham dito para mim 'Sabemos que você não é culpada e ainda é a campeã'", comentou Raducan.

11/08/2004

Mosiah Rodrigues encontra nivelamento entre ginastas

Fonte: UOL

O ginasta Mosiah Rodrigues, participou, nesta quarta-feira, do treino de pódio, espécie de ensaio geral para os homens antes da estréia olímpica neste sábado, dia 14. No primeiro contato com os aparelhos do Ginásio Olímpico Indoor, Mosiah aproveitou para afastar a ansiedade e observar os adversários.

"Passei bem pelo cavalo com alças, barra fixa e no salto, que são meus aparelhos mais fortes. Sei que será muito difícil, mas acho que não tem ninguém tão superior aqui. Há um nivelamento. Tudo dependerá do dia", analisou o ginasta, que tem como meta ficar entre os 24 melhores na eliminatória, garantindo, desta forma, uma vaga para a final do individual geral.

O treino de pódio foi aberto ao público e contou com uma pré-avaliação dos árbitros. Cada grupo de ginastas teve 20 minutos em cada um dos seis aparelhos. Mosiah se apresentou, pela ordem, na argola, salto, paralelas, barra fixa, solo e cavalo com alças, a mesma seqüência da sua estréia.

"Foi importante este primeiro contato com o ginásio, pois tive uma noção de como vai ser a competição. O treino serviu também para quebrar essa barreira da ansiedade, esse gelo que ainda existe. Estou transformando esse nervosismo natural em motivação. Mas estou bem preparado e saio daqui confiante em uma boa apresentação", comentou o atleta, que nesta quinta-feira treinará apenas em um período para descansar.

Leonardo Finco, técnico que acompanha Mosiah Rodrigues desde que ele tinha 7 anos, também saiu satisfeito com o desempenho do atleta. "Ele passou sem tantos erros, falhas ou quedas. Foi bem no cavalo e na barra fixa, que eram minhas preocupações. Pelo que eu apurei com alguns juízes ele terá nota de partida dez (nota máxima) nestes dois aparelhos, o que o ajudará bastante na soma final". disse.

O treino de pódio da ginástica feminina ocorrerá nesta quinta-feira, às 13h30 (horário de Brasília).

10/08/2004

Horários das Competições

Confira os horários dos eventos de Ginástica em Atenas:

Dia Horário Prova Local
14 6h30 (M) Fase classificatória Ginásio Olímpico Indoor
14 10h30 (M) Fase classificatória Ginásio Olímpico Indoor
14 14h30 (M) Fase classificatória Ginásio Olímpico Indoor
15 4h (F) Fase classificatória Ginásio Olímpico Indoor
15 7h30 (F) Fase classificatória Ginásio Olímpico Indoor
15 11h (F) Fase classificatória Ginásio Olímpico Indoor
15 15h (F) Fase classificatória Ginásio Olímpico Indoor
16 14h30 (M) Competição por equipe - Final Ginásio Olímpico Indoor
17 15h (F) Competição por equipe - Final Ginásio Olímpico Indoor
18 14h30 (M) Exercícios combinados - Individual - Final Ginásio Olímpico Indoor
19 15h (F) Exercícios combinados - Individual - Final Ginásio Olímpico Indoor
22 15h08 (F) Cavalo com alças Ginásio Olímpico Indoor
22 15h43 (F) Barras assimétricas Ginásio Olímpico Indoor
22 14h (M) Solo Ginásio Olímpico Indoor
22 14h35 (M) Salto sobre o cavalo Ginásio Olímpico Indoor
22 16h14 (M) Argolas Ginásio Olímpico Indoor
23 14h35 (F) Trave de equilíbrio Ginásio Olímpico Indoor
23 15h45 (F) Solo Ginásio Olímpico Indoor
23 14h (M) Salto sobre o cavalo Ginásio Olímpico Indoor
23 15h10 (M) Barra fixa Ginásio Olímpico Indoor
23 16h20 (M) Barras assimétricas Ginásio Olímpico Indoor
24 6h Ginástica Gala Ginásio Olímpico Indoor

 

 

 
 
 
     
   
 
 
 
Resolução mínima de 800x600 IE 5.0
© Copyright Ginásticas.com 2000-2003,
Denis R. Patrocinio