home  
 
home
adicionar ao favoritos
indique esta página
english version soon
Ginásticas
História
Acrobática
Aeróbica
Artística
Geral
Rítmica
Trampolim
Conteúdo
Artigos
Biblioteca
Entidades
Hot Links
Notícias
Onde Praticar
Resultados
Especiais
Ginásios
Ginasloucos
Obstinação
Personalidade
Supereventos
Interação
Chat
Downloads
Fórum
Guestbook
Newsletter
Opinião
Institucional
Anuncie
Contato
O Site
Quem Sou
Serviços

Consultar arquivos

criação e
manutenção
d_e_n_i_x®
     
 
Jogos Olímpicos - Sydney 2000
 
 
 
  Este espaço é totalmente voltado para as Olimpíadas 2000 em Sydney - Austrália. Obtenha aqui, informações quentinhas sobre o desempenho das ginastas neste evento.
01/10/2000

Opinião

          É... mais uma olimpíada se foi e com ela o sonho do ouro para muita gente! O Brasil infelizmente não se saiu muito bem... Mas há o que se considerar: no país do futebol, em que seus jogadores têm direito a hotéis luxuosos entre outras regalias - e ainda assim não conseguem um bom resultado; a ginástica se superou apesar de todas as dificuldades!

          Na ginástica olímpica ou no GRD, as garotas se saíram muito bem, alcançando os melhores resultados de nosso país em todos os tempos... Só é triste mesmo ver (e sermos vítimas de) algumas injustiças... Injustiças que acabam resultando em grandes perdas, como a saída da competente Bárbara Laffranchi do comando da equipe de GRD. Não é disso que necessitamos!

          Sinceramente, espero que todos os atletas procurem se empenhar ao máximo e acreditar que realmente dá pra chegarmos ao topo! E aos empresários e dirigentes, que atentem mais ao nosso esporte... A ginástica é sim muito séria e merece todo o respeito por parte destes 'poderosos'... Quer prova maior da adoração ao esporte que o ginásio Super Dome lotado como esteve nessas olimpíadas? A repercussão é grande...

          As garotas fizeram a parte delas, dentro de todas as suas limitações... Esperamos que para as próximas competições, o esquema seja bem diferente! E aos atletas que sonham com as olimpíadas, que não desistam... Tenham força!

Parabéns Brasil e que todos continuem lutando!

Denis R. Patrocinio - ginasticas@ginasticas.com

www.ginasticas.com

Topo da página

01/10/2000

Barsukova diz que não esperava ser campeã em Sydney

          Campeã no torneio individual, a ginasta russa Yulia Barsukova afirmou nesta madrugada de domingo que não esperava ficar com o título no torneio de ginástica rítmica nas Olimpíadas de Sydney.
          "É difícil de acreditar. Eu realmente não esperava levar esta medalha de ouro, pois não achava que isso era possível. Eu só queria ficar entre as três primeiras", afirmou a vencedora.

          A vitória de Barsukova foi "ajudada" por um erro cometido pela sua compatriota Alina Kabaeva, que deixou escapar o arco durante sua apresentação.

Topo da página

01/10/2000

Erro tira medalha de ouro de ginasta russa

          Campeã mundial e três vezes campeã européia, a russa Alina Kabaeva acabou vendo o sonho dela ganhar a medalha de ouro nas Olimpíadas de Sydney se transformar em pesadelo por causa de um erro cometido na prova do arco.
          Liderando a prova com uma certa tranqüilidade, a ginasta deixou escapar o aparelho durante sua exibição durante um movimento e acabou tirando 9,641 na pior nota recebida por uma ginasta na final do torneio individual.
          Com isso, Kabaeva caiu para a quinta colocação e teve que fazer uma atuação quase perfeita na prova com a bola para garantir a medalha de bronze.
          Ela tirou 9,950 e conseguiu ultrapassar duas concorrentes, ficando a 0,183 pontos atrás de sua compatriota Yulia Barsukova, que ganhou a medalha de ouro.
          "Eu não entendo o que aconteceu. Eu relaxei minha mão e não pensei que isso fosse acontecer", afirmou Kabaeva, que obteve o melhor resultado na primeira fase da competição.

Topo da página

01/10/2000

Rússia leva ouro e bronze na disputa do torneio individual

          Após levar o ouro no torneio por equipes, a Rússia ainda garantiu mais duas medalhas na disputa do torneio individual, que teve a sua final na madrugada deste domingo.
          A ginasta Yulia Barsukova superou a todas as concorrentes e venceu a disputa, conseguindo a marca de 39,632 pontos na soma das quatro provas.
          O seu melhor resultado foi na prova de fita, que encerrou a competição, com 9,933.
          Já a medalha de prata foi para a bielo-russa Yulia Raskina, somando 39,548 pontos, enquanto o bronze ficou com a russa Alina Kabaeva, com 39,466 pontos.
Veja a classificação final da prova: 
1º Yulia Barsukova (RUS) - 39,632 pontos
2º Yulia Raskina (BLR) - 39,548
3º Alina Kabaeva (RUS) - 39,466
4º Olena Vitrychenko (UCR) - 39,408
5º Eva Serrano (FRA) - 39,390
6º Tamara Yerofeyeva (UCR) - 39,000
7º Evmorfia Ntona (GRE) - 38,982
8º Valeria Vatkina (BLR) - 38,957
9º Almudena Cid (ESP) - 38,907
10º Susanna Marchesi (ITA) - 38,850

Topo da página

01/10/2000

Bárbara Laffranchi diz que não trabalhará mais com ginástica rítmica

          A técnica Bárbara Laffranchi não é mais técnica da seleção brasileira de ginástica rítmica desportiva. Visivelmente chateada com as notas recebidas pela equipe brasileira, ficou na última colocação na final, Bárbara resolveu abandonar o esporte.
          "Estou muito chateada, as meninas treinaram muito, fizeram uma coreografia linda. Eu não entendo. Eu vou pendurar minhas chuteiras, não treino mais GRD", desabafou a treinadora.
          Bárbara lançou dúvidas com relação ao critério usado pelos árbitros para julgar sua apresentação. "Na GRD só ganha quem tem tradição, quem vem da Europa. Não dá para entender o critério", afirmou.
          Entre as atletas a tristeza era ainda maior. Chorando, Camila Ferezin se revoltou. "Não dá para entender. Ninguém sabe o sacrifício que fizemos. Os árbitros beneficiam os conjuntos da Europa".

Topo da página

01/10/2000

Brasileiras ficam indignadas com a arbitragem

          A equipe brasileira de ginástica rítmica desportiva (GRD) está indignada com as notas dadas às suas apresentações na final olímpica, disputada neste sábado.
          "A GRD não é um esporte sério e não merece fazer parte das Olimpíadas. O que se viu aqui foi absurdo", disse Bárbara Laffranchi, técnica da equipe do Brasil.
          O Brasil terminou em oitavo lugar na final, com 38.266. O resultado fez com que as atletas deixassem o ginásio chorando. As apresentações brasileiras foram bastante aplaudidas pelo público e as notas atribuídas pelos jurados receberam uma grande vaia.
          "A gente sente muito por isso e fica revoltada, mas o que podemos fazer?", indagou a atleta Flávia Faria. "Espero que não haja tanta injustiça na próxima Olimpíada. Mas a gente não vai mas estar lá para competir", lamentou Dayane Camilo.
          Para a juíza espanhola Manuela Fernandez, o público não entende o suficiente do esporte para opinar. 
          "À vista da platéia, as outras equipes podem ter errado mais do que o Brasil, mas existem pequenos quesitos técnicos e artísticos que tiram pontos também", disse a juíza. "O Brasil deveria ficar muito satisfeito por chegar à uma final e por fazer apresentações tão boas nos dois aparelhos."

Topo da página

01/10/2000

Brasil termina em oitavo lugar na final da competição por equipes

          Apesar de ser muito aplaudido pelo público australiano que compareceu ao ginásio, onde foi realizada a final, o conjunto brasileiro terminou na oitava e última colocação na decisão do torneio de ginástica rítmica.
          O Brasil ficou com 38,266 pontos na prova, que foi disputada na manhã deste sábado. Na primeira avaliação, a equipe conseguiu 19,066 pontos na prova de maças. Posteriormente, na performance com arcos e fitas, o Brasil obteve 19,2 pontos.
          Nas duas vezes, a torcida australiana aplaudiu o conjunto brasileiro após sua performance e as notas dadas pelos jurados foram vaiadas pela platéia.
          As próprias ginastas mostraram estar decepcionadas com a avaliação feita. Na fase de classificação, o Brasil havia terminado na sétima colocação.
          Foi a primeira vez que um conjunto brasileiro chegou na final da competição por equipes. Na competição, o Brasil foi formado por Camila Ferezin, Natália Eidt, Flávia Faria, Dayane Camillo, Alessandra Ferezin e Thalita Nakadomari.
          A medalha de ouro ficou com a Rússia, enquanto a Belarus levou a prata e a equipe da Grécia terminou com o bronze.

Topo da página

01/10/2000

Rússia ganha a medalha de ouro na competição de equipes

          A equipe russa confirmou o seu favoritismo e levou a medalha de ouro na competição por equipes da ginástica rítmica nas Olimpíadas de Sydney, que aconteceu na manhã do sábado.
          Logo na realização da primeira prova, a Rússia mostrou sua força e teve a melhor nota entre todos os participantes com 19,8 pontos. 
          Com a boa performance, as russas puderam ficar mais tranqüilas e mantiveram a diferença na segunda prova, com arcos e fitas, tirando a nota 19,7 pontos.
          Já a medalha de prata ficou com a Belarus, enquanto o bronze terminou indo para a equipe grega, que surpreendeu ao obter o melhor resultado na fase classificatória.

Topo da página

29/09/2000

Erro bobo tira ginasta alemã da final individual

          A alemã Edita Schaufler perdeu a chance se classificar para a final da prova individual de ginástica rítmica desportiva (GRD) ao cometer um erro primário na apresentação com a bola.
          Depois de ficar com a sexta colocação após os dois primeiros exercícios, Edita deixou a bola escapar e sair do tablado, afundando sua apresentação e comprometendo a nota final. A alemã terminou a competição com 38.707 pontos, na décima segunda colocação.

Topo da página

 

Rússia e Belarus classificam duas ginastas para final individual

          A Rússia e a Belarus foram os países que classificaram mais competidoras para a final individual do torneio de ginástica rítmica nas Olimpíadas de Sydney.
          Cada um dos países classificou duas ginastas para a final, sendo que a russa Alina Kabaeva foi a atleta com melhor desempenho na fase classificatória, somando 39,691 pontos nos quatro eventos disputados (corda, arco, bola e fita).
          A final reunirá dez ginastas e acontecerá na madrugada de domingo, a partir das 0h, no Pavilhão 3 de Sydney.
Veja a lista das atletas classificadas:
1º Alina Kabaeva (RUS) - 39,691 pontos
2º Yulia Raskina (BLR) - 39,624
3º Yulia Barsukova (RUS) - 39,600
4º Eva Serrano (FRA) - 39,483
5º Olena Vitrychenko (UCR) - 39,399
6º Valeria Vatkina (BLR) - 39,058
7º Susanna Marchesi (ITA) - 38,924
8º Tamara Yerofeyeva (UCR) - 38,899
9º Almudena Cid (ESP) - 38,848
10º Evmorfia Ntona (GRE) - 38,833

Topo da página

 

Russa fica com melhor resultado na fase classificatória

          A russa Alina Kabaeva terminou na primeira colocação na disputa da fase classificatória no torneio individual de ginástica rítmica nas Olimpíadas de Sydney.
          Ela conseguiu a marca de 39,691 pontos, na competição que foi encerrada na manhã desta sexta-feira. Seu melhor resultado foi na disputa das provas de arco, bola e fita, em que ela conseguiu 9,925 dos jurados.
          Kabaeva foi seguida pela bielo-russa Yulia Raskina, que obteve 39,624. Já a russa Yuila Barsukova ficou em terceiro lugar, seguida pela francesa Eva Serrano.
          Todas as dez ginastas classificadas foram da Europa. A grande surpresa ficou por conta da grega Evmorfia Ntona, que terminou em décimo lugar e garantiu sua vaga na final.

Topo da página

 

Brasileiras sonham com medalha na final da GRD

         A equipe brasileira de GRD acha que pode melhorar a classificação na final dos Jogos Olímpicos de Sydney. Nesta quinta-feira, as ginastas brasileiras ficaram na sétima posição da fase classificatória e, pela primeira vez na história, garantiram vaga na decisão da competição.
         "Tenho esperança em que vamos melhorar muito nossa posição na final. Hoje fomos prejudicadas pela arbitragem, mas sei que eles (os árbitros) vão julgar com muito cuidado na final, porque eles sabem que a GRD só vai continuar como modalidade olímpica se provar que é disputada com seriedade", disse Bárbara Laffranchi, técnica da equipe brasileira.
          "Para a final, temos esperanças de ficar entre as três primeiras, sei que isto pode parecer que espero um milagre. Mas acredito em milagre", completou Bárbara.
          As principais adversárias do Brasil na final devem ser Rússia, Grécia e Belarus. Já a Espanha, campeã olímpica em Atlanta-1996, e França não conseguiram se classificar para a decisão.

Topo da página

29/09/2000

Ginasta romena perde ouro conquistado nos exercícios combinados

          A ginasta romena Andreea Raducan, 16, teve sua medalha de ouro conquistada na prova dos exercícios combinados depois de seu exame antidoping ter dado positivo para uma substância proibida pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), segundo informou nesta segunda-feira Thomas Bach, executivo da entidade. 
          O médico da equipe romena foi expulso e suspenso dos próximos Jogos, em Atenas-2004, porque, para Bach, ele foi o responsável pelo caso por ter dado à atleta um remédio que levou ao teste positivo. 
          No entanto, Raducan poderá manter a medalha de ouro por equipes e a prata que havia conquistado na prova do salto sobre o cavalo. Ioan Tiriac, presidente do Comitê Olímpico da Romênia disse que o exame de Raducan deu positivo para a substância pseudo-efedrina vinda do remédio Nurofen, usado para tratar gripe. 
          Com a desclassificação de Raducan, a medalha de ouro passou para Simona Amanar, da Romênia, a prata ficou com Maria Olaru e o bronze foi para chinesa Liu Xuan.

Topo da página

29/09/2000

Brasil se classifica para a final do GRD

          A equipe brasileira de ginástica rítmica desportiva (GRD) conseguiu uma inédita classificação para a final da competição nas Olimpíadas de Sydney.
          Em evento disputado nesta quinta-feira, o Brasil ficou em sétimo lugar na etapa de classificação com 38,216 pontos.
          Ao som de baião, frevo e maracatu, a equipe conseguiu pela primeira vez chegar na decisão e ficar entre as oito melhores classificadas. 
          O grupo obteve 19,150 pontos na prova de arcos e fitas, enquanto a equipe conseguiu 19,066 pontos na prova de maças.
          A equipe formada por Camila Ferezin, Natália Eidt, Flávia Faria, Dayane Camillo, Alessandra Ferezin e Thalita Nakadomari irá disputar a final nesta sexta-feira.

Topo da página

29/09/2000

Grécia consegue melhor marca entre as equipes classificadas

          Contrariando as expectativas, a equipe da Grécia conseguiu o melhor resultado na disputa da prova de equipes da ginástica rítmica desportiva (GRD), que teve a sua primeira fase disputada na madrugada de quinta-feira.
          O time europeu conseguiu 19,7 pontos na prova de arco e fitas, e obteve 19,7 também na prova de maças. No total, a Grécia somou 39,4 pontos e desbancou potências mundiais como a Rússia, que ficou em segundo lugar, e a Belarus, que terminou em quarto.
          Outra equipe que surpreendeu as expectativas foi o Brasil, que ficou em sétimo lugar e obteve sua vaga para a final, que acontecerá na madrugada desta sexta-feira.
          Veja quais foram as equipes classificadas:
1º Grécia - 39,4 pontos
2º Rússia - 39,366 pontos
3º Japão - 38,766 pontos
4º Belarus - 38,766 pontos
5º Alemanha - 38,599 pontos
6º Bulgária - 38,483 pontos
7º Brasil - 38,216 pontos
8º Itália - 38,183 pontos

Topo da página

29/09/2000

Doping: Apelação da Andreea Raducan é negada

          A ginasta romena Andreea Raducan, que venceu a competição geral de ginástica artística, mas acabou perdendo a medalha de ouro por uso de doping, teve seu pedido de apelação rejeitado nesta quinta-feira. A decisão foi anunciada pela Corte de Arbitragem para Esportes (CAS, na sigla em inglês), que ouviu seu apelo na quarta-feira. 
          Andreea, que fará 17 anos no próximo sábado, foi reprovada no exame antidoping, que acusou indícios de pseudo-efedrina. A substância proibida teria sido ingerida através de um remédio para gripe, que a ginasta tomou sob indicação do médico da equipe romena. O médico, por sinal, foi expulso dos Jogos, e banido das próximas duas Olimpíadas. (L! Sportpress)

Topo da página

27/09/2000

Jovens fazem protesto na Romênia contra punição a Raducan

          Cerca de duzentos jovens foram às ruas de Bucareste, nesta quarta-feira, manifestar solidariedade à ginasta romena Andreea Raducan. Ela foi pega no exame antidoping e perdeu a medalha de ouro conquistada na ginástica artística.
          "Nós te amamos, Andreea. Venha para casa, onde você não está sozinha", gritavam as pessoas. "Você é nossa estrela. Continue lutando", mostravam uns cartazes. "O país está com você", apontava outro.
          A ginasta romena apelou ao Tribunal Internacional de Esportes e a decisão deve ser anunciada nesta quinta-feira. (Clique aqui para ver a ginasta Raducan)

Topo da página

27/09/2000

A ginasta e o Comitê Olímpico Romeno anunciaram que vão apelar da decisão. 
Decisão sobre apelação de ginasta romena sairá na quinta-feira

          A ginasta romena Andreea Raducan saberá na próxima quinta-feira se terá de volta a medalha de ouro dos exercícios combinados que foi cassada após seu exame antidoping ter dado positivo para a pseudo-efedrina. O anúncio da data foi feito nesta quarta-feira por François Carrard, diretor geral do COI (Comitê Olímpico Internacional). 
         Segundo Carrard, a Côrte de Arbitragem para o Esporte (CAS), que recebeu a apelação de Raducan, vai anunciar seu veredicto neste caso por volta das três da tarde de quinta, horário de Sydney.

Topo da página

27/09/2000

Diretor do COI diz que eliminação de Raducan foi "extremamente severa"

          O diretor geral do Comitê Olímpico Internacional, o suíço François Carrard, afirmou nesta terça-feira que a eliminação da ginasta romena Andreea Raducan foi "extremamente severa".
           "Hoje não se pode pensar no doping de acordo com as regras antigas. As novas são muita mais restritas e a simples presença de uma substância no organismo já é doping."
          Apesar disso, Carrard afirmou ser necessária a adoção de medidas fortes contra o doping. "É melhor que seja assim para atuarmos em benefício dos próprios atletas."
          Raducan deu positivo para pseudoefedrina no exame realizado logo após as provas individuais da ginástica. Ele conquistou a medalha de ouro.

Topo da página

27/09/2000

Vice do Comitê da Romênia diz que punição é "justa, porém desumana"

          O vice-presidente do Comitê Olímpico da Romênia, Cristian Garu, afirmou considerar "justa, porém desumana" a retirada da medalha de ouro da ginasta Andreea Raducan.
          Raducan foi pega no exame antidoping, que constatou a presença de pseudo-efedrina em seu organismo. O COI retirou a medalha de atleta.
          Garu condenou, nesta terça-feira, a falta de responsabilidade dos responsáveis pela medicação da atleta, que ingeriu a substância dopante em um remédio para a gripe.
          Nas ruas da cidade de Craiova, ao sul da Romênia, cidade da ginasta, centenas de jovens protestaram contra a punição.
          Nesta terça, Raducan e a Comitê Olímpico da Romênia anunciaram que irão apelar no Tribunal Internacional de Esportes contra a decisão do Comitê Olímpico Internacional. 

Topo da página

27/09/2000

Diário culpa ditadura argentina por perda de ouro na ginástica

          O jornal "Crónica" culpou nesta terça-feira a ditadura militar de 1976 pela perda de uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Sydney.
          O espanhol Gervasio Deferr ganhou uma das medalhas de ouro em disputa na ginástica artística. "Deferr é filho de dois argentinos que deixaram nosso país por causa da ditadura militar. A família se mudou para a Espanha, onde nasceu Gervasio, que logo cedo mostrou inclinação para a ginástica artística", disse o diário.
          O diário esportivo "Olé", por sua vez, comenta que Deferr é torcedor do Boca Juniors, assim como seu pai argentino.

Topo da página

26/09/2000

Federação Internacional de Ginástica não suspenderá Raducan

         A Federação Internacional de Ginástica (FIG) decidiu nesta terça-feira que não tomará nenhuma medida contra a ginasta romena Andreea Raducan, que perdeu a medalha de ouro no torneio individual geral por doping.
         Raducan tomou um remédio contra gripe prescrito pelo médico da delegação de seu país, Ioachim Oana. No exame antidoping, foi detectada a presença da substância pseudo-efedrina, substância proibida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), mas liberada pela FIG.
          O Comitê Executivo da FIG, reunido nesta terça-feira em Sydney, decidiu por unanimidade não tomar mais medidas contra Raducan, que foi considerada inocente.

Topo da página

26/09/2000

Ginasta romena vai apelar para ter medalha de ouro de volta

          Pega no exame antidoping com efedrina, a ginasta romena Andreaa Raducan vai apelar da decisão da Federação Internacional de Ginástica (FIG) em tomar sua medalha de ouro na prova de concurso combinado.
         Ela apelou à Corte de Arbitragem do Esporte (CAS) e o caso será analisado pelos três juízes da corte nesta quarta-feira em Sydney.
         "O CAS vai decidir depois de ouvir o que ela tem a dizer e a decisão não será tomada necessariamente no mesmo dia", comunicou a corte nesta manhã de terça-feira.
         Raducan alega que usou um remédio para gripe e que continha a substância detectada em seu exame antidoping. A romena teria informado ao médico da delegação a utilização do medicamento, mas o médico não comunicou à comissão antidoping.

Topo da página

26/09/2000

Ginasta romena perde ouro conquistado nos exercícios combinados

          A ginasta romena Andreea Raducan, 16, perdeu sua medalha de ouro conquistada na prova dos exercícios combinados depois de seu exame antidoping ter dado positivo para uma substância proibida pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), segundo informou nesta segunda-feira Thomas Bach, executivo da entidade.
          O médico da equipe romena foi expulso e suspenso dos próximos Jogos, em Atenas-2004, porque, para Bach, ele foi o responsável pelo caso por ter dado à atleta um remédio que levou ao teste positivo. 
         No entanto, Raducan poderá manter a medalha de ouro por equipes e a prata que havia conquistado na prova do salto sobre o cavalo. Ioan Tiriac, presidente do Comitê Olímpico da Romênia disse que o exame de Raducan deu positivo para a substância pseudo-efedrina vinda do remédio Nurofen, usado para tratar gripe. 
          Com a desclassificação de Raducan, a medalha de ouro passou para Simona Amanar, da Romênia, a prata ficou com Maria Olaru e o bronze foi para chinesa Liu Xuan.

Topo da página

26/09/2000

Médico romeno pode ser suspenso para as Olimpíadas de 2002 e 2004

          O médico da equipe romena de ginástica artística em Sydney, Ioachim Oana, pode ser suspenso dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002, em Salt Lake City, e das Olimpíadas de Atenas-2004, por conta do doping positivo de Andrea Raducan.
          A ginasta, medalha de ouro no concurso individual e prata no salto do cavalo, teve restos de pseudo-efedrina encontrados no seu exame antidoping.
          Segundo o presidente do Comitê Olímpico Romeno, Ion Tiriac, "Andrea tomou um par de comprimidos de "neurophrene" contra a gripe e, provavelmente pelo seu baixo peso (37 quilos), a substância foi detectada no exame antidoping".
          "Seria um erro privá-la de suas medalhas pelos comprimidos que não foram destinados para melhorar seu rendimento", disse Tiriac.

Topo da página

26/09/2000

Raducan pode perder a medalha de ouro no concurso individual

          A Comissão médica do Comitê Olímpico Internacional (COI) deve propor que a ginasta romena Andreea Raducan, vencedora de duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Sydney-2000, perca a primeira colocação no concurso individual geral, por doping, segundo anunciou nesta segunda-feira a emissora Pro-TV, da Romênia.
          A Comissão médica do COI deve ainda suspender o médico da equipe de ginástica da Romênia, Ioachim Oana.
          Andreea Raducan foi flagrada no exame antidoping pelo uso de pseudo-efedrina, segundo o presidente do Comitê Olímpico Romeno (COR), Ion Tiriac. Esta substância não figura entre as proibidas pela Federação Internacional de Ginástica, mas é banida pelo COI.
          Segundo Tiriac, a ginasta tomou o medicamento contra a gripe que, por causa de seu baixo peso (apenas 37 kg) foi detectada no exame antidoping. 
          Por seus resultados, Raducan chegou a ser comparada com sua compatriota Nadia Comaneci, que fascinou o mundo nos Jogos Olímpicos de Montreal-1976.

Topo da página

26/09/2000

"Raducan é uma criança inocente", diz associação romena

           A romena Andreea Raducan, ganhadora de duas medalhas de ouro e uma de prata nas Olimpíadas de Sydney, está sob investigação após terem sido encontrados indícios de doping no seu teste. A junta médica do Comitê Olímpico Internacional informou à delegação romena que o teste da ginasta mostrou sinais positivos de efedrina, estimulante proibido para o uso dos atletas.
          O presidente da Federação Internacional de Ginástica, Bruno Grandi, disse que uma importante atleta romena estava sendo investigada, mas se recusou a confirmar se esta seria Raducan. Grandi afirmou que o médico-chefe da Federação está solicitando a prova "B" para que haja a confirmação da suspeita, já que um atleta não pode ser desclassificado por doping baseado somente na prova "A".
          "Não estou certo do que se trata a acusação e qual a substância envolvida, mas a Federação romena já enviou um protesto afirmando que a acusação não pode ser verdadeira", declarou o dirigente. A comissão antidopagem enviará um comunicado aos executivos do COI nesta terça-feira e caberá a eles decidir, em caso de resultado positivo, que posição o Comitê tomará com relação ao caso, o que pode incluir a retomada das medalhas e a expulsão dos Jogos Olímpicos. 
          Esta seria a primeira expulsão de uma ginasta na história das Olimpíadas por acusação de doping. A ginasta romena fez um teste com resultado negativo depois de vencer a prova individual feminina. Depois de ficar em segundo na competição da trave, ela foi submetida a outro teste, este sim o causador de toda a polêmica. 
          A secretária da Associação Romena de Ginástica, Dana Encutescu, não escondeu a sua indignação com a suspeita. "Andreea Raducan é uma criança inocente. Ela não seria capaz de fazer uma coisa absurda como um doping."
         A efedrina, que o COI lista como substância proibida, pode ser encontrada em descongestionantes nasais e é estimulante do sistema nervoso central. É a mesma substância que tirou o jogador Diego Maradona da Copa do Mundo de 94, nos Estados Unidos.
          "Todos sabem que esta substância é proibida. A única explicação para um caso de doping involuntário com essa substância seria algum tipo de erro infantil", afirmou Patrick Shamasch, diretor-médico do COI, sem confirmar o caso de Raducan.

(L! Sportpress)

Topo da página

26/09/2000

Campeã da ginástica artística é flagrada no exame antidoping

          A campeã olímpica de ginástica artística, a romena Andreea Raducan, foi flagrada no exame antidoping promovido pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). A informação foi confirmada pelo Comitê Olímpico Romeno na madrugada desta terça-feira em Sydney.
          "O Comitê Olímpico Romeno confirmou nesta tarde que nossa tri-campeã olímpica foi flagrada no exame antidoping", disse o dirigente romeno Ioan Tiriac.
          "A substância (pseudo-efedrina) não está na lista de substâncias banidas pela Federação Internacional de Ginástica, mas está na relação de substâncias vetadas pelo COI".
          Tiriac disse que Raducan tomou medicamento para tratar um resfriado.
          Andrea Raducan, seu treinador Octavian Belu, assim como vários responsáveis pela delegação romena foram convocados pelo COI para dar explicações.
          Segundo Alexandru Mogos, responsável pelo Comitê Olímpico Romeno presente em Sydney, a ginasta já havia sido submetida a um exame antidoping na quinta-feira, após a final do concurso por equipes, e sua amostra de urina acusou negativo para o uso de substâncias proibidas.
          Raducan conquistou duas medalhas de ouro e uma de prata nos Jogos Olímpicos de Sydney. Ela venceu o ouro na competição por equipes, no torneio absoluto individual, além da prata no salto sobre o cavalo.

Topo da página

26/09/2000

Russo Alexei Nemov leva ouro na barra fixa

          O russo Alexei Nemov conquistou, nesta segunda-feira, a medalha de ouro na barra fixa pela menor margem das Olimpíadas até agora. Nemov teve nota 9,787, a mesmo que o francês Benjamin Varonian. 
         Os dois chegaram a ser anunciados como os vencedores da medalha de ouro. Logo depois, porém, o russo foi declarado o único ganhador por uma decisão dos juízes, que se utilizaram de um sistema complicado de contagem para estabelecer o vencedor.
          Varonian, então, ficou com a prata, enquanto o sul-coreano Lee Joo-Hyung ficou com o bronze com nota 9,775.
          A medalha de Nemov foi a segunda de ouro e a sexta no total só nesses Jogos de Sydney. Foi também a 11ª medalha na carreira do ginasta, que melhorou seu desempenho em relação a Atlanta-96, quando conquistou cinco.

Topo da página

26/09/2000

Ginasta russa ganha medalha de ouro no solo

          A russa Elena Zamolodtchikova conquistou nesta segunda-feira em Sydney a medalha de ouro nos exercícios de solo ao alcançar 9,850 pontos com sua apresentação.
          Outra russa, Svetlana Khorina, conseguiu 9,812 pontos e ficou com a medalha de prata. O bronze ficou com a romena Simona Amanar, que recebeu 9,712 pontos por sua apresentação. 

Topo da página

26/09/2000

Chinês Li Xiaopeng ganha o ouro nas barras paralelas

          O chinês Li Xiaopeng conquistou a medalha de ouro nas barras paralelas com a nota de 9,825. O sul-coreano Lee Joo-Hyung ficou com a medalha de prata, com a nota 9,812. O russo Alexei Nemov ficou com o bronze com 9,800.
          Com mais esta medalha de ouro, a China fica a mais uma conquista de se igualar em número de medalhas de ouro à Rússia, grande potência do esporte, e à Romênia, que ganhou a medalha de ouro por equipes no feminino.

Topo da página

26/09/2000

Chinesa ganha ouro na trave de equilíbrio; Rússia faz prata e bronze

          A chinesa Liu Xuan conquistou a medalha de ouro na trave de equilíbrio ao obter a marca de 9.825 em sua exibição. 
          No segundo posto, ficou a russa Ekaterina Lobazniouk, que fez 9.787. A medalha de bronze também foi conquistada por uma russa: Elena Produnova, que fez 9.775.

Topo da página

26/09/2000

Espanhol conquista o ouro na prova do salto sobre o cavalo

          O espanhol Gervasio Deferr conquistou nesta segunda-feira a medalha de ouro na prova do salto sobre o cavalo ao conseguir 9,712 pontos com sua apresentação. 
          Em segundo lugar ficou o russo Alexey Bondarenko, que levou a prata com 9,587 pontos. A medalha de bronze foi para o polonês Leszek Blanik, com 9,475 pontos.

Topo da página

25/09/2000

Húngaro ganha a medalha de ouro nas argolas

          O húngaro Szilveszter Csollany conquistou neste domingo a medalha de ouro na prova das argolas ao conseguir nota 9.850 na final. 
          A medalha de prata ficou com o grego Dimosthenis Tampakos, que conquistou 9.762, e o bronze foi para o búlgaro Iordan Iovtchev, que teve 9.737. 
          Csollany, que ficou com a medalha de prata em Atlanta-96, fez sua apresentação logo depois de Tampakos, que havia se apresentado muito bem e era apontado como favorito ao ouro.
          Mesmo assim, a atuação do húngaro impressionou os juízes e o público, que o aplaudiu muito assim que ele fez o salto final.

Topo da página

25/09/2000

Solo dá a primeira medalha de ouro para a Letônia

          O ginasta Igors Vihrovs conquistou a primeira medalha de ouro da Letônia nesta Olimpíada de Sydney. Ele conseguiu 9.812 pontos na prova de solo, garantindo a medalha de ouro.
          O russo Alexei Nemov ganhou a medalha de prata ao marcar 9.800 pontos. Com a terceira colocação e o bronze, ficou o búlgaro Iordan Iovtchev, que obteve 9.787 pontos.
Confira a classificação final do exercício de solo masculino:
1. Igor Vihrovs (Letônia) 9.812
2. Alexei Nemov (Rússia) 9.800
3. Iordan Iovtchev (Bulgária) 9.787
4. Wei Yang (China) 9.750
5. Xiaopeng Li (China) 9.737
6. Marian Dragulescu (Romênia) 9.712
7. Morgan Hamm (EUA) 9.262
8. Yevgeni Podgornyi (Rússia) 8.550

Topo da página

25/09/2000

Rússia leva ouro e bronze no salto sobre o cavalo feminino

          A Rússia provou mais uma vez que é uma das grandes forças na ginástica artística. Neste domingo, no salto sobre cavalo feminino as russa levaram ouro e bronze.
          A russa Elena Zamolodtchikova, que substituiu Svetlana Khorkina na última hora, teve uma atuação quase perfeita e provou para o capitão russo que sua decisão havia sido correta. Ela deu o primeiro ouro para a Rússia na ginástica com 9.731 pontos no total. 
          Andreea Raducan, que ajudou a Romênia a levar todas as três medalhas na competição geral por aparelhos, conquistou a prata com um total de 9,693.
          Ekaterina Lobazniouk deu à Rússia a segunda medalha do dia, ao conquistar o bronze com 9,674.
          Khorkina, que foi substituída por Zamolodtchikova, não teve um bom desempenho na competição por aparelhos, caindo em seus dois saltos sobre o cavalo, levando o capitão da equipe a tomar essa decisão.

Topo da página

25/09/2000

Rússia também fica com o ouro nas barras assimétricas

          A Rússia conquistou sua segunda medalha de ouro, neste domingo, na ginástica artística dos Jogos Olímpicos. Nas barras assimétricas, a ginasta Svetlana Khorkina teve uma atuação impecável e com 9.862, garantiu o primeiro lugar.
          A prata ficou para a chinesa Ling Jie, que totalizou 9.837 pontos. O bronze também ficou para a China, com Yang Yun, que teve nota 9.787 no total.
          Vale lembrar que a russa Svetlana Khorkina não participou da competição do salto sobre o cavalo, realizada um pouco antes. O capitão da equipe russa preferiu substituí-la por Elena Zamolodtchikova, que acabou conquistando o ouro.
Veja a classificação final nas barras paralelas assimétricas:
1. Svetlana Khorkina (Rússia) 0.862
2. Ling Jie (China) 9.837
3. Yang Yun (China) 9.787
4. Viktoria Karpenko (Ucrânia) 9.775
5. Tatyana Zharganova (Bielorússia) 9.737
6. Olga Roshchupkina (Ucrânia) 9.725
7. Elena Produnova (Rússia) 9.650
8. Elvire Teza (França) 9.512

Topo da página

25/09/2000

Romeno ganha medalha de ouro no cavalo com alças

          O romeno Marius Urzica conquistou a medalha de ouro no cavalo com alças neste domingo. Urzica obteve a nota 9.862. A medalha de prata ficou com o francês Eric Poujade, que tirou 9.825.
          O russo Alexei Nemov, que havia ganhado a medalha de bronze no solo, repetiu a dose no cavalo com alças ao obter uma nota 9.800.

Topo da página

24/09/2000

Russo conquista o ouro no trampolim acrobático

          O russo Alexandre Moskalenko conquistou neste sábado a medalha de ouro na prova do trampolim, válida pelos Jogos Olímpicos de Sydney.
          A prata ficou com o australiano Ji Wallace, enquanto o bronze foi para Mathieu Turgeon, do Canadá.
          Moskalenko deu show e terminou com 41.70 pontos, mais de dois à frente de Wallace. (Veja o campeão do trampolim clicando aqui)

Topo da página

24/09/2000

Campeão no trampolim emagrece 24 quilos para ficar com o ouro

          O russo Alexandre Moskalenko precisou emagrecer 24 quilos para disputar os Jogos Olímpicos de Sydney. E deu certo. O ginasta ganhou a primeira medalha de ouro na história do trampolim acrobático masculino.
          Moskalenko, 30, estava aposentado desde 1994, mas resolver voltar à ativa em 1997 para disputar a Olimpíada. 
          "Para todo esportista, uma Olimpíada é o auge da carreira. Este é o momento da verdade. Eu fiquei sem treinar durante três anos e então voltei porque o trampolim virou esporte olímpico. Esta foi uma grande jornada e eu estou agradecido por ter acontecido desta forma", disse Moskalenko.

Topo da página

23/09/2000

Rússia fica com o primeiro ouro da história do trampolim acrobático

          Na premiação do trampolim acrobático, modalidade disputada pela primeira vez na história dos Jogos Olímpicos em Sydney, ocorrida na madrugada desta sexta-feira, a atleta russa Irina Karaveava ficou com a medalha de ouro, com o total 38,90 pontos.
          Em segundo, com a prata, ficou a ucraniana Oxana Tsyhuelva com um total de 37,70, e em terceiro, com o bronze, ficou a canadense Karen Cockburn, com 37,40.
          Karavaeva, Tsyhuelva e Cockburn se tornam, dessa forma, as primeiras atletas a receber medalhas olímpicas na modalidade. 
          A fase final da competição foi disputada por apenas oito atletas. O trampolim acrobático feminino começou e terminou nesta sexta-feira.

Topo da página

23/09/2000

"Não imaginava que o trampolim fosse virar esporte olímpico", diz campeã

          A russa Irina Karavaeva, que nesta sexta-feira ganhou a primeira medalha de ouro do trampolim acrobático na história das Olimpíadas, disse que não imaginava que o esporte fosse fazer parte do programa olímpico.
          "Quando eu comecei no trampolim não imaginava que algum dia o esporte viesse a fazer parte de uma Olimpíada", disse Karavaeva.
          A ginasta, de 25 anos, começou a praticar o esporte há dez anos e é a atual tricampeã mundial da modalidade. (Veja foto de Irina clicando aqui)

Topo da página

23/09/2000

Torcedores recebem "aula" sobre o trampolim acrobático

          Um fato inusitado marcou a disputa do trampolim acrobático nesta sexta-feira, no Sydney Superdome.
          Antes das ginastas começarem suas apresentações, um locutor explicou aos cerca de 15 mil torcedores presentes as regras básicas do esporte, que fez sua estréia em Olimpíadas.
          "Muitas pessoas realmente não sabem o que o trampolim acrobático é. Eles ainda acham que é algum brinquedo que se tem no quintal", disse a canadense Karen Cockburn, medalha de ouro na modalidade.

Topo da página

21/09/2000

Daniele faz história na ginástica brasileira

          Daniele Hypólito se transformou nesta quinta-feira na melhor ginasta brasileira na história dos Jogos Olímpicos. Ela terminou a competição individual nos quatro aparelhos em 21º lugar.

          Até então, a melhor posição de uma ginasta nacional havia sido o 27º lugar de Tatiana Figueiredo, conquistado nos Jogos Olímpicos de Los Angeles. O resultado mais significativo, no entanto, foi o 34º posto alcançado por Luiza Parente em 1998, na Olimpíada de Seul. Apesar de Figueiredo ter ficado alguns postos à frente de Parente, a disputa nos EUA, por causa do boicote dos países socialistas, deixou a ginástica artística, normalmente dominada por atletas do Leste Europeu, esvaziada.

          Para se ter uma idéia, entre as 10 primeiras em Sydney, sete foram do antigo Leste Europeu, duas da China e uma da Espanha. Sendo que a Romênia conquistou a 'tríplice coroa': ouro para Andreea Raducan (38,893), prata para Simona Amanar (38,642) e bronze para Maria Olaru (38,581).

          Nesta quinta-feira, Daniele fez seu melhor desempenho nas barras assimétricas, quando conseguiu nota 9,600. Ainda deu sorte. Sua pior nota havia sido no salto sobre o cavalo. Na segunda tentativa ela chegou a cair e ficou com a nota 8,962. Nos dois outros aparelhos ela tirou 9,450 (solo) e 9,320 (trave). Totalizou 37.337. (Veja foto de Daniele)

Topo da página

21/09/2000

Romena Andrea Raducan conquista ouro na ginástica artística

          A romena Andrea Raducan sagrou-se campeã olímpica de ginástica artística, nesta quinta-feira, pelos Jogos Olímpicos de Sydney.
          A Romênia, campeã por equipes, monopolizou o pódio. Simona Amanar levou a prata, enquanto a campeã mundial Maria Olaru levou o bronze.
          Raducan somou 38.893 pontos, contra 38.642 de Amanar e 38.581 de Olaru.
          A brasileira Daniele Hypólito terminou em 21º lugar, a melhor colocação de uma ginasta brasileira em Jogos Olímpicos.
Veja a classificação final:
1. Andreea Raducan (ROM)
2. Simona Amanar (ROM)
3. Maria Olaru (ROM)
4. Liu Xuan (CHI)
5. Ekaterina Lobazniouk (RUS)
6. Yang Yun (CHI)
7. Elena Zamolodtchikova (RUS)
8. Olga Roshchupkina (UCR)
9. Lisa Skinner (AUS)
10. Esther Moya (ESP)
11. Svetlana Khorkina (RUS)
12. Viktoriya Karpenko (UCR)
13. Laura Martinez (ESP)
14. Elise Ray (EUA)
15. Amy Chow (EUA)
16. Kate Richardson (CAN)
17. Allana Slater (AUS)
18. Martina Bremini (ITA)
19. Monica Bergamelli (ITA)
20. Kristin Maloney (EUA)
21. Daniele Hypolito (BRA)
22. Sara Moro (ESP)
23. Halyna Tyryk (UCR)
24. Lisa Mason (GBR)
25. Delphine Regease (FRA)
26. Dong Fangxiao (CHI)
27. Adriana Crisci (ITA)
28. Marina Zarzhitskaya (BLR)
29. Kana Yamawaki (JAP)
30. Jana Komrskova (TCH)
31. Nelly Ramassamy (FRA)
32. Alexandra Soler (FRA)
33. Emma Williams (GBR)
34. Yvonne Tousek (CAN)
35. Alena Polozkova (BLR)
36. Annika Reeder (GBR)

Topo da página

21/09/2000

Russo Nemov conquista o ouro na ginástica artística

          O russo Alexei Nemov conquistou nesta quarta-feira a medalha de ouro na prova da ginástica artística dos Jogos Olímpicos de Sydney.
          Nemov, prata em Atlanta-1996, assumiu a liderança na classificação geral logo no primeiro aparelho, fechando sua participação com 58.474 pontos.
          Yang Wei, que ajudou a China a conquistar sua primeira medalha de ouro coletiva na modalidade, ficou com a prata, com 58.361 pontos.
          O campeão europeu Alexander Beresh, da Ucrânia, levou o bronze com 58.212 pontos.
          Veja a lista dos 20 primeiros ginastas na final olímpica:
1. Alexei Nemov (RUS)
2. Yang Wei (CHI)
3. Oleksandr Beresh (UCR)
4. Ivan Ivankov (BLR)
5. Oleksandr Svitlychnyy (UCR)
6. Blaine Wilson (EUA)
7. Alexey Bondarenko (RUS)
8. Iordan Iovtchev (BUL)
9. Zheng Lihui (CHI)
10. Lee Joo-Hyung (ADS)
11. Rares Orzata (ROM)
12. Yoshihiro Saito (JAP)
13. Marian Dragulescu (ROM)
14. Paul Hamm (EUA)
15. Dimitri Karbanenko (FRA)
16. Yann Cucherat (FRA)
17. Eric Lopez (CUB)
18. Naoya Tsukahara (JAP)
19. Maxim Alechine (RUS)

20. Benjamin Varonian (FRA)

Topo da página

20/09/2000

Rainha da ginástica russa comove público
A rainha das barras chorou ao cair e ver a vitória lhe escapando.

          Svetlana Khorkina, uma das mais elegantes atletas da ginástica olímpica em todos os tempos, desabou no chão ao fazer um movimento, inventado por ela mesma, nas barras assimétricas.

          O movimento tinha inclusive o nome da alta e esbelta russa que reina como campeã olímpica, européia e mundial nos aparelhos.

          A chance de uma medalha de ouro para a equipe feminina da Rússia desapareceu num só instante. Era de partir o coração vê-la ajoelhada com a tristeza da derrota estampada no rosto. (Veja foto clicando aqui)

          É uma mulher que com sua presença longilínea e sua beleza de parar o coração, brilhou sobre as diminutas adolescentes com as quais ela concorria no Superdome.

          A arena se acendeu no final quando, lutando desesperadamente para empurrar sua equipe adiante, Khorkina marcou a mais alta pontuação da noite nos exercícios de solo.

          Seu sorriso era radiante. Mas era tarde demais. A Rússia ficou com a prata, atrás da Romênia.

          A história se repetiu. Culparam Khorkina pelo fracasso da Rússia na disputa pela medalha de ouro do último campeonato mundial quando ela caiu da trave.

          Quando sua companheira de equipe Ekaterina Lobazniouk caiu da trave na manhã de terça-feira (horário de Brasília), seu rosto se contraiu e as câmeras de TV a focalizaram sem piedade. Khorkina lançou-se rapidamente na frente das lentes para bloquear a visão.

          Ela insiste: "Não me sinto a capitã, apenas tenho mais experiência. Sou mais velha que a maioria das meninas e eu tento ajudar quantas vezes elas precisarem."

          Khorkina, que posou para a revista Playboy, para horror de seu pai e deleite de sua mãe, deve começar em breve uma carreira de modelo e atriz.

Topo da página

20/09/2000

          A Romênia, atual campeã mundial, confirmou seu favoritismo e venceu nesta terça-feira o torneio olímpico feminino de ginástica artística.
          A equipe comandada pela campeã mundial Maria Olaru marcou 154.608 pontos, chegando ao seu primeiro ouro olímpico por equipes desde Los Angeles-1984.
          A Rússia, que soma dez medalhas de ouro por equipes competindo como União Soviética, ficou com a prata, com 154.403 pontos, enquanto a China marcou 154.008 pontos.
          Os EUA, campeão em Atlanta-1996, não conseguiu sequer subir ao pódio, terminando em 4º.

Topo da página

19/09/2000

          A China conquistou nesta segunda-feira a medalha de ouro por equipes na ginástica masculina. Os chineses fizeram 231.919 pontos.
          A medalha de prata ficou com a Ucrânia, que marcou 230.306 pontos, e o bronze com a Rússia, que fez 230.019 pontos. Na quarta colocação ficou o Japão, seguidos pelos Estados Unidos e Romênia.
          Apesar de ser campeã mundial, a China nunca havia conquistada uma medalha de ouro por equipes. Nesta Olimpíada, a equipe chinesa não pôde contar com seu melhor ginasta, Lu Yufu, que está machucado.

Topo da página

19/09/2000

          Daniele Hipólito ficou com a 31ª posição na fase classificatória com a eliminação de 3 ginastas (já que só se classificam no máximo 3 por país). Camila Comin ficou de fora ba 49ª posição.

Topo da página

17/09/2000           Veja os resultados da fase classificatória da Ginástica Artística Feminina (apenas as 36 primeiras vão à final; e só podem ir no máximo 3 ginastas por país):

1 Svetlana Khorkina Rússia 39.005
2 Andreea Raducan Romênia 38.717
3 Simona Amanar Romênia 38.700
4 Yekaterina Lobaznyuk Rússia 38.686
5 Yelena Produnova Rússia 38.529
6 Yang Yun China 38.424
7 Yelena Zamalodchikova* Rússia 38.336
8 Esther Moya Espanha 38.280
9 Dong Fangxiao China 38.230
10 Maria Olaru Romênia 38.212
11 Olga Roschupkina Ucrânia 38.174
12 Laura Martinez Espanha 38.161
13 Elise Ray EUA 38.067
14 Amy Chow EUA 38.018
15 Yvonne Tousek Canadá 37.880
16 Viktoria Karpenko Ucrânia 37.874
17 Loredana Boboc* România 37.812
18 Lisa Skinner Austrália 37.730
19 Sara Moro Espanha 37.705
20 Kristen Maloney EUA 37.637
21 Liu Xuan China 37.592
22 Lisa Mason Grã-Bretanha 37.580
23 Alyona Polozkova Bielorússia 37.556
24 Delphine Regease França 37.549
25t Galina Tyryk Ucrânia 37.461
25t Monica Bergamelli Itália 37.461
27 Annika Reeder Grã-Bretanha 37.368
28 Kate Richardson Canadá 37.336
29 Tatiana Yarosh* Ucrânia 37.317
30 Alexandra Soler França 37.218
31 Adriana Crisci itália 37.186
32 Kana Yamawaki Japão 37.181
33 Jana Komrskova República Checa 37.124
34 Daniele Hypolito Brasil 37.111
35 Nelly Ramassamy França 37.024
36 Martina Bremini Itália 37.005
37 Elvire Teza* França 36.962
38 Emma Williams Grã-Bretanha 36.961
39 Allana Slater Austrália 36.955
40 Zarzitskaya Marina Bielorussia 36.768
41 Dominique Dawes* EUA 36.755
42 Mok Un-Ju** Coréia do Norte 36.568
43 Sigrid Persoon** Bélgica 36.511

Topo da página

17/09/2000

          Daniele Hypólito consegue garantir sua vaga, se classificando  para a final individual da ginástica olímpica feminina. Ela somou 37,111 pontos, ficando em 34o lugar na fase classificatória, que foi realizada na madrugada deste domingo (noite em Sydney). Já Camila Comin terminou na 49a colocação e está fora da competição, pois somente as 36 melhores ginastas vão para a final. Mesmo eliminada, Camila ficou emocionada por participar dos Jogos Olímpicos. "Pelo menos cheguei até aqui e isso é o mais importante. Competi ao lado das melhores do mundo", disse.

          Embora não tenha chances de disputar uma medalha, Daniele está muito feliz com seu desempenho. "Foi muito bom mesmo", comemorou. A atleta sofreu uma queda nas barras paralela assimétrica, onde obteve sua nota mais baixa (9.062). "Mesmo com duas quedas que sofremos, no geral nos saímos muito bem", disse Daniele, referindo-se à queda de Camila Comin no solo. A técnica Irina Ilyashenko irá orientar a ginasta para que ela corrija os erros cometidos na fase classificatória e tente melhorar sua colocação na fase final, que acontece na próxima terça-feira. "Quero representar bem meu país", afirmou Daniele.

Topo da página

15/09/2000

          Daniele Hypólito e Camila Comin estarão competindo no Estádio Super Dome neste final de semana, a partir das 14 horas deste domingo (meia-noite de sábado, em Brasília), juntamente com ginastas do Canadá, México, Venezuela, Alemanha, Coréia do Norte, Polônia, República Tcheca e Japão. Essa é a fase classificatória para a competição por equipes e a individual geral, com atletas competindo em todos os aparelhos.

          No dia 19, as seis melhores equipes disputam as primeiras medalhas do evento. No dia 21, acontece a disputa da qual as brasileiras pretendem participar: a final individual geral, com as 36 ginastas melhores colocadas na classificatória.

Topo da página

07/09/2000

          E está decidido: será brasileiro o único árbitro da América do Sul para atuar nas competições de Trampolim em Sydney; será o Sr. Marcos Antonio do Colégio Militar/Vasco da Gama, do Rio de Janeiro.

Topo da página

06/08/2000

        Já foram escolhidas as ginastas que seguirão para Sydney representando a Ginástica Olímpica (Artística) brasileira!

          São elas: Daniele Hypólito (C. R. Flamengo/RJ) e Camila Comin (Universidade do Esporte/PR). Além delas, irão para Sydney também como suplentes as ginastas Daiane dos Santos e Marília Gomes (Yashi/SP).

          As vagas foram disputadas de forma acirrada na seletiva em Curitiba - PR; e o resultado foi anunciado dia 22/07/00.

          As competições de Ginástica Artística Feminina (1ª rodada) estão marcadas para o dia 16/09/00 das 21:00 às 22:45 horas no Sydney Super Dome.

Vamos torcer por nossas ginastas!

Topo da página

 Mais notícias, visite: www.cbginastica.com.br ou

www.uol.com.br/olimpíadas

 
 
 
     
   
 
 
 
Resolução mínima de 800x600 IE 5.0
© Copyright Ginásticas.com 2000-2003,
Denis R. Patrocinio