home  
 
home
adicionar ao favoritos
indique esta página
english version soon
Ginásticas
História
Acrobática
Aeróbica
Artística
Geral
Rítmica
Trampolim
Conteúdo
Artigos
Biblioteca
Entidades
Hot Links
Notícias
Onde Praticar
Resultados
Especiais
Ginásios
Ginasloucos
Obstinação
Personalidade
Supereventos
Interação
Chat
Downloads
Fórum
Guestbook
Newsletter
Opinião
Institucional
Anuncie
Contato
O Site
Quem Sou
Serviços

Consultar arquivos

criação e
manutenção
d_e_n_i_x®
     
 
Classificação Ginástica Artística - Londres 2012
 
 
 
 

Classificação Ginástica Artística -  London Prepares Series - Evento Teste - Seletiva - North Greenwich Arena/O2 - Londres - Janeiro/2012

Confira a matéria, vídeos e fotos enviados com exclusividade para o Ginásticas.com pelo colaborador/correspondente internacional Diego Ferreira! Ele está em Londres, de onde acompanha bem de perto as competições dos brasileiros que querem garantir vagas para as Olimpíadas de Londres 2012.

13/01/2012

Texto, fotos e vídeos por Diego Ferreira – North Greenwich Arena/O2 - Londres

Ginástica Brasileira fecha o Evento Teste com mais uma medalha

Daiane dos Santos encerrou a participação do Brasil no evento Teste das Olimpíadas de Londres com mais uma medalha para o Brasil. Daiane mais uma vez encantou o ginásio com seu carisma e acrobacias de alto grau de dificuldade. O bronze veio empatado com a ginasta francesa Marine Brevet com a nota 14,066. Mesmo tendo executado uma série superior a da qualificação, Daiane obteve a mesma nota, que mesmo assim a garantiu no pódio. Daniele Hypólito a outra brasileira que participou da final teve pequenos problemas nas duas primeiras passadas, mas concluiu a apresentação com perfeição nas duas últimas acrobacias encerrando com um duplo carpado cravado. A nota foi boa para a apresentação, um 13,733 que a deixou em oitavo lugar, porém apenas a três décimos do pódio o que mostra que foi uma final de alto nível e muito disputada.

Em entrevista após a entrega das medalhas Daniele e Daiane contaram os planos para o futuro: dificultar ainda mais as séries para disputar a Olimpíada de Londres em Julho. Daniele revelou que tem planos para executar séries novas no salto, nas barras e no solo, e Daiane pretende melhorar seu solo.

Resultado final solo:

1- Vanessa Ferrari 14,400

2- Victoria Moors 14,200

3- Daiane dos Santos 14,066

3- Marine Brevet 14,066

5- Carlota Ferlito 13,966

6- Ana Estefania 13,866

7- Sui Lu 13,833

8- Daniele Hypolito 13,733

 

Fotos - 13/01/2012

         

         

 

12/01/2012

Texto, fotos e vídeos por Diego Ferreira – North Greenwich Arena/O2 - Londres

Finais!!!

Hoje foi um dia de ouro para o Brasil em Londres e o nosso hino nacional foi tocado duas vezes, primeiro com Jade Barbosa confirmando o seu favoritismo no salto e no fim da noite com Arthur Zanetti que continua provando sua superioridade nas argolas.

A final de salto começou sem a presença da ginasta mexicana Elsa Garcia que durante o aquecimento antes de entrar no ginásio de competição sentiu o tornozelo em uma das aterrissagens, mas de acordo com a própria Elsa, não foi nenhuma lesão grave, porém por precaução preferiu abandonar a prova.

A ginasta holandesa Wyomi Masela abriu a competição com dois bons saltos obtendo uma média de 14,183, em seguida umas das principais concorrentes a ginasta suíça Giulia Steibruguer caiu na sua primeira tentativa e ficou fora da disputa. Daniele Hypólito veio em seguida e mesmo sem ser sua especialidade e cometendo uma pequena falha no primeiro salto (Yurchenko com pirueta e meia) conseguiu uma nota de 14,066 e permaneceu na terceira posição até o momento de Jade Barbosa saltar. Claramente mais tranqüila após a classificação da equipe completa para a Olimpíada, Jade executou seu primeiro salto (uma dupla pirueta) com muita altura, distância da mesa, boa postura e uma boa chegada, conseguiu a maior nota da noite 14,966, em seguida executou o seu segundo salto e com um passo na chegada recebeu 14,6 o suficiente para garantir a medalha de ouro.

Jade comemorou bastante, e logo após receber a medalha revelou os planos para conseguir disputar os primeiros lugares na olimpíada em Londres, dificultar os seus saltos.

"Na Olimpíada é onde eu posso arriscar, não tenho nada a perder, tenho que chegar lá e tentar!"  

Ela nos contou que após a lesão do punho ficou por muito tempo sem treinar, além das mudanças no corpo, e por isso teve que readaptar a sua técnica de salto, mas hoje ela e seus técnicos já se sentem confiantes para voltar a trabalhar na dupla pirueta e meia, um salto de nota de partida 6.5 e que a coloca com grandes chances de medalha, além de dificultar o seu segundo salto.

No fim da noite foi a vez de Arthur Zanetti levar o seu ouro pra casa, com uma série perfeita e uma chegada cravada, o ginasta garantiu o primeiro lugar com a mesma nota da classificatória 15,533, e mostrou que é um dos favoritos por uma medalha em Londres.

Amanhã entram na arena para competir na final de solo Daiane dos Santos e Daniele Hypólito.

Fotos - 12/01/2012

         

         

Vídeo - 12/01/2012

 

11/01/2012

Texto, fotos e vídeos por Diego Ferreira – North Greenwich Arena/O2 - Londres

Classificatória Feminino

As meninas do Brasil entraram no ginásio sabendo da difícil tarefa que teriam pela frente. Georgete Vidor disse em entrevista ao Lucas Rodrigues do 'Gym Blog Brazil' no dia do treinamento de pódio que para conseguir a classificação essa teria que ser a competição da vida daquelas meninas, e foi.
 
Antes de chegar ao momento decisivo em Londres elas passaram semanas concentradas em um hotel no Rio de Janeiro, treinando forte, focadas e concentradas, elas queriam essa vaga mais do que ninguém possa imaginar. Viajaram para a Inglaterra, passaram a festa de ano novo longe da família, concentradas na difícil missão que teriam em Londres no dia 11/01/2012.
 
Durante o dia as equipes da Itália, França e Canadá fizeram aquilo que se esperava delas: séries com bastante dificuldade, que mesmo cometendo alguns erros ainda as mantiveram nas primeiras colocações (apenas a Itália competiu sem quedas). Quem não competiu bem foi a Espanha, com um desempenho muito abaixo do esperado elas acabaram sendo ultrapassadas pela surpresa chamada Bélgica, uma equipe que apresentou uma ginástica de excelente qualidade, mas que nunca havia conseguido nenhum resultado expressivo.
 
Estando na última subdivisão, o Brasil entrou na arena sabendo da responsabilidade que teria pela frente, teria que superar em quatro pontos a sua somatória do último mundial em Tóquio para ultrapassar as belgas e ainda ficar de olho nas talentosas ginastas coreanas que competiriam simultaneamente com as brasileiras.
 
O Brasil começou sua jornada no solo, Adrian Gomes subiu no tablado determinada e executou uma boa série acertando as acrobacias e realizando excelentes saltos, assim como Bruna Leal que veio em seguida e também acertou a série finalizando com um excelente duplo carpado.

A equipe brasileira optou por colocar Daiane dos Santos no meio da rotação, talvez uma estratégia para ajudar a subir a nota da Jade e da Daniele. E Daiane fez aquilo que se espera dela, encantou o ginásio. Mesmo com as britânicas competindo simultaneamente, naquele momento só se tinha olhos para a brasileira, que acertou sua série cravando a segunda passada de duplo twist grupado. Daiane nos contou que na última sexta-feira sofria de muitas dores nas costas e por isso teve que realizar uma série mais simples, que mesmo assim recebeu a maior nota da equipe 14.033.

Em seguida veio Jade Barbosa, que também fez a sua parte e acertou a série, apenas com um pequeno erro na chegada do tsukahara carpado na segunda passada.

Para finalizar o primeiro aparelho veio Daniele Hypolito, que deu o recado de que aquele seria o seu dia ao cravar a última acrobacia (duplo carpado) de uma maneira que fez o público aplaudir de pé. Sim elas estavam no jogo.

 
Em seguida o Brasil partiu para o que é hoje o seu melhor aparelho, o salto. Teríamos cinco ginastas executando saltos de bom grau de dificuldade, era naquele momento que precisávamos ser excelentes para conseguir abrir uma diferença para as outras equipes. E as meninas não decepcionaram, em uma rotação perfeita todas acertaram seus saltos e receberam as notas mais altas da competição, terminando com 57.431, a melhor equipe nesse aparelho.

Partiram então para o nosso pior aparelho, as barras paralelas onde reinam as russas, chinesas, americanas e britânicas. Sabíamos que não teríamos notas altas, mas graças ao bom desempenho no solo e no salto, precisávamos de uma média de 13,100 nos dois últimos aparelhos para ultrapassar as belgas e isso era possível. E as brasileiras mostraram evolução nas barras, começando por Daiane dos Santos, que como sempre demonstrou sua consistência nesse aparelho e ainda melhorou os seus lançamentos e piruetas, mesmo com um pequeno erro na série que diminuiu sua nota de partida ela conseguiu 13.000.

Em seguida veio Bruna Leal com uma prova muito bem executada, e Ethiene Franco, ginasta que é sempre muito importante para o Brasil em momentos decisivos, mostrou toda sua competência.

Jade Barbosa acertou a prova inteira, dando apenas um passo na saída de duplo esticado, e Daniele Hypólito apresentou uma prova nova e mais difícil, que ela acertou fechando com uma saída de duplo esticado cravada.
 

Cumprimos nossa missão nas barras, fizemos a média de 13,100 que precisávamos, agora restava o último aparelho, a trave de equilíbrio, e quem abriu a rotação foi Ethiene Franco, que mais uma vez fez o seu papel, uma série sem falhas graves, com muito estilo e bem executada, para dar moral para as companheiras que viriam em seguida. E assim aconteceu! Bruna Leal executou uma excelente prova conseguindo 13,366, Adrian Gomes foi ainda mais precisa, cravou sua saída de duplo grupado, recebeu muitos abraços das meninas e conseguiu 13,433, com essa nota precisávamos apenas de um 12,745 de Jade Barbosa para ultrapassarmos as belgas, uma nota que Jade conseguiria com facilidade.

As brasileiras, estavam fazendo uma competição praticamente perfeita sem nenhuma falha grave, mas como se fosse um roteiro escrito para um filme de suspense, Jade caiu duas vezes, recebeu um 12,6 e deixou a decisão para a última ginasta a se apresentar, Daniele Hypolito.

Daniele subiu na trave e passou pela parte mais difícil da sua série com perfeição, ao executar um salto cortada com pé na cabeça teve um desequilíbrio e lutou para permanecer na trave, conseguiu e finalizou sua série, naquele momento elas já estavam classificadas, com a série apresentada pela Daniele seria impossível tirar uma nota menor que 13,000, mas elas não sabiam disso, e a tensão ficou até o momento da nota ser divulgada... 13,8 para explosão de alegria das meninas, dos técnicos, da torcida e do restante da delegação e as companheiras Gabriela Soares e Priscila Cobello que acompanhavam das arquibancadas.

 
Elas choraram muito, emocionadas, vibraram e comemoraram como se estivessem descarregando toda a carga negativa que receberam nesses últimos meses, elas foram muito criticadas após os resultados do Mundial e do Pan, chegaram Londres desacreditadas por muitos e se superaram.
Como previu Georgette dois dias atrás, elas fizeram a competição da vida delas, com toda certeza eram as mais alegres naquela cerimônia de medalhas, mesmo estando fora do pódio, estar nas Olimpíadas e superar todas as dificuldades era a maior das vitórias naquele momento.
Parabéns Brasil!
 
E essa competição ainda pode nos trazer mais alegrias, pois Jade Barbosa se classificou em primeiro lugar para final do salto, e Daniele Hypólito também está na mesma final.

Daiane dos Santos terminou em sexto lugar no solo e mais uma vez Daniele Hypólito entrou para as finais na oitava colocação. Além disso Daniele ainda finalizou a competição individual geral em sétimo lugar com uma excelente pontuação.

No masculino Arthur Zanetti, volta para o ginásio para disputar a final de argolas com grandes chances de sair com a medalha de ouro.

 
Resultados da classificação feminina:
1º - Itália - 224.621
2º - Canadá - 221.913
3º - França - 220.744
4º - Brasil - 217.985
5º - Bélgica - 216.863
6º - Coréia - 214.930
7º - Espanha - 213.054
8º - Holanda - 212.061

Fotos -11/01/2012

         

         

         

    

Vídeo - 11/02/2012

 

10/01/2012

Texto, fotos e vídeos por Diego Ferreira – North Greenwich Arena/O2 - Londres

Classificatória Masculino

Ainda não vai ser dessa vez que o Brasil levará uma equipe completa de ginástica artística masculina para uma competição olímpica. Após terminar na sexta colocação na competição por equipes no Evento Teste em Londres os brasileiros não tem mais chances de classificação. Mesmo sem a presença de Diego Hypolito, a equipe estava muito bem, com todos os ginastas demonstrando evolução nas séries e competindo com muita garra, o que demonstra a união e a vontade de vencer desse grupo. Porém, após duas falhas nas barras paralelas e outras duas no solo, o Brasil perdeu pontos preciosos e ficou fora da disputa. Em entrevista ao 'Ginásticas.com', o técnico Renato Araújo disse que sem as quedas que aconteceram nos melhores aparelhos da equipe (solo e paralelas), o Brasil passaria dos 347 pontos, o que o deixaria com chances reais de disputar a vaga.

Apesar da decepção pela perda da vaga por equipes, os brasileiros tem sim o que comemorar pois pela primeira vez conquistaram três vagas individuais para as olimpíadas com Arthur Zanetti com a medalha de prata nas argolas no mundial de Tokyo Arthur Zanetti, Diego Hypólito medalhista de bronze no solo no mesmo mundial e mais uma vaga que pertence ao país e provavelmente será concedida para Sérgio Sasaki que compete no individual geral.

Além de mostrarem muita união e garra, a equipe brasileira é muito jovem e talentosa, e com certeza ainda vai trazer muitas alegrias para o Brasil. Amanhã é a chance da equipe feminina tentar sua vaga em Londres 2012.

Fotos - 10/01/2012

         

         

         

         

    

 

09/01/2012

Texto, fotos e vídeos por Diego Ferreira – North Greenwich Arena/O2 - Londres

Brasil deve brigar com Espanha pela vaga no feminino

A equipe feminina de ginástica se apresentou hoje (09/01) no treinamento de pódio do Evento Teste que é classificatório para as Olimpíadas de Londres. E o que as meninas do Brasil apresentaram foi uma ginástica de maior qualidade se compararmos ao desempenho do último Mundial em Tokyo e dos Jogos Pan Americanos de Guadalajara. Entretanto será difícil superar as equipes da Itália, Canadá e França que apresentaram alto grau de dificuldade e execução.

A Espanha também fez um bom treino, porém abaixo das três equipes citadas, deve brigar com o Brasil de igual para igual exceto nas paralelas onde as espanholas são superiores.

 A equipe brasileira ainda não está definida, todas as sete ginastas que estão em Londres competiram durante o treinamento de pódio. Daniele Hypolito, Jade Barbosa e Daiane dos Santos fizeram um bom treino e são garantidas na equipe. Bruna Leal mostrou evolução comparada as últimas competições, e Adrian Gomes apesar de alguns erros deve estar na equipe. A decisão da última componente deve ser anunciada apenas no dia da competição e a vaga parece estar sendo disputada por Ethiene Franco, que fez um bom treinamento (exceto por problemas na série de barras paralelas) e Priscila Cobello.

O Brasil volta para o ginásio amanhã (10/01).

Fotos - 09/01/2012

         

         

    

Vídeo - 09/01/2012

 

08/01/2012

Texto, fotos e vídeos por Diego Ferreira – North Greenwich Arena/O2 - Londres

Equipe brasileira segue firme na luta pela vaga por equipes em Londres.

Mesmo sem a presença de Diego Hypolito e Victor Rosa, a equipe formada por Sergio Sasaki, Arthur Zanetti, Francisco Barreto, Petrix Barbosa, Péricles Silva e Arthur Nory, segue viva na luta pela classificação para Londres 2012. Os brasileiros passaram bem pelo treinamento de pódio que aconteceu hoje (domingo 08/01) em Londres na North Greenwich Arena/O2.

O treino de pódio é um reconhecimento dos aparelhos e do local da competição para os atletas, além de dar uma prévia das séries para os árbitros, por isso é natural que nem todas as séries sejam perfeitas, pois neste momento a competição ainda não está valendo pontos. Os brasileiros tiveram alguns problemas no salto e no cavalo com alças, porém são falhas que não deverão se repetir na competição valendo a classificação no dia 10/01.

Um dos destaque da equipe foi Arthur Zanetti, o vice campeão mundial de argolas em Tokyo 2011, fez uma excelente exibição no aparelho, além de apresentar boas séries de salto e solo, que certamente serão notas importantes para o somatório da equipe.

Sérgio Sasaki, o ginasta mais regular em todos os aparelhos, apesar de falhar em duas tentativas no salto apresentou excelente grau de dificuldade em todos as séries, além de apresentações de alto nível nas paralelas e cavalo com alças.

Mesmo com uma grande responsabilidade, o substituto de Diego Hypolito, o ginasta juvenil Arthur Nory fez uma excelente estréia na seleção principal. Apesar de já estar acompanhando a seleção  desde o início dos treinamentos em grupo, Arthur foi convocado para a equipe principal há apenas duas semanas, e apresentou um salto de grande dificuldade (dupla pirueta e meia) com excelente execução e uma boa prova de solo novamente muito bem executada.

As equipes do Canadá, França, Espanha, Grã Bretanha, Porto Rico e Itália são os adversários diretos do Brasil na competição, e passaram bem pelos treinamentos. Porém os brasileiros contam com a garra e união demonstrada nos jogos Pan-Americanos como um diferencial para a equipe chegar a tão sonhada vaga olímpica.

O Brasil entra na arena novamente amanhã com o treinamento de pódio da equipe feminina.

Fotos - 08/01/2012

         

         

         

Vídeos - 08/01/2012

 

 
 
 
     
   
 
 
 
Resolução mínima de 800x600 IE 5.0
© Copyright Ginásticas.com 2000-2012,
Denis R. Patrocinio